Agência Privatizadora: Oposição faz Beto Richa recuar na Assembleia

Enio Verri diz que os paranaenses não concordam com a privatização das estatais.
O governador Beto Richa (PSDB) sofreu a primeira grande derrota política na Assembleia Legislativa do Paraná ao determinar, ontem à  noite, a retirada da mensagem que cria a Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados do Paraná (Agepar)– a agência privatizadora.

Richa perdeu a batalha na opinião pública para a pequena bancada de oposição formada por 14 parlamentares, segundo o líder Enio Verri.

“Foi uma vitória dos paranaenses que não concordam com a privatização de suas empresas públicas construídas ao longo de décadas”, disse o deputado oposicionista.

Com a retirada da mensagem da pauta o tucano quis evitar a pecha de privatista, mas a fama é grande.

Os movimentos sociais também tiveram papel no recuo do governador. Na semana passada, por exemplo, o Sindicato dos Engenheiros (Senge) rearticulou o Fórum Popular Contra a Venda da Copel depois de 10 anos. O movimento foi fundamental em 2001 para impedir que o então governador Jaime Lerner privatizasse a estatal de energia.

Nesta manhã, em Curitiba, o Sindicato dos Trabalhadores na Captação e Distribuição de àgua e Esgoto (Saemac) realiza reunião daqui a pouco para discutir a privatização dos serviços nos municípios e o recuo do governo tucano na criação da agência.

Embora o governo tenha recuado ontem à  noite, é muito provável que a qualquer momento ele reenvie a mensagem à  Assembleia. O próprio líder de Beto no parlamento, deputado Ademar Traiano, admite essa possibilidade “depois de correções no texto”.

O deputado Elton Welter (PT) um dos mais ásperos críticos da criação da agência privatizadora disse que, mesmo com o recuo momentâneo do governo do PSDB, é preciso que a sociedade fique mobilizada. Para ele, a qualquer momento a iniciativa poderá ser retomada com nova roupagem.

Comments are closed.