via Brasil 247

Não registrada no TSE, pesquisa interna da campanha de Dilma Rousseff aponta Aécio Neves com 46% contra 43% para candidata à reeleição; entre votos válidos, placar ficou em 52% a 48% a favor do tucano; informação é da jornalista Monica Bergamo, do jornal Folha de S. Paulo; comando petista esperava sair atrás, em razão de crescimento do adversário no primeiro turno, e dirigentes saudaram situação de empate técnico; partido aumenta mobilização enquanto Aécio soma apoios; disputa acirrada.

Não registrada no TSE, pesquisa interna da campanha de Dilma Rousseff aponta Aécio Neves com 46% contra 43% para candidata à reeleição; entre votos válidos, placar ficou em 52% a 48% a favor do tucano; informação é da jornalista Monica Bergamo, do jornal Folha de S. Paulo; comando petista esperava sair atrás, em razão de crescimento do adversário no primeiro turno, e dirigentes saudaram situação de empate técnico; partido aumenta mobilização enquanto Aécio soma apoios; disputa acirrada.

O comando da campanha do PT esperava mesmo sair em desvantagem em relação ao adversário do PSDB no segundo turno, e uma pesquisa interna saiu dentro das expectativas, mas melhor do que poderia ter sido. Segundo a colunista Monica Bergamo, do jornal Folha de S. Paulo, um tracking feito pela campanha de Dilma apurou 46% de intenções de votos para Aécio Neves, contra 43% para a presidente. Na contagem de intenções de votos válidos, o placar ficou em 52% a 48% para o tucano sobre a petista.

O levantamento informal, sem registro TSE, motivou os petistas. O advogado e ex-deputado Luiz Eduardo Greenhalgh foi um dos primeiros a se manifestar, conclamando a militância a não acreditar nos números dos institutos de pesquisas tradicionais. (mais…)

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

Pelo Twitter, Ricardo Gomyde abriu mão da possibilidade de ser escolhido como secretário de Esporte na gestão Beto Richa; "O @esmaelmorais escreve uma sandice e alguns tomam como verdadeiro. Dura a vida!", tuitou o ex-candidato ao Senado pelo PCdoB; nesta quinta-feira, fontes do Palácio Iguaçu confirmaram a veracidade da lista de secretariáveis vazada ontem pela manhã; "Se Gomyde disse 'não', ótimo, mais um cargo para negociarmos com os aliados", comemorou um palaciano.

Pelo Twitter, Ricardo Gomyde abriu mão da possibilidade de ser escolhido como secretário de Esporte na gestão Beto Richa; “O @esmaelmorais escreve uma sandice e alguns tomam como verdadeiro. Dura a vida!”, tuitou o ex-candidato ao Senado pelo PCdoB; nesta quinta-feira, fontes do Palácio Iguaçu confirmaram a veracidade da lista de secretariáveis vazada ontem pela manhã; “Se Gomyde disse ‘não’, ótimo, mais um cargo para negociarmos com os aliados”, comemorou um palaciano.

O ex-candidato ao Senado Ricardo Gomyde, do PCdoB, nesta quinta-feira (9), pelo Twitter, disse “NÃO” às pretensões do governador reeleito Beto Richa (PSDB) em tê-lo na Secretaria de Estado do Esporte:

O Blog do Esmael fez o check-in da lista hoje dos novos secretariáveis de Richa, previstos a partir de 2015, conforme divulgado ontem. O Palácio Iguaçu confirmou todos os nomes lembrados aqui, mas advertiu que poderá haver mudanças na semana que vem. “A eleição de Aécio Neves abrirá novas oportunidades”, diz um tucano de cinco estrelas.

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

via Brasil 247

Em Salvador, onde faz campanha nesta quinta, a presidente Dilma Rousseff rebateu as declarações "preconceituosas" do ex-presidente FHC de que "o PT está fincando nos menos informados" e aproveitou para falar que espera debate de "alto nível" com o candidato do PSDB, Aécio Neves; "Essa eleição é fundamental. Eu discordo do baixo nível, destilando o ódio. Essa história de falar que nossos votos são de pessoas ignorantes. Isso mostra o preconceito e o desconhecimento. As pessoas não são ignorantes coisa nenhuma. O povo é informado, tem ideias próprias, não precisa de ninguém vir explicar. Tem que ter respeito".

