Disputa presidencial de 2010 foi mais acirrada na internet, aponta Ibope

via Estadão

A disputa eleitoral foi mais acirrada na internet que no eleitorado em geral, mostra estudo divulgado pelo Ibope nesta segunda-feira, 25. O estudo, elaborado pelos pesquisadores João Francisco Resende, do Ibope Inteligência, e Juliana Sawaia Cassiano Chagas, do Ibope Mídia, cruzou dados das pesquisas eleitorais realizadas pelo instituto entre 30 de junho e 30 de outubro de 2010.

O trabalho apontou que a diferença na intenção de votos entre os principais candidatos à  Presidência da República – Dilma Rousseff (PT), José Serra (PSDB) e Marina Silva (PV) – era menor entre os eleitores conectados que entre o eleitorado em geral. Dilma, que venceria a disputa, aparece em todas as pesquisas realizadas com porcentuais mais baixos que os apresentados no eleitorado geral. Já o tucano José Serra e a então candidata do PV apareciam com números mais altos.

No início do período, os dois apareciam empatados entre os conectados – em 30 de junho os dois somavam 36%, em 29 de julho e em 15 de agosto, 37% -, enquanto no eleitorado geral, Dilma já começava a abrir dianteira, em função do maior conhecimento que as pessoas passaram a ter sobre ela – 39% a 34% em 29 de julho, 43% a 32% em 15 de agosto.

No início do segundo turno, Serra se aproximou de Dilma no eleitorado geral, chegando a 43%, ante 49% de Dilma. Entre os conectados, Serra assumiu a liderança, com 50% a 41% em 13 de outubro. Em 20 de outubro, o tucano tinha 48% contra 42% e no dia 28 de outubro, Dilma virava o resultado: 49% a 43% entre os conectados e 52% a 40% no eleitorado geral.

A alteração no cenário eleitoral entre o final do no início do segundo turno se deve a boatos que passaram a circular pela internet, dando conta que Dilma apoiaria a legalização do aborto e criticando sua participação em grupos armados que lutaram contra o regime militar e o seu suposto ateísmo.

Ainda no primeiro turno, uma declaração de Monica Serra, mulher do presidenciável tucano, contribuiu para o acirramento da guerra virtual entre PT e PSDB. Em campanha na Baixada Fluminense, Monica afirmou que Dilma “é a favor de matar as criancinhas”, referência ao fato de que a petista seria a favor do aborto. Em resposta, blog ligado ao PT divulgou documento assinado por Serra quando ministro da Saúde que regulamenta a realização do aborto em casos previstos na legislação, como estupro e em casos de risco de morte da mãe e indicou que a versão do Plano Nacional de Direitos Humanos feito na gestão FHC “defende a ampliação da legalização do aborto”.

partir dos debates no segundo turno (em 10 de outubro na Bandeirantes e 17 de outubro na Rede TV), Dilma partiu para o ataque, negando que fosse apoiar o aborto e trazendo para o centro do debate Paulo Vieira de Souza, conhecido como ‘Paulo Preto’, acusado de desviar dinheiro da campanha tucana. A tática deu resultado e Dilma conseguiu reverter a intenção de voto na internet.

Segundo o Ibope, esse acirramento da disputa na internet sugere uma mobilização mais intensa em torno das candidaturas por parte dos cidadãos que utilizam a rede cotidianamente. De acordo com o levantamento, cerca de 25% dos eleitores fizeram uso da internet cotidianamente no período, o que representa aproximadamente 27 milhões de brasileiros.

Twitter. No Twitter, Serra obteve liderança absoluta no número de seguidores de seu perfil. No início do período estudado, Serra tinha 271.794 seguidores. Em 30 de outubro, eram 547.551 seguidores. Já o perfil de Marina começa com 79.688 seguidores e chega em 30 de outubro com 333.267 seguidores. O perfil de Dilma teve o desempenho mais fraco entre os três, tendo iniciado com 97.424 seguidores e chegado a 287.293 seguidores em 30 de outubro.tre os eleitores que acessam a internet diariamente e os que utilizam redes sociais.

Mesmo fora do 2!º turno, Marina continuou ampliando o número de seguidores no Twitter. Segundo o Ibope, isso se deu em função do interesse por parte dos usuários desta rede social pelo posicionamento da candidata verde no 2!º turno – apoiando Serra ou Dilma. Atualmente, o perfil de Marina está com 485.076 seguidores, o de Dilma (que não é atualizado desde 13 de dezembro), tem 710.919 seguidores e o de Serra, 773.360 seguidores.

Internet ganha força. O estudo aponta ainda para o crescimento da internet como fonte de informação para os eleitores. Em 2008, nas eleições municipais, 2% dos entrevistados apontavam o meio como principal fonte de informação para decidir o voto. Em 2010, esse número foi a 12%. / COLABOROU BRUNO SIFFREDI

Comentários encerrados.