22 de agosto de 2011
por esmael
6 Comentários

Verri questiona criação de 30 cargos comissionados na Sanepar

O líder da oposição na Assembleia Legislativa, deputado Enio Verri (PT), criticou nesta segunda-feira (22) o governo estadual pela criação de 30 cargos comissionados na Sanepar. Verri também questionou a legitimidade das contratações, uma vez que a decisão do Conselho de Administração da Sanepar foi fundamentada juridicamente em parecer da Casa Civil para a Cohapar.

Para Verri, a medida confirma que o governo Beto Richa adota na prática um discurso diferente da teoria.

O governo Richa faz questão de exaltar a competência, transparência e principalmente eficiência na gestão pública. Criar 30 cargos comissionados políticos na Sanepar, onerando e inchando a estatal, representa mais eficiência na gestão?!, questionou.

Na tribuna, o deputado explicou que que teve acesso à  Ata da Reunião do Conselho de Administração da Sanepar, realizada no dia 17 de maio. O item 5.1.1 do documento, de acordo com Verri, autoriza a criação de 30 cargos de consultor estratégico de livre nomeação e exoneração.

O secretário [Cássio] Taniguchi disse na Assembleia que o governo precisa capitalizar a Sanepar. E então recebemos a informação da criação de 30 novos cargos comissionados, todos com boa remuneração. à‰ o próprio anti-discurso. A síntese do “faça o que eu digo mas não faça o que eu faço”!, afirmou.

O deputado também questionou a legitimidade das contratações. De acordo com Verri, a criação dos cargos foi fundamentada em parecer da Assessoria Jurídica da Casa Civil, do dia 8 de abril, atend

22 de agosto de 2011
por esmael
3 Comentários

Bernardo contesta denúncias sobre uso de aeronaves

da Agência Estado

O ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, divulgou nota nesta segunda-feira (22) afirmando que as denúncias sobre o uso por ele de aeronaves particulares são “totalmente inverídicas” e de “grande irresponsabilidade”. Bernardo alega que jamais solicitou ou mesmo recebeu oferta de qualquer meio de transporte em troca de vantagens no governo.

Ele argumenta, porém, que utilizou aviões fretados durante a campanha eleitoral no Estado do Paraná, quando era ministro do Planejamento. Segundo Bernardo, todas as empresas receberam pagamentos pelos serviços, mas ele não teria condições de lembrar e especificar os prefixos ou os proprietários das aeronaves que foram usadas.

O ministro afirma, ainda, que as obras do Contorno de Maringá foram incluídas no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) porque atendiam aos critérios. Bernardo acrescenta que defendeu o projeto porque se trata de uma obra importante para o desenvolvimento daquela região, “e não porque iria beneficiar esta ou aquela construtora”.

A ministra da Casa Civil e esposa de Paulo Bernardo, Gleisi Hoffmann, também divulgou nota respondendo à s denúncias. Ela afirma que não ocupava cargo público quando utilizou as aeronaves e reforça que todos os aviões foram fretados, com contratos de aluguel firmados.

22 de agosto de 2011
por esmael
1 Comentário

Com número 55, PSD de Kassab vai pedir hoje registro ao TSE

da Agência Estado

Com o número 55, o pedido de registro para o Partido Social Democrático (PSD) será protocolado hoje no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) pelos aliados do prefeito Gilberto Kassab, presidente da sigla. O secretário-geral da comissão provisória do PSD, Saulo Queiroz, afirmou ontem que o partido conseguiu 539 mil assinaturas, 47 mil a mais que o mínimo de 492 mil exigido para a obtenção do registro.

A nova legenda diz ter certificado as assinaturas em 22 Estados. No Maranhão, Pará, Amapá, Sergipe e Rio Grande do Sul, os aliados de Kassab não conseguiram assinaturas suficientes. “Não deu tempo de mobilizar as pessoas nesses Estados. Talvez em Sergipe ainda dê tempo até quarta-feira”, disse Queiroz. “Juridicamente não existe mais problema algum. O atraso no registro ocorreu pela demora da análise das assinaturas nos cartórios País afora, não foi por causa de ações nos tribunais.”

O TSE tem 15 dias para aceitar ou não o registro, e outras siglas, como o DEM, podem contestar o pedido em até três dias. Kassab espera que as filiações comecem na semana de 7 de setembro. Ao todo, o partido deve ter 44 deputados (seis de São Paulo), dois senadores, dois governadores e seis vice-governadores.

22 de agosto de 2011
por esmael
Comentários desativados em Dilma diz que quer se reunir ‘rotineiramente’ com aliados

Dilma diz que quer se reunir ‘rotineiramente’ com aliados

da Folha.com

Em reunião de coordenação política do governo na manhã desta segunda-feira, a presidente Dilma Rousseff afirmou que pretende “repetir rotineiramente” encontros com os líderes de partidos, como os da última semana.