Em Salvador, onde faz campanha nesta quinta, a presidente Dilma Rousseff rebateu as declarações “preconceituosas” do ex-presidente FHC de que “o PT está fincando nos menos informados” e aproveitou para falar que espera debate de “alto nível” com o candidato do PSDB, Aécio Neves; “Essa eleição é fundamental. Eu discordo do baixo nível, destilando o ódio. Essa história de falar que nossos votos são de pessoas ignorantes. Isso mostra o preconceito e o desconhecimento. As pessoas não são ignorantes coisa nenhuma. O povo é informado, tem ideias próprias, não precisa de ninguém vir explicar. Tem que ter respeito”.

Em Salvador, onde faz campanha nesta quinta-feira (9), a presidente Dilma Rousseff concedeu entrevista à rádio Metrópole e rebateu as declarações “preconceituosas” do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso de que “o PT está fincando nos menos informados”. A petista aproveitou para falar que espera debate de “alto nível” neste segundo turno contra o candidato do PSDB, Aécio Neves.

“Essa eleição é fundamental. Eu discordo do baixo nível, destilando o ódio. Essa história de falar que nossos votos são de pessoas ignorantes. Isso mostra o preconceito e o desconhecimento. As pessoas não são ignorantes coisa nenhuma. O povo é informado, tem ideias próprias, não precisa de ninguém vir explicar. Tem que ter respeito”. (mais…)

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

via Brasil 247

Senador tucano marca oito pontos de vantagem em primeira pesquisa do segundo turno; adesões do PSB, PV e PSC, além de declaração de neutralidade do PSOL, agregam boas notícias para Aécio Neves; comando da campanha da presidente Dilma Rousseff vai usar carta do elitismo tucano para buscar desconstrução do adversário; com Marina Silva deu certo, mas histórico mostra que quem sai na frente no segundo turno carrega vantagem até as urnas; PT desafiado a sair do córner.

Senador tucano marca oito pontos de vantagem em primeira pesquisa do segundo turno; adesões do PSB, PV e PSC, além de declaração de neutralidade do PSOL, agregam boas notícias para Aécio Neves; comando da campanha da presidente Dilma Rousseff vai usar carta do elitismo tucano para buscar desconstrução do adversário; com Marina Silva deu certo, mas histórico mostra que quem sai na frente no segundo turno carrega vantagem até as urnas; PT desafiado a sair do córner.

O que já era percebido nos comandos das campanhas presidenciais ganhou os primeiros números de pesquisas: o senador Aécio Neves largou  na frente da presidente Dilma Rousseff no segundo turno. Com 54% das intenções de votos válidos para o dia 26 deste mês, segundo o Instituto Paraná de Pesquisas, o tucano apareceu 8 pontos à frente da petista, que marcou 46%. Esses porcentuais poderão variar nos próximos levantamentos, mas não se acredita numa inversão imediata de posições entre os candidatos.

O primeiro quadro é mesmo balizador. Nele, se para o PSDB se manter na dianteira a fórmula parece ser a de fazer ‘mais do mesmo’, no caso do PT a tarefa é mais difícil. A partir de agora, o favoritismo trocou de lado e vai sendo encorpado pelo adversário. O histórico de eleições resolvidas em segundo turno mostra que o candidato que larga na frente, como fez a própria Dilma em relação a José Serra, em 2010, chega na frente também nas urnas. (mais…)

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

PTC expulsou ex-candidato ao governo Túlio Bandeira, três dias depois da eleição; insuficiência eleitoral?; não; “infidelidade partidária”, segundo Marcelo Sampaio, o interventor; Bandeira é cotadíssimo para o primeiro escalão do governo Richa, a partir de 2015, conforme lista vazada pelo Palácio Iguaçu.

PTC expulsou ex-candidato ao governo Túlio Bandeira, três dias depois da eleição; insuficiência eleitoral?; não; “infidelidade partidária”, segundo Marcelo Sampaio, o interventor; Bandeira é cotadíssimo para o primeiro escalão do governo Richa, a partir de 2015, conforme lista vazada pelo Palácio Iguaçu.

