do Brasil 247

Presidente da corte, Joaquim Barbosa, que renunciou no final de maio, teria adiado sua aposentadoria para agosto na tentativa de pressionar Ricardo Lewandowski a manter 46 funcionários de seu gabinete em cargos de confiança mesmo após sua saída; em nota, alegou que está fazendo tudo de acordo com as normas de transição do STF e com base nas "tradições da casa".

Presidente da corte, Joaquim Barbosa, que renunciou no final de maio, teria adiado sua aposentadoria para agosto na tentativa de pressionar Ricardo Lewandowski a manter 46 funcionários de seu gabinete em cargos de confiança mesmo após sua saída; em nota, alegou que está fazendo tudo de acordo com as normas de transição do STF e com base nas “tradições da casa”.

Depois de renunciar, adiar a aposentadoria e ainda pedir férias, o ministro Joaquim Barbosa voltou a criar um impasse para seu sucessor na Presidência do Supremo Tribunal Federal.

Barbosa anunciou sua saída da Corte no fim de maio, a 5 meses do término de sua presidência. Depois, adiou seu pedido de aposentadoria. Por trás da manobra, estaria uma tentativa de manter 46 funcionários de seu gabinete em cargos de confiança mesmo após sua saída.

Ele teria ligado pessoalmente para seu sucessor Ricardo Lewandowski para pedir a permanência deles em sua gestão, mas foi negado.

Contrariado, ele mandou ofício a Lewandowski, para levar a questão aos demais ministros do tribunal numa sessão administrativa em agosto, após retorno do recesso.

Em nota, Barbosa disse que está fazendo tudo de acordo com as normas de transição do STF e com base nas “tradições da casa”.

Leia aqui a reportagem de Valdo Cruz sobre o assunto.

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS
Paranavaí está rearticulando o Comitê 9840 de combate à corrupção eleitoral. O objetivo é promover a conscientização da comunidade para as eleições de outubro. O nome vem da lei de iniciativa popular aprovada em 1999, que combate a corrupção eleitoral. Participam do Comitê: integrantes da OAB, do Observatório Social de Paranavaí, do Conselho Comunitário de Segurança, maçons, entre outros setores da sociedade.

Paranavaí está rearticulando o Comitê 9840 de combate à corrupção eleitoral. O objetivo é promover a conscientização da comunidade para as eleições de outubro. O nome vem da lei de iniciativa popular aprovada em 1999 para combater a compra de votos e o uso da máquina administrativa durante o período eleitoral. Participam do Comitê: integrantes da OAB, do Observatório Social de Paranavaí, do Conselho Comunitário de Segurança, maçons, entre outros setores da sociedade.

Paranavaí está rearticulando o Comitê 9840 de combate à corrupção eleitoral. Organizado inicialmente em 2012, o comitê visa promover a conscientização da comunidade. O trabalho será centrado no combate à compra de votos nas mais variadas formas. O Comitê 9840 pretende levar a mensagem às escolas, universidades e para as ruas, através de pedágios e panfletagem, e através da mídia local.

O Comitê também pretende realizar sabatinas com todos os candidatos a deputado (estadual e federal) da região para debater as propostas. Também serão recebidas denúncias que sejam acompanhadas de provas ou indícios que possam ser investigados. Participam do Comitê: dirigentes da OAB, do Observatório Social de Paranavaí, do Conselho Comunitário de Segurança, maçons, entre outros setores da sociedade. (mais…)

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

Ricardo Mac Donald, em sua coluna desta sexta, volta a afirma que Curitiba não merece ficar refém de um sindicato que põe “uma faca no peito da Administração Municipal” e nos usuários de ônibus; segundo o capitão do time do prefeito Gustavo Fruet (PDT), o Sindimoc (Sindicato dos Motoristas e Cobradores) tem problemas para explicar como mortes, dinheiro apreendido, notas fiscais frias, dentre outras barbaridades; colunista pede a intervenção firme do Ministério Público para inibir a “baderna”, segundo ele, que “tende a continuar e pior, expandir”; colunista relata ainda que, depois de tentativa de fraude eleitoral ser frustrada pela Justiça, agora é que quatro chapas se registraram; “Oxalá apareça alguém com capacidade de diálogo”, torce o secretário Municipal de Governo; leia o texto e compartilhe.

Ricardo Mac Donald, em sua coluna desta sexta, volta a afirma que Curitiba não merece ficar refém de um sindicato que põe “uma faca no peito da Administração Municipal” e nos usuários de ônibus; segundo o capitão do time do prefeito Gustavo Fruet (PDT), o Sindimoc (Sindicato dos Motoristas e Cobradores) tem problemas para explicar como mortes, dinheiro apreendido, notas fiscais frias, dentre outras barbaridades; colunista pede a intervenção firme do Ministério Público para inibir a “baderna”, segundo ele, que “tende a continuar e pior, expandir”; colunista relata ainda que, depois de tentativa de fraude eleitoral ser frustrada pela Justiça, agora é que quatro chapas se registraram; “Oxalá apareça alguém com capacidade de diálogo”, torce o secretário Municipal de Governo; leia o texto e compartilhe.

