Sanepar cria mais 30 cargos políticos ao custo de R$ 6,48 milhões

Fac-símile da ata da reunião presidida pelo conselheiro Ivan 'Censurinha' Bonilha.

O Conselho de Administração da Sanepar (Companhia Paranaense de Saneamento) autorizou a criação de trinta novos cargos “estratégicos de livre nomeação e exoneração”, conforme ata de reunião número 05/2011, de 17 de maio último.

Os trinta cargos políticos significarão R$ 540 mil por mês adicionais aos cofres da companhia, ou seja, o impacto na folha chegará a R$ 6,48 milhões anuais.

As livres nomeações visam atender demandas políticas externas, portanto, estranhas à  Sanepar.

Na campanha eleitoral de 2010, o então candidato Beto Richa (PSDB) prometeu aos saneparianos prestigiar a meritocracia, os funcionários de carreira da empresa.

A reunião que aprovou a tunga nos funcionários da Sanepar (e nos consumidores) foi presidida pelo ex-presidente do Conselho Administrativo, Ivan “Censurinha” Bonilha, atual conselheiro sub judice do Tribunal de Contas.

A revolta entre os saneparianos é muito grande, pois, segundo fontes do blog na empresa, há um processo acelerado de desmonte da companhia que impactarão na tarifa de água dos consumidores.

Além deste gasto adicional de R$ 6,48 milhões com “cargos comissionados”, a Sanepar também havia aprovado o aumento de distribuição dos lucros aos sócios privados de 25% para 50%.

“Isso significará tarifa maior e obras de menos”, disse um graduado funcionário da empresa.

Comentários encerrados.