O advogado Túlio Bandeira, ex-candidato ao governo do Paraná, foi expulso ontem do Partido Trabalhista Cristão (PTC) por “infidelidade partidária”. Ele apoiou no primeiro turno Marina Silva (PSB), enquanto a direção nacional orientava pelo apoio a Aécio Neves (PSDB).

Bandeira não é nenhum craque das urnas, pois obteve apenas 13.700 sufrágios no último domingo (5), o equivalente a 0,23% dos votos válidos do Paraná.

Pois bem, o ex-candidato do PTC é cotado para ocupar cargo de primeira grandeza no secretariado de Beto Richa (PSDB), com quem tabelou nos debates e no horário eleitoral gratuito.

De acordo com lista vazada ontem pelo Palácio Iguaçu (clique aqui), Túlio Bandeira é lembrado para a Procuradoria Geral do Estado ou até mesmo para a Secretaria de Justiça, Cidadania e Direitos Humanos.

Marcelo Sampaio, nomeado interventor no PTC paranaense, veta a participação do ex-candidato do partido no governo Richa. Segundo ele, a agremiação tem outros quadros para o primeiro escalão do tucano.

Agora, Túlio diz que apoia Aécio no segundo turno. Mas para o PTC os meios não justificam os fins.

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

Governo Beto Richa cria no Paraná o "Bolsa-Batom"; curso de Automaquiagem começará nesta quinta-feira (9) na Sala de Reunião do Estado Maior da Polícia Militar; modelo poderá ser copiado pelo presidenciável Aécio Neves, caso seja eleito em 26 de outubro; além do "Bolsa-Batom", policiais voltaram esta semana a empurrar viaturas sem combustível pelas ruas paranaenses (reveja o vídeo).

Governo Beto Richa cria no Paraná o “Bolsa-Batom”; curso de Automaquiagem começará nesta quinta-feira (9) na Sala de Reunião do Estado Maior da Polícia Militar; modelo poderá ser copiado pelo presidenciável Aécio Neves, caso seja eleito em 26 de outubro; além do “Bolsa-Batom”, policiais voltaram esta semana a empurrar viaturas sem combustível pelas ruas paranaenses (reveja o vídeo).

Quarenta e oito horas depois de sua reeleição no primeiro turno, o governador Beto Richa (PSDB) autorizou o comando da Polícia Militar do Paraná a criar o “Bolsa-Batom”. Certamente, um modelo para o resto do país.

Pela “intranet”, a rede de computadores privada da PM, a Assessoria de Comunicação Social da corporação anuncia para esta quinta-feira, dia 9, “Curso de Automaquiagem Mary Kay” que acontecerá na Sala de Reunião do Estado Maior.

O “Bolsa-Batom”, como o benefício vem sendo chamando pelos praças, poderia servir de modelo para o presidenciável tucano Aécio Neves. O adversário da presidenta Dilma Rousseff, numa dessas visitas ao Paraná, disse que copiaria o “choque de gestão” de Richa para o resto do país.

Nunca é demais recordar que, 24 horas depois de reeleito, conforme registro do Blog do Esmael, policiais militares voltaram a empurrar viaturas sem combustível. Em nota oficial, o governo Richa afirmou que o veículo Renault sofreu pane elétrica, embora o giroflex funcionasse (veja o vídeo).

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

Requião Filho, em sua coluna desta quinta-feira, revigorado pelas as urnas que lhe conferiram o primeiro mandato de deputado estadual, estranha que a mídia tradicional só volte a retratar a realidade do Estado após as eleições; "... deu para entender que a bruma que cegou a mídia ou era eleitoreira ou atendia a uma pauta", fulmina o colunista; "Meus olhos não serão cegados por troca de cargos e favores, meus ouvidos estarão atentos às criticas e sugestões de nossa população e minha voz jamais se calará diante da falta de governo e de propostas que prejudiquem o povo paranaense", avisa Requião Filho, ao adiantar que será oposição ao governo Beto Richa na Assembleia Legislativa do Paraná; leia o texto e compartilhe.