Ricardo Mac Donald*

É justo que um Sindicato com tantos problemas, como é o caso do Sindimoc, fique pondo uma faca no peito da Administração Municipal e na população que precisa do ônibus? Não teria que se reorganizar e apurar as mortes, o dinheiro apreendido e mal explicado, as notas fiscais frias, os funcionários fantasmas, como foi mostrado seguidas vezes na imprensa?

O Ministério Público Estadual é fundamental nessa questão, mas é necessário agir com mais celeridade para esclarecer a opinião pública e punir os culpados. Senão a baderna tende a continuar e pior, expandir.

As eleições sindicais honestas poderiam ajudar nos esclarecimentos, mas como o butim é grande sempre há tentativas de perpetuidade. Um exemplo é o processo eleitoral no Sindimoc, que foi irregularmente antecipado e com uma única urna na sede do Sindicato, numa velhíssima tática para dificultar o exercício do voto e direcionar a vontade do eleitor. A articulação foi prontamente derrubada pela Justiça.

A notícia agora é que quatro chapas se registraram. Oxalá apareça alguém com capacidade de diálogo, que coloque os interesses dos sindicalizados em primeiro plano e não parta para o confronto inútil e eleitoreiro, que só desserve a causa e prejudica o andamento de um serviço essencial aos curitibanos.

*Ricardo Mac Donald Ghisi é advogado, secretário Municipal de Governo de Curitiba. Escreve às sextas no Blog do Esmael.

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS
Charge de Sponholz.

Charge de Sponholz.

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

capa_estadao_dilmaJornais do Paraná

- Gazeta do Povo: Dívida de aposentados em crédito consignado chega a R$ 71 bilhões

- Bem Paraná: Curitiba dá primeiro passo para ônibus “sem dinheiro”

- Jornal Metro: Capítulo final

- Jornal de Londrina: 63 candidatos de Londrina tentam vaga no Legislativo

- Folha de Londrina: Diagnóstico tardio dificulta tratamento do câncer infantil

- O Diário (Maringá): Candidatos de Maringá calculam gastar R$ 80 mi

- Diário dos Campos: Bom Jesus imterrompe obra da UTI pediátrica

- Jornal da Manhã: Sindicato promete dia de mobilização no transporte

- Correio do Cidadão: Mapa da violência | Campo Mourão é o 10º em homicídios de jovens no Paraná

- Tribuna do Interior: Hermanos na final

- O Paraná: Samu aciona Justiça para cobrar dívida de municípios

- Gazeta do Paraná: Agora, governo já admite intervenção no futebol

- Jornal Hoje: Arrecadação do EstaR tem aumento de 38%

- Gazeta do Iguaçu: Campanha esquenta: Gleisi e Richa em Foz

- Diário do Noroeste: Lideranças se organizam contra a corrupção eleitoral

- Tribuna de Cianorte: Massacre alemão afeta comércio de camisetas

- Umuarama Ilustrado: Tropeço da seleção derruba os preços dos televisores

- Tribuna do Norte: Crime ambiental

Jornais de outros estados

- Globo: Suspeito de chefiar a máfia dos ingressos está foragido

- Folha: Para Dilma, futebol tem de mudar; Aécio critica uso da Copa

- Estadão: Governo quer ‘intervenção indireta’ no futebol

- Correio: Após vexame, governo quer intervir no futebol

- Valor: Sócios vendem ações da Oi e descumprem regra da fusão

- Estado de Minas: Hora de viajar

- Zero Hora: “Nosso futebol foi apenas regular”

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

Roberto Requião anuncia que pedirá ao Ministério Público prisão de diretores da Copel por falsidade ideológica; segundo o candidato do PMDB ao governo do Paraná, a companhia emitiu hoje “nota fria” sobre a quantidade de diretores recebendo supersalários na estatal de energia; "Tenho segurança de que são 17 diretores e não dez como comunicou a Copel", disse ao Blog do Esmael; mais cedo, o senador prometera, se eleito ao Palácio Iguaçu, revisar acordos com a Tradener e tarifaços praticados por Richa, bem como demitir diretores da empresa com salários que, segundo o parlamentar, passam de R$ 80 mil por mês.

Roberto Requião anuncia que pedirá ao Ministério Público prisão de diretores da Copel por falsidade ideológica; segundo o candidato do PMDB ao governo do Paraná, a companhia emitiu hoje “nota fria” sobre a quantidade de diretores recebendo supersalários na estatal de energia; “Tenho segurança de que são 17 diretores e não dez como comunicou a Copel”, disse ao Blog do Esmael; mais cedo, o senador prometera, se eleito ao Palácio Iguaçu, revisar acordos com a Tradener e tarifaços praticados por Richa, bem como demitir diretores da empresa com salários que, segundo o parlamentar, passam de R$ 80 mil por mês.

