A tréplica de Orlando Pessuti

Ex-governador Orlando Pessuti.

A coisa funciona assim: o ex-governador Orlando Pessuti (PMDB) bateu ontem nos deputados estaduais que aderiram ao governo neoliberal de Beto Richa; hoje, os deputados Alexandre Curi e Waldyr Pugliesi replicaram. Agora à  noite, na defensiva, Pessuti treplicou.

Veja a nota de esclarecimento do ex-governador Orlando Pessuti:

“Com relação à  nota emitida a imprensa nesta terça-feira (23) pelos deputados Estaduais Alexandre Curi e Waldyr Pugliesi, o ex-governador Orlando Pessuti esclarece que:

Não concordo com as colocações dos deputados. Reafirmo que em todas as decisões tomadas no período em que estive como vice-governador e governador do Paraná, por repetidas vezes consultei nossa bancada de deputados para que definíssemos os mais variados assuntos, entre eles as indicações de nomes para compor o governo em 2003 com Roberto Requião e em 2010 quando assumi na condição de governador do Paraná .

Em 2010, na escolha de Rodrigo Rocha Loures como candidato a vice-governador de Osmar Dias e Sergio Souza como candidato a 1!º suplente de Gleisi Hoffmann ao Senado, houve um amplo processo de conversação com as bancadas estadual e federal, tendo ao final, os nomes recebidos pela executiva e pelo diretório estadual do PMDB, culminando com suas aprovações.

Nesses 45 anos de militância e filiação no MDB e PMDB nunca tive qualquer problema ou diferença pessoal com a família Richa. Por sinal, José Richa foi um dos maiores companheiros de meu pai Natal Pessuti e um dos principais orientadores políticos que tive. Conheço o Beto do tempo de menino de calças curtas, talvez até antes que qualquer um dos integrantes da bancada do PMDB, quando no ano de 1966 visitava seus pais em Londrina na companhia de meu pai.

Reitero que por inúmeras vezes tentei reunir-me com os parlamentares nas mais variadas situações, mas a condição foi impossibilitada devido a condições de agenda dos próprios deputados.

Orlando Pessuti ex-governador do Paraná.”

3 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. O PMDB VIROU O PARTIDO DO CURI, ROMANELI E PUGLIESI. SÃO OS DONOS DA BOLA, DO CAMPINHO E QUANDO QUEREM SAEM FORA DA PARTIDA DEIXANDO TODO MUNDO CHUPANDO DEDO.

  2. brincadeira né, lembro-me qdo das reuniões no dir do PMDB na convenção e nas reuniões seguintes para as eleições de 2010, qdo foi tirado os nomes para montar as chapas, desde aquela época era a garantia de eleição desta bancada. o Sr Alexandre já se declarava Beto em detrimento ao partido, o Waldir brandava aos 4 ventos que devia-se ter fidelidade….. o Anibeli pai foi o 1 a sr convidado a ser suplente da candidato Gleicy …. e assim vai, testemunhei um sem números de reuniões com a bancada desde o tempo que o Dobrandino era o lider do PMDB na AL, o Pessuti sempre, digo “SEMPRE” atendeu, recebeu e e democratizou suas ações baseadas no consenso no levantamento das demandas das regiões em que cada um representava … agora em e viram o cocho que até estes dias comiam …… isso é falta decoro, não pelas ações dentro da L mas diante de seus eleitores que votaram neles em favor de uma proposta apresentada, contrário fosse teriam votados nos candidatos da outra coligação…
    P.Ex o gov do estado liberou outros 30 cargos especiais em comissão para a COHAPAR sal de 5 a 12mil….. o que a cohapar constroi…..nada é uma sucursal enrrustida da CAIXA que trabalha diretamente com as empreiteiras inclusive comprando os mteriais pela CIA e repassando as empreiteiras sob a “justificativa” de baratear custos……………..

  3. Honra não se compra e não se vende, se conquista, e isto o Pessuti já conquistou e de suas palavras, se falou, “TÁ FALADO”!!!!!!!