Requião Filho, em sua coluna desta quinta-feira, revigorado pelas as urnas que lhe conferiram o primeiro mandato de deputado estadual, estranha que a mídia tradicional só volte a retratar a realidade do Estado após as eleições; “… deu para entender que a bruma que cegou a mídia ou era eleitoreira ou atendia a uma pauta”, fulmina o colunista; “Meus olhos não serão cegados por troca de cargos e favores, meus ouvidos estarão atentos às criticas e sugestões de nossa população e minha voz jamais se calará diante da falta de governo e de propostas que prejudiquem o povo paranaense”, avisa Requião Filho, ao adiantar que será oposição ao governo Beto Richa na Assembleia Legislativa do Paraná; leia o texto e compartilhe.

Requião Filho*

Em primeiro lugar, passado o período eleitoral, aproveito a coluna para agradecer a confiança em mim depositada nas urnas e me comprometo, em mais esta oportunidade, a trabalhar com garra e coragem pelo Estado do Paraná.

Seguindo atentamente o andamento de toda a engrenagem, venho mostrar indignação com algumas notícias que passaram a surgir na imprensa nesta semana.

Acabaram as eleições para o Governo do Estado e de repente, não mais que de repente, a mídia paranaense passou a enxergar novamente o Paraná – O Paraná real.

A mídia noticiou que escolas no Paraná estão desde 2013 com laudos informando a situação precária e nada foi feito (clique aqui); a escola está abandonada, destruída e o governo sabe disso desde o ano passado e nada fez.

Mas o que me incomoda é que a imprensa que nos últimos meses tanto elogiou e tanto defendeu só venha agora saber dessas pautas depois do período eleitoral. O bombeiro interditou a escola de tão feia a situação, será que ficou tão ruim do dia 05 de outubro para cá?

Outra realidade que só veio à tona depois da campanha eleitoral foi o aumento absurdo em casos de homicídios em Curitiba. Os homicídios disparam em Curitiba e crescem 15% em relação ao ano passado.

Será que cresceram tanto só do dia 05 pra cá? Veja o que diz um trecho da matéria sobre o atual modelo de segurança pública do Governo: “Um oficial de alta patente da Polícia Militar do Paraná criticou o modelo de segurança pública do Paraná. Como tem um posto de confiança, pediu para não ter o nome identificado. Segundo ele, as Unidades Paraná Seguro são deficitárias e não adianta mudar o programa se o ciclo completo de polícia não for implantado”.

A realidade vista por esse grupo de comunicação mudou muito depois do sufrágio, agora publica sociólogos relatando que “o modelo de segurança pública brasileiro e as políticas estaduais para a área estão equivocados”. Segundo ele, o programa Unidade Paraná Seguro (UPS) já não tem mais impacto.

“São tentativas. A polícia faz operações, iniciou as UPSs, mas não altera a política pública de fato”, explicou Bueno. Na avaliação dele, é mais do mesmo. “Não há política pública [existente] hoje capaz de reverter esses índices inadmissíveis” (sociólogo da Pontifícia Universidade Católica do Paraná, PUCPR, Cézar Bueno).

Agora depois do pleito o Paraná volta a ser desnudado, os interesses pessoais já foram atingidos, não mais interessa mascarar a realidade paranaense da falta de Estado, da falta de programas sociais, falta de planejamento urbano (regularização fundiária)… Bem, deu para entender que a bruma que cegou a mídia ou era eleitoreira ou atendia a uma pauta.

Contem comigo para daqui para frente me ater aos fatos e trazer à luz barbáries como essas. Meus olhos não serão cegados por troca de cargos e favores, meus ouvidos estarão atentos às criticas e sugestões de nossa população e minha voz jamais se calará diante da falta de governo e de propostas que prejudiquem o povo paranaense.

Oposição clara e firme, de forma inteligente com base em fatos e estudando bem as matérias. Não é fazer oposição pela oposição. Quando e SE vier alguma proposta do governo que traga benefícios ao nosso povo podem ter certeza que o meu apoio será imediato.

*Requião Filho é advogado, deputado estadual eleito pelo PMDB, especialista em políticas públicas. Escreve às quintas no Blog do Esmael.