O senador Roberto Requião (PMDB), candidato ao governo do Paraná, na noite desta quinta (10), ao Blog do Esmael, adiantou que vai ao Ministério Público pedir a prisão dos diretores da Companhia Paranaense de Energia (Copel). Segundo ele, a nota oficial emitida hoje pela empresa “é fria” e se constitui em “falsidade ideológica” (clique aqui).

“Tenho segurança de que são 17 diretores e não dez como comunicou a Copel”, disse Requião, ao referir-se ao documento divulgado pela energética.

Mais cedo, aqui mesmo no Blog do Esmael, o senador prometeu se eleito revisar acordos com a Tradener e tarifaços praticados por Richa, bem como demitir diretores da empresa com salários que, segundo o parlamentar, passam de R$ 80 mil por mês (clique aqui).

O candidato do PMDB ao Palácio Iguaçu aproveitou a polêmica com o governo Beto Richa (PSDB) para adiantar seu plano de governo visando “viabilizar a Copel”, bem como mostrar um Raio-X da companhia. Leia a íntegra: (mais…)

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

Senadora Gleisi Hoffmann, candidata do PT ao governo do Paraná, em nota, nesta quinta (10), disse que está sendo vítima de artilharia dos adversários acerca de sua declaração de bens na Justiça Eleitoral; petista acusou o colega de parlamento Requião, também na corrida pelo Palácio Iguaçu, de subestimar os valores de seus bens, e apontou Richa como sendo o “mais rico” na disputa eleitoral; ao abrir duas frentes de batalhar, Gleisi pode ter deflagrado hoje a “Guerra dos Milionários”.

Senadora Gleisi Hoffmann, candidata do PT ao governo do Paraná, em nota, nesta quinta (10), disse que está sendo vítima de artilharia dos adversários acerca de sua declaração de bens na Justiça Eleitoral; petista acusou o colega de parlamento Requião, também na corrida pelo Palácio Iguaçu, de subestimar os valores de seus bens, e apontou Richa como sendo o “mais rico” na disputa eleitoral; ao abrir duas frentes de batalhar, Gleisi pode ter deflagrado hoje a “Guerra dos Milionários”.

A senadora Gleisi Hoffmann (PT) pode ter deflagrado nesta quinta (10) uma verdadeira “guerra de milionários” na corrida pelo governo do Paraná. A petista distribuiu uma nota na qual acusa o adversário e colega de parlamento Roberto Requião (PMDB) de maquiar a declaração de bens no Tribunal Regional Eleitoral (TRE).

“Na declaração de Roberto Requião, por exemplo, o valor declarado de R$ 1.190.564,33 inclui um veículo Ford por R$ 1,00 (um real) e um título do Clube Curitibano por R$ 4.996,00. Sabemos que o valor real desse título é cerca de R$ 150.000 (cento e cinquenta mil)”, atacou a petista, ao dizer que fez uma declaração real à Justiça Eleitoral.

“Já o Beto Richa é o candidato com o maior patrimônio. Ele declarou bens que somam R$ 5.547.332,88 (cinco milhões, quinhentos e quarenta e sete mil, trezentos e trinta e dois reais e oitenta e oito centavos), valor que inclui apartamentos, veículos, ações e investimentos”, continuou a nota de Gleisi.

Segundo o TRE, todos os três principais candidatos ao Palácio Iguaçu são milionários. Richa tem patrimônio declarado de R$ 5,5 milhões, Gleisi tem bens que somam R$ 1,4 milhão e Requião possui R$ 1,2 milhão.

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

"Os salários dos diretores são do mesmo patamar praticado no governo anterior, desconsiderando a correção da inflação, e são muito inferiores a R$ 80 mil", diz um trecho da nota oficial da Copel, em resposta ao senador Roberto Requião, que nesta quinta (10) prometeu revisar supersalários e os tarifaços do governador Beto Richa, além de demitir diretores da estatal de energia.

“Os salários dos diretores são do mesmo patamar praticado no governo anterior, desconsiderando a correção da inflação, e são muito inferiores a R$ 80 mil”, diz um trecho da nota oficial da Copel, em resposta ao senador Roberto Requião, que nesta quinta (10) prometeu revisar supersalários e os tarifaços do governador Beto Richa, além de demitir diretores da estatal de energia.

O governo Beto Richa (PSDB) se defende como pode de ataques dos adversários. Nesta quinta (10), através da Copel, o tucano emitiu nota rebatendo as acusações do senador Roberto Requião (PMDB) acerca de contratos, dos supersalários e farra na criação de diretorias na estatal de energia (clique aqui).