Segundo os presentes, Dilma afirmou que os encontros foram positivos e que pretende se aproximar mais da base.

A presidente decidiu receber as lideranças dos partidos aliados logo após a volta do recesso legislativo para melhorar a relação com sua base no Congresso, em especial depois das crises políticas que derrubaram ministros.

22 de agosto de 2011
por esmael
Comentários desativados em Liga àrabe anuncia apoio ao governo de transição da Líbia

Liga àrabe anuncia apoio ao governo de transição da Líbia

da Agência Brasil

O secretário-geral da Liga àrabe, Nabil Al Arabi, disse hoje (22) que a organização apoia de forma plena o Conselho Nacional de Transição (CNT) da Líbia, controlado pelor grupos de oposição ao líder líbio, Muammar Khadafi. Segundo Arabi, a Liga àrabe espera que a paz e a segurança retornem à  região.

A Liga àrabe reúne 22 países, mais Brasil, àndia e Venezuela, chamados de observadores pelo comando da entidade. Fundada em 1945, a liga tem o objetivo de reforçar e coordenar as ações econômcias, sociais, políticas e culturais entre as nações árabes.

Em comunicado, Arabi informou que os ministros das Relações Exteriores dos países árabes se reunirão amanhã (23) para definir oficialmente o reconhecimento do CNT como “representante legítimo” do povo líbio. A decisão será tomada pelo Comitê de Acompanhamento para a Iniciativa de Paz da organização.

22 de agosto de 2011
por esmael
Comentários desativados em Crise na Câmara ameaça projeto de reeleição de Ducci

Crise na Câmara ameaça projeto de reeleição de Ducci

por Ivan Santos, via Bem Paraná

A crise que atingiu a Câmara Municipal, com as denúncias de irregularidades envolvendo contratos da Casa já ameaça provocar estragos também no projeto de reeleição do atual prefeito Luciano Ducci (PSB) para 2012. Pela primeira vez, Ducci enfrenta uma oposição articulada no Legislativo. Além disso, com as suspeitas levantadas contra um de seus principais aliados, o presidente da Casa, vereador João Cláudio Derosso (PSDB), o prefeito agora enfrenta além disso problemas para definir seu candidato a vice para as eleições do ano que vem.

A situação é motivada pelo fato de Derosso, que depois do governador Beto Richa (PSDB), é o principal cacique tucano na Capital, vinha sendo cotado como o nome mais forte para completar a chapa de Ducci. Tanto que o vereador foi um dos maiores responsáveis pela saída do ex-deputado federal Gustavo Fruet do PSDB – maior rival do prefeito na disputa.

No final de 2010, logo após a eleição de Richa para o governo, Fruet manifestou ao governador a intenção de candidatar-se à  prefeitura da Capital. Para isso, pediu que lhe fosse confiado o comando do diretório municipal tucano de Curitiba, presidido por Derosso. O vereador, porém, já pensando na aliança com Ducci e na indicação de vice, vetou Fruet, que diante da falta de apoio do comando tucano, acabou deixando o partido em busca de outra legenda para concorrer.

Coincidentemente, logo em seguida começaram a surgir as primeiras denúncias contra o presidente da Câmara, inicialmente a partir de uma investigação do Tribunal de Contas sobre os contratos de publicidade da Casa. O próprio Derosso atribuiu as acusações justamente à  sua cotação para vice de Ducci para a próxima eleição.

Ao mesmo tempo o prefeito, que até então aparecia constantemente ao lado do vereador em eventos públicos, passou a evitar a companhia do antigo aliado, no que foi interpretado por interlocutores próximos a Derosso como uma tentativa de abandoná-lo à  própria sorte. Além disso, setors da Câmara que até então estavam alinhados automaticamente ao projeto do prefeito, passaram a ver em Fruet e na crise envolvendo o Legislativo, uma alternativa de poder fora do atual grupo que comanda o município.

O resultado mais palpável dessa movimentação foi a criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) na Câmara, fato inédito na Casa, com o apoio de vereadores que compõem a base de apoio do prefeito. Inicialmente, a oposição havia obtido somente 7 das 13 assinaturas para a instalação da CPI, o que apontava para o arquivamento do pedido. A situação sofreu uma reviravolta depois de vereadores do PPS – partido que não só integra a base governista como tem cargos na administração municipal – decidiram apoiar a investigação. O mesmo aconteceu com o PDT, provável destino partidário de Fruet, que indicou a intenção de assinar o requerimento. A maior surpresa, porém, foi a adesão da vereadora Dona Lourdes, do PSB, partido de Ducci, que acabou obrigando os vereadores dos demais partidos da base de situação a também assinarem o pedido, diante da iminente criação da CPI.