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS
Charge de Nani para A Charge Online

Charge de Nani para A Charge Online

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

capa_20141009Jornais do Paraná

Gazeta do Povo: Ex-diretor detalha esquema de propina na Petrobras

Bem Paraná: Paraná tem mais potencial de energia solar que a Alemanha

Jornal Metro: Inflação sobe e chega ao maior nível em três anos

Jornal de Londrina: Setor de TI se prepara para voar mais alto

Folha de Londrina: Costa e Youssef confirmam pagamento de propina para políticos de três partidos

O Diário (Maringá): Trechos da Colombo são os mais perigosos do PR

Diário dos Campos: Aécio 54%, Dilma 46% aponta pesquisa para o segundo turno

Jornal da Manhã: Execução milionária deixa prefeitura de PG com o caixa apertado

Tribuna do Interior: Para todos os gostos

O Paraná: Consórcio recorre ao STJ para retomar obra de usina

Gazeta do Paraná: Inflação tem maior pico desde outubro de 2011

Jornal Hoje: MLST convoca sem-terra da região para invadir área

Gazeta do Iguaçu: Infraero conclui as obras do aeroporto

Diário do Noroeste: Dia das crianças movimento comércio de Paranavaí

Tribuna de Cianorte: Aécio Neves deve ser eleito presidente do Brasil

Umuarama Ilustrado: Setor de alimentação se expande em Umuarama e já falta mão de obra

Tribuna do Norte: Três crianças sofrem maus-tratos por dia em Apucarana

Jornais de outros estados

Globo: Costa: desvio na Petrobras irrigou campanhas do PT, PMDB e PP

Folha: Esquema beneficiou PT, PP e PMDB em 2010, diz delator

Estadão: Ex-diretor da Petrobrás diz que pagou propina ao PT, ao PMDB e ao PP

Correio Braziliense: Rollemberg e Cristovam reforçam apoio a Aécio

Valor: Custo da energia a vista pode cair 50% em 2015

Estado de Minas: PSB formaliza apoio a Aécio

Zero Hora: Propina beneficiou PT, PP e PMDB em 2010, diz delator

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

Requião pretende concentrar a campanha em Curitiba e na região metropolitana. A ideia é virar a eleição em uma área que concentra cerca de 2,2 milhões ou quase 30% do eleitorado paranaense (7,8 milhões). No Paraná, Aécio Neves (PSDB) conquistou 49,79% votos no primeiro turno, Dilma fez 32,54% e Marina Silva (PSB) atingiu 14,20%. Em Curitiba a vantagem do tucano foi ainda maior: 54,55 % contra 20,20% de Marina e apenas 18,79% de Dilma.

Requião pretende concentrar a campanha em Curitiba e na região metropolitana. A ideia é virar a eleição em uma área que concentra cerca de 2,2 milhões ou quase 30% do eleitorado paranaense (7,8 milhões). No Paraná, Aécio Neves (PSDB) conquistou 49,79% votos no primeiro turno, Dilma fez 32,54% e Marina Silva (PSB) atingiu 14,20%. Em Curitiba a vantagem do tucano foi ainda maior: 54,55 % contra 20,20% de Marina e apenas 18,79% de Dilma.

O senador Roberto Requião (PMDB), ex-candidato ao governo do Paraná, assumiu nesta quarta-feira (8) a coordenação geral da campanha pela reeleição de Dilma Rousseff (PT) no estado. A confirmação do Palácio do Planalto ocorreu no início desta noite.

Ao Blog do Esmael, Requião informou que pretende concentrar a campanha em Curitiba e na região metropolitana. A área concentra cerca de 2,2 milhões ou quase 30% do eleitorado paranaense (7,8 milhões).

O novo coordenador da campanha de Dilma informou que pretende virar a disputa no Paraná com muita mobilização de trabalhadores. Ele disse que convocará uma grande reunião com os sindicalistas e movimentos populares para as próximas horas, assim que retorne de Brasília.

No Paraná, Aécio Neves (PSDB) conquistou 49,79% votos no primeiro turno, Dilma fez 32,54% e Marina Silva (PSB) atingiu 14,20%.

Em Curitiba a vantagem do tucano foi maior ainda: 54,55 % contra 20,20% de Marina e apenas 18,79% de Dilma.

Requião relatou que manteve a estrutura de comitês regionais da sua campanha. O peemedebista recebeu 27,56% dos votos dos paranaenses no último domingo. Na capital, ele teve 30,69% dos votos.

O PT deverá trabalhar junto com o senador do PMDB no esforço de reeleger Dilma. A petista Gleisi Hoffmann ficou em terceiro na luta pelo Palácio Iguaçu com 14,87% dos votos paranaenses e fez 11,65% dos votos dos curitibanos.