O peemedebista prometeu se eleito revisar acordos e tarifaços praticados por Richa, bem como demitir diretores da empresa com salários que, segundo o parlamentar, passam de R$ 80 mil por mês.

“Os salários dos diretores são do mesmo patamar praticado no governo anterior, desconsiderando a correção da inflação, e são muito inferiores a R$ 80 mil”, diz um trecho da nota.

Leia na íntegra a resposta da energética: (mais…)

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS
O Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado (PSTU) fará o lançamento de suas candidaturas estaduais para as eleições de outubro nesta sexta-feira (11) em Sarandi, no norte do Paraná. A chapa tem candidatos a governador, senador, deputada federal e cinco deputados federais.

O Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado (PSTU) fará o lançamento de suas candidaturas estaduais para as eleições de outubro nesta sexta-feira (11) em Sarandi, no norte do Paraná. A chapa “puro sangue” tem candidatos a governador, senador, deputada federal e cinco deputados estaduais.

O Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado (PSTU) fará o lançamento de seus candidatos no Paraná nesta sexta-feira, dia 11 de julho, na cidade de Sarandi para as eleições estaduais de 2014.

O partido que traz como candidato a governador estadual Rodrigo Tomazini, trabalhador da educação, e Érica Andreassy como vice, tem, segundo eles, um programa voltado aos trabalhadores e à juventude. O PSTU se propõe a debater abertamente suas propostas junto à comunidade.

“Nossa candidatura é feita por trabalhadores e para os trabalhadores. A melhor forma de encontrar melhorias dos setores públicos como Saúde, Educação, Transporte e Moradia é ouvindo quem os utiliza e mais sofre com sua precarização, que são os trabalhadores e a juventude.”, afirma Tomazini. (mais…)

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

O governo do município de Apucarana, que tem como prefeito o médico Beto Preto (PT) e vice o Júnior da Femac (PDT), pode ser uma das vitrines da campanha ao governo da senadora Gleisi Hoffmann (PT). A cidade vem se destacando no desenvolvimento social, empreendedorismo e geração de empregos, e pode ser adotada como modelo para um possível governo petista.

O governo do município de Apucarana, que tem como prefeito o médico Beto Preto (PT) e vice o Júnior da Femac (PDT), pode ser uma das vitrines da campanha ao governo da senadora Gleisi Hoffmann (PT). A cidade vem se destacando no desenvolvimento social, empreendedorismo e geração de empregos, e pode ser adotada como modelo para um possível governo petista.

A campanha da senadora Gleisi Hoffmann (PT) ao governo do Paraná deve adotar o município de Apucarana, no Vale do Ivaí, Norte do estado, como modelo e vitrine de administração pública.

A cidade governada pelo médico Beto Preto (PT), que tem como vice Sebastião Ferreira Martins Júnior, o Júnior da Femac (PDT), vem surpreendendo nos índices de empreendedorismo, geração de empregos e desenvolvimento humano.

O Ministério do Trabalho e do Emprego divulgou semana passada o panorama da geração de postos de trabalho nos cinco primeiros meses de 2014. O desempenho de Apucarana surpreendeu ao obter o 8º lugar no estado em números absolutos na geração de empregos formais. Para o prefeito de Apucarana o resultado não ocorre por acaso.

“Esse é mais um número que comprova a retomada do crescimento econômico em Apucarana, a partir de importantes ações que estão sendo implementadas, funcionam como indutoras de empreendedorismo, e que encontram respaldo junto aos setores produtivos”, avalia Beto Preto. (mais…)

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

Senador Roberto Requião, ao Blog do Esmael, nesta quinta (10), afirmou que, se eleito para o quarto mandato em outubro, realizará verdadeira devassa nos contratos revisando-os se considerá-los lesivos interesses do Estado e dos consumidores de energia; peemedebista disse ainda que descobriu os motivos da quebradeira e do tarifaço promovidos pelo governador Beto Richa; leia abaixo.

Senador Roberto Requião, ao Blog do Esmael, nesta quinta (10), afirmou que, se eleito para o quarto mandato em outubro, realizará verdadeira devassa nos contratos revisando-os se considerá-los lesivos interesses do Estado e dos consumidores de energia; peemedebista disse ainda que descobriu os motivos da quebradeira e do tarifaço promovidos pelo governador Beto Richa; leia abaixo.

O senador Roberto Requião (PMDB), candidato ao governo do Paraná, ao Blog do Esmael, nesta quinta-feira (10), se eleito em outubro, adiantou que realizará uma verdadeira devassa na Companhia Paranaense de Energia (Copel).

Requião afirmou que vai revisar todos os contratos da empresa e cancelar os que ele considerar lesivos aos interesses do Estado e dos consumidores de energia.

Dizendo que conseguiu desvendar os motivos do recente tarifaço e a quebradeira promovida pelo governador Beto Richa (PSDB) na estatal de energia, Requião elencou razões:

1 – Quando assumiu o governo, em 2003, reduziu de 23 para sete diretores da Copel. Richa aumentou para 17 com salários até R$ 80 mil.

2 – Requião disse que eliminou as subsidiárias da energética, mas o tucano criou 5 novas na atual gestão.

3 – A Copel geração vendeu energia a preços baixos para a Tradener e depois a Copel distribuição recompra da Tradener a preços altos.

4 – A Copel pagava 25% dos lucros aos sócios privados, Richa elevou essa distribuição de dividendos para 50%.

5 – Participações da Copel em empreendimentos fora do Paraná (eólicas) sem viabilidade econômica.

Por fim, ao Blog do Esmael, Requião denuncia que Richa mandou uma agencia de propaganda que atende o governo fazer uma página na internet para apoiá-lo como se fosse inciativa dos copelianos. Detalhe: “sem conhecimento dos copelianos”.

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

Líder e guru ideológico do governo Beto Richa na Assembleia, deputado Ademar Traiano, desistiu de escrever a coluna semanal no Blog do Esmael depois de levar um "pelotaço" desferido pela senadora Gleisi Hoffmann; petista conseguiu calar o bico do tucano aplicando-lhe uma multa de R$ 5 mil na Justiça; deputado do PSDB se diz vítima de censura e perseguição da ex-ministra e senadora do PT; sem entrar no mérito dos textos do parlamentar colunista, o Blog do Esmael é contra a judicialização da opinião e condena quaisquer ações que visem à censura.

Líder e guru ideológico do governo Beto Richa na Assembleia, deputado Ademar Traiano, desistiu de escrever a coluna semanal no Blog do Esmael depois de levar um “pelotaço” desferido pela senadora Gleisi Hoffmann; petista conseguiu calar o bico do tucano aplicando-lhe uma multa de R$ 5 mil na Justiça; deputado do PSDB se diz vítima de censura e perseguição da ex-ministra e senadora do PT; sem entrar no mérito dos textos do parlamentar colunista, o Blog do Esmael é contra a judicialização da opinião e condena quaisquer ações que visem à censura.

O deputado estadual Ademar Traiano (PSDB), líder e guru do Palácio Iguaçu na Assembleia Legislativa do Paraná, sentiu o “pelotaço” desferido ontem pela senadora Gleisi Hoffmann (PT), candidata ao governo do estado.

Por causa da multa de R$ 5 mil na Justiça Eleitoral, o tucano resolveu fechar o bico. O parlamentar que lidera a tropa de Beto Richa (PSDB) se diz censurado pela petista, por isso desistiu de escrever a coluna semanal no Blog do Esmael.

Traiano diz que está sendo vítima de censura e perseguição da ex-ministra e senadora petista. Ele reivindica o direito de opinar sobre a atuação política de Gleisi ao mesmo tempo em que garante que os textos foram publicados em período que ambos ainda não eram candidatos.

Sem entrar no mérito do conteúdo do parlamentar colunista, o Blog do Esmael é contra a judicialização da opinião e condena quaisquer ações que visem à censura.

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS
Outra vez, o Governo Richa pede direito de resposta para a coluna do deputado Enio Verri (PT), e o assunto é um novo pedido de aumento da Copel para a tarifa de energia, solicitado à Aneel. Após recuar do aumento de 35% diante da repercussão negativa, Richa solicitou a Aneel autorização para aumentar em 25% a tarifa; a diferença ficaria para o ano que vem.

Outra vez, o Governo Richa pede direito de resposta para a coluna do deputado Enio Verri (PT), e o assunto é um novo pedido de aumento da Copel para a tarifa de energia, solicitado à Aneel. Após recuar do aumento de 35%, Richa solicitou a Aneel autorização para aumentar em 25% a tarifa; a diferença ficaria para o ano que vem.

Em sua coluna de segunda-feira (8) aqui no Blog do Esmael, o deputado estadual Enio Verri (PT), criticou a nova solicitação de reajuste de energia enviada pela Copel à Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), solicitando 25% de aumento na tarifa. A Copel enviou uma nota contestando a coluna de Verri.

Fato semelhante já ocorreu quando o governo pleiteou o primeiro reajuste de 35%, mas recuou diante da repercussão negativa. Naquela oportunidade, Verri criticou o governo em sua coluna, e a Copel solicitou direito de resposta que foi atendido. Respeitando o princípio democrático do contraditório, publicamos a seguir a íntegra da nova mensagem enviada pela Copel: (mais…)

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

da Agência Brasil

Filiado ao PR, José Roberto Arruda é candidato ao governo do DF pela coligação União e Força e pode concorrer normalmente às eleições; Lei da Ficha Limpa impede candidatura de condenados na segunda instância da Justiça, no entanto, a Lei das Eleições (Lei 9.504/97) diz que as condições de inelegibilidade são aferidas no momento do pedido de registro da candidatura, feito na semana passada, quando o recurso de Arruda ainda não tinha sido julgado; suspensão dos direitos políticos só vale após o trânsito em julgado, o fim do processo.