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

Aécio Neves sai na frente na primeira pesquisa deste segundo turno; de acordo com a Paraná Pesquisas, de Murilo Hidalgo, na estimulada, o tucano tem 49% contra 41% de Dilma. Instituto entrevistou 2.080 eleitores em 19 estados e 152 municípios brasileiros entre segunda-feira (6) e hoje (8).

Aécio Neves sai na frente na primeira pesquisa deste segundo turno; de acordo com a Paraná Pesquisas, de Murilo Hidalgo, na estimulada, o tucano tem 49% contra 41% de Dilma. Instituto entrevistou 2.080 eleitores em 19 estados e 152 municípios brasileiros entre segunda-feira (6) e hoje (8).

Se a eleição de segundo turno fosse hoje, Aécio Neves (PSDB) faria 49% dos votos e Dilma teria 41%. Este é o resultado de uma sondagem estimulada da Paraná Pesquisas, de Murilo Hidalgo, que entrevistou 2.080 eleitores em 19 estados e 152 municípios brasileiros entre segunda-feira (6) e hoje (8).

Este é o primeiro levantamento realizado no segundo turno cuja margem de erro é de 2,2% para mais ou para menos. A pesquisa encontra-se registrada no TSE sob o nº BR 01065/2014.

Na espontânea, Aécio tem 45% contra 39% de Dilma.

Quando são computados apenas os votos válidos, sem brancos e nulos, o tucano 54% contra 46% da petista.

Clique aqui para ler a íntegra da pesquisa: (mais…)

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

da Agência Brasil

“O partido não está se posicionando em favor de nenhuma candidatura, mas é contra a de Aécio”, afirmou Luciana Genro, que disputou a Presidência da República pelo PSOL e ficou em quarto lugar, com mais de 1,6 milhão de votos. Em entrevista na tarde de hoje (8), Luciana disse que não é uma posição totalmente neutra, porque, embora não se alinhe a qualquer dessas opções, nega o voto em Aécio. O deputado do partido Marcelo Freixo, mais votado do Rio, anunciou ontem (7) apoio a Dilma.

“O partido não está se posicionando em favor de nenhuma candidatura, mas é contra a de Aécio”, afirmou Luciana Genro, que disputou a Presidência da República pelo PSOL e ficou em quarto lugar, com mais de 1,6 milhão de votos. Em entrevista na tarde de hoje (8), Luciana disse que não é uma posição totalmente neutra, porque, embora não se alinhe a qualquer dessas opções, nega o voto em Aécio. O deputado do partido Marcelo Freixo, mais votado do Rio, anunciou ontem (7) apoio a Dilma.

Por maioria absoluta de votos [15 a 2], a Executiva do PSOL decidiu liberar seus filiados e não apoiar qualquer candidatura no segundo turno das eleições presidenciais.

Mesmo sem declarar apoio à candidata do PT à reeleição, Dilma Rousseff, o partido vai recomendar aos militantes que não votem no candidato do PSDB, Aécio Neves. “Não é cabível qualquer apoio de nossos filiados à sua candidatura”, diz documento do PSOL sobre o tucano. (mais…)

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

via Brasil 247

Índice vive dia de montanha-russa; chegou a subir 1,31% na abertura do pregão desta quarta-feira 8, em meio a especulações eleitorais, mas depois sofreu queda de mais de 2% em meio a rumores de que uma denúncia contra o candidato Aécio Neves (PSDB) pode ser divulgada na imprensa; informações, porém, não foram publicadas nem confirmadas até o momento; com a indicação do Fed de que manterá as taxas de juros baixas por "tempo considerável", a Bovespa amenizou as perdas, caindo 0,28% às 16h29.

Índice vive dia de montanha-russa; chegou a subir 1,31% na abertura do pregão desta quarta-feira 8, em meio a especulações eleitorais, mas depois sofreu queda de mais de 2% em meio a rumores de que uma denúncia contra o candidato Aécio Neves (PSDB) pode ser divulgada na imprensa; informações, porém, não foram publicadas nem confirmadas até o momento; com a indicação do Fed de que manterá as taxas de juros baixas por “tempo considerável”, a Bovespa