Filiado ao PR, José Roberto Arruda é candidato ao governo do DF pela coligação União e Força e pode concorrer normalmente às eleições; Lei da Ficha Limpa impede candidatura de condenados na segunda instância da Justiça, no entanto, a Lei das Eleições (Lei 9.504/97) diz que as condições de inelegibilidade são aferidas no momento do pedido de registro da candidatura, feito na semana passada, quando o recurso de Arruda ainda não tinha sido julgado; suspensão dos direitos políticos só vale após o trânsito em julgado, o fim do processo.

A 2ª Turma Cível do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDF) manteve hoje (9) a condenação do ex-governador do Distrito Federal (DF) José Roberto Arruda por improbidade administrativa. O processo é um dos desdobramentos das investigações da Operação Caixa de Pandora, da Polícia Federal, que desvendou o esquema de corrupção conhecido como mensalão do DEM, em 2009.

Filiado ao PR, Arruda é candidato ao governo do DF pela coligação União e Força e pode concorrer normalmente às eleições. A Lei da Ficha Limpa impede candidatura de condenados na segunda instância da Justiça. No entanto, a Lei das Eleições (Lei 9.504/97) diz que as condições de inelegibilidade são aferidas no momento do pedido de registro da candidatura, feito na semana passada, quando o recurso de Arruda ainda não tinha sido julgado. Além disso, a suspensão dos direitos políticos só vale após o trânsito em julgado, o fim do processo. (mais…)

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

Requião Filho, em sua coluna desta quinta, sem citar nomes, critica os marqueteiros Oliveiros Marques, da petista Gleisi Hoffmann, e Marcelo Cattani, do tucano Beto Richa; segundo o colunista, os profissionais da propaganda iludem os eleitores paranaenses como se fossem mágicos peritos em falsear a realidade; "Tem gente que quer olhar pra frente e apagar o passado" e outro que "procura um Paraná que acredite em Papai Noel, coelhinho da Páscoa, propaganda enganosa e promessas não cumpridas"; especialista em políticas públicas, Requião Filho recomenda estilo de conduta: “Sejamos como o carvalho que a cada tempestade finca mais fundo as suas raízes, a cada raio reforça seu caule, a cada ventania dança ao vento, mas mantém-se firme e plantado no chão que o nutre”; leia o texto e compartilhe.

Requião Filho, em sua coluna desta quinta, sem citar nomes, critica os marqueteiros Oliveiros Marques, da petista Gleisi Hoffmann, e Marcelo Cattani, do tucano Beto Richa; segundo o colunista, os profissionais da propaganda iludem os eleitores paranaenses como se fossem mágicos peritos em falsear a realidade; “Tem gente que quer olhar pra frente e apagar o passado” e outro que “procura um Paraná que acredite em Papai Noel, coelhinho da Páscoa, propaganda enganosa e promessas não cumpridas”; especialista em políticas públicas, Requião Filho recomenda estilo de conduta: “Sejamos como o carvalho que a cada tempestade finca mais fundo as suas raízes, a cada raio reforça seu caule, a cada ventania dança ao vento, mas mantém-se firme e plantado no chão que o nutre”; leia o texto e compartilhe.

Requião Filho*

A minha história, o meu caráter, o meu rumo são definidos pelo meu passado, pela minha criação. O meu partido tem tradição, e dessa tradição eu tenho orgulho. Represento e sustento os programas do PMDB, que nasceram da indignação e da luta de um povo contra a ditadura. Sei porque sou PMDBista, sei de onde veio o Partido, reconheço os erros que foram cometidos e luto dentro da agremiação para que eles não sejam repetidos. Me sinto à vontade dentro do PMDB.

Tem gente que quer olhar pra frente e apagar o passado. Perigo (!) eminente uma vez que, se buscam esquecer o passado, com certeza cometerão os mesmos erros.

Somos nós consequências de nossos erros e o somatório de nossos acertos. Crescemos quando tomamos consciência de nossos erros e corrigimos nosso rumo. Aprender com nossos erros é obrigação, estudar o passado e aprender com os erros daqueles que nos precederam pode evitar que erremos em vão. Como pode alguém saber onde quer chegar se quer ignorar de onde veio?

Outra explicação, mais simples, é a vergonha e a vontade de querer esconder um passado. Querem que nós apaguemos de nossa memória um passado recente, querem olhar para a frente simplesmente porque não conseguem justificar e explicar o que fizeram.

Não gostei dessa história de esconder o passado e querer olhar pra frente… especialmente sendo este o slogan de um partido que, como o PMDB, nasceu forjado na luta. No caso, o PT foi fundado por gente de esquerda e por sindicalistas que se confundiram em certo momento com a nossa história.

Os esquerdas de Gramsci acreditaram no viés leninista dos sindicalizados do ABC e em levante por direitos dos trabalhadores recolheram trotskistas e até stalinistas, se organizaram, e com uma militância invejável lutaram, insistiram na política até chegarem à Presidência de nossa República.

Essa história merece respeito, merece ser contada e usada como exemplo por alguns de nossos partidos brasileiros. Esconder e renegar toda uma história é estranho, e quem renega os seus não merece o apoio daqueles que ajudaram a escrever a história do Brasil.

Mas entendo… não é o PT que tem vergonha de sua história! O problema deve ser um marqueteiro, que busca desassociar a candidata PTista daquilo que ele acredita assustar os eleitores mais conservadores do Paraná. O pior é um candidato do PT aceitar isto!

Será que ela não quer olhar para trás e reconhecer os avanços sociais da era Lula? Será que o mensalão e a nomeação de assessores presos por crimes inomináveis ou deputados afastados por práticas que o PT abomina é tudo que ela vê no passado de seu partido? Seria a candidata um corpo estranho à militância deste que é o segundo maior partido do Brasil?

Vamos olhar para trás, vamos aprender com aqueles que sabem mais do que nós mais novos. Respeitar e aprender com quem já tem experiência não é demérito, é sinal de amadurecimento. Honrar quem construiu uma história, não esquecer de onde viemos, aprender e evoluir com os erros do passado nos fazem evoluir e, sim, seguir em frente.

Ser uma metamorfose ambulante pode ser perigoso. O político que se ajusta ao recipiente assim como um líquido (por mais viscoso) não é bom para o país. Sejamos como o carvalho que a cada tempestade finca mais fundo as suas raízes, a cada raio reforça seu caule, a cada ventania dança ao vento, mas mantém-se firme e plantado no chão que o nutre. Façamos como o carvalho e nos dias de sol cresçamos e na adversidade nós fortaleçamos carregando em nós com orgulho as cicatrizes de nossa história.

Em relação ao outro slogan não há nem o que discutir. O outro procura um Paraná que acredite em Papai Noel, coelhinho da Páscoa, propaganda enganosa e promessas não cumpridas. Esses não têm história, não têm obras, não têm do que se orgulhar. Eles são do grupo que nunca: que nunca elevou o tom de voz, que nunca falou um palavrão, que nunca se indignou diante da miséria, que nunca aprendeu que respeito é muito mais que uma palavra de marqueteiro jogada na mídia e pretexto para o desleixo, a incompetência e a preguiça.

*Requião Filho é advogado, especialista em políticas públicas, escreve às quintas no Blog do Esmael.

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS
Charge de Paixão - Gazeta do Povo (PR).

Charge de Paixão – Gazeta do Povo (PR).

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

capa_zero_horaJornais do Paraná

- Gazeta do Povo: ¡Hola! ¿Qué tal?

- Bem Paraná: Copa “afunda” comércio de Curitiba

- Jornal Metro: Eles chegaram

- Jornal de Londrina: Devassa em financeras acha contratos em branco

- Folha de Londrina: Paraná contabiliza 8 assassinatos por dia no primeiro trimestre

- O Diário (Maringá): Apenas 19% das obras do PAC estão prontas

- Diário dos Campos: Protesto do transporte acaba e prisão

- Jornal da Manhã: Tetra Pak investe outros R$ 150 milhões em PG

- O Paraná: Burocracia trava obras e gera multas a municípios

- Gazeta do Paraná: Sindicatos prometem retomar os protestos

- Jornal Hoje: Parecer libera pagamento de 14º a agentes de saúde

- Gazeta do Iguaçu: Motoristas e cobradores de Foz param no dia 5

- Diário do Noroeste: Rampas de acesso não podem criar obstáculos nas calçadas, alerta Prefeitura

- Tribuna de Cianorte: Volume de doação de sangue precisa aumentar 30% no PR

- Umuarama Ilustrado: A humilhação continua. Argentina vai à final

- Tribuna do Norte: Voos em alta

Jornais de outros estados

- Globo: Arruda se torna ficha-suja e continua candidato

- Folha: ‘O trabalho não foi de todo ruim’, diz Felipão

- Estadão: Dilma tenta se descolar de fracasso da seleção

- Correio: Do baile alemão ao tango argentino

- Valor: China mostra interesse em leilões de ferrovias

- Estado de Minas: É preciso saber perder

- Zero Hora: Los hermanos contra Alemanha

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

Líder do governo Ademar Traiano (PSDB) diz que está sendo vítima de censura e perseguição da ex-ministra e senadora Gleisi Hoffmann; tucano reivindica direito de opinar sobre a atuação política da petista ao mesmo tempo em que garante que os textos foram publicados em período que ambos ainda não eram candidatos; Justiça Eleitoral aplicou multa de R$ 5 mil no guru de Richa por causa da coluna publicada no Blog do Esmael, que é contra a judicialização da opinião e condena quaisquer ações que visem à censura.

Líder do governo Ademar Traiano (PSDB) diz que está sendo vítima de censura e perseguição da ex-ministra e senadora Gleisi Hoffmann; tucano reivindica direito de opinar sobre a atuação política da petista ao mesmo tempo em que garante que os textos foram publicados em período que ambos ainda não eram candidatos; Justiça Eleitoral aplicou multa de R$ 5 mil no guru de Richa por causa da coluna publicada no Blog do Esmael, que é contra a judicialização da opinião e condena quaisquer ações que visem à censura.

O deputado estadual Ademar Traiano (PSDB), líder e guru do governo Beto Richa (PSDB), nesta quarta (9), contestou decisão do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) que lhe impôs multa de R$ 5 mil por suposta propaganda ilícita.

Segundo decisão monocrática do desembargador Guido Döbeli, atendendo pedido da candidata a governadora pela coligação Paraná Olhando Pra Frente, Gleisi Hoffmann (PT), o tucano fez campanha eleitoral antecipada na coluna semanal no Blog do Esmael.

Traiano diz que está sendo vítima de censura e perseguição da ex-ministra e senadora petista. Ele reivindica o direito de opinar sobre a atuação política de Gleisi ao mesmo tempo em que garante que os textos foram publicados em período que ambos ainda não eram candidatos.

Sem entrar no mérito do conteúdo do parlamentar colunista, o Blog do Esmael é contra a judicialização da opinião e condena quaisquer ações que visem à censura.

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

Se Deus é brasileiro, o papa é argentino; los hermanos farão final da 'Copa das Copas', neste domingo (13), no Maracanã, contra a Alemanha; Nesta quarta (9), a Argentina bateu a Holanda por 4 a 2 nos pênaltis; as duas seleções empataram em zero a zero no tempo regulamentar e na prorrogação.

Se Deus é brasileiro, o papa é argentino; los hermanos farão final da ‘Copa das Copas’, neste domingo (13), no Maracanã, contra a Alemanha; Nesta quarta (9), a Argentina bateu a Holanda por 4 a 2 nos pênaltis; as duas seleções empataram em zero a zero no tempo regulamentar e na prorrogação.

A ‘Copa das Copas’ promete uma final eletrizante neste domingo (13) no Maracanã, no Rio, entre Argentina e Alemanha. É o clássico da América Latina contra a Europa.

Nesta quarta (9), a Argentina bateu a Holanda por 4 a 2 nos pênaltis. As duas seleções empataram em zero a zero no tempo regulamentar e na prorrogação.

Los hermanos vão realizar a final em clima de revanche com os alemães, que na Copa de 1990 ficaram com a taça jogando na Itália.

Já o Brasil, depois da escorregada em campo diante dos germânicos, ontem, por 7 a 1, enfrentará no sábado (12) a Holanda pelo terceiro lugar.

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

via Brasil 247

Investimento editorial do jornal em papel de maior circulação do País foi no partido de que Brasil sofreria colapso fora dos gramados, mas Seleção daria show dentro das quatro linhas; aconteceu exatamente o contrário; País festejou, mostrou face hospitaleira e infraestrutura funcionou; agora atacado, time do técnico Felipão foi apoiado desde a convocação e até na forma festiva de concentração; colunistas elogiaram esquema tático; ufanismo científico, digamos, definiu cobertura esportiva do jornal da família Frias; próximo passo é seguir atacando política econômica.

Investimento editorial do jornal em papel de maior circulação do País foi no partido de que Brasil sofreria colapso fora dos gramados, mas Seleção daria show dentro das quatro linhas; aconteceu exatamente o contrário; País festejou, mostrou face hospitaleira e infraestrutura funcionou; agora atacado, time do técnico Felipão foi apoiado desde a convocação e até na forma festiva de concentração; colunistas elogiaram esquema tático; ufanismo científico, digamos, definiu cobertura esportiva do jornal da família Frias; próximo passo é seguir atacando política econômica.

No partido editorial adotado para a cobertura da Copa do Mundo no Brasil, o jornal Folha de S. Paulo, repleto de estatísticas, conseguiu um feito e tanto: errou 100%. No dia 12 de junho, quando o Mundial começou em São Paulo, a manchete do diário de maior circulação do País dizia: Copa começa hoje com seleção em alta e organização em xeque. O que se viu, a partir dali, foi exatamente o contrário da previsão embutida na chamada principal. Quem estava mesmo sob suspeita era o time convocado e escalado pelo técnico Felipão, apesar dos elogios em cascata dos colunistas da própria Folha. (mais…)

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS
Copyright © 2009 Blog do Esmael. Todos os direitos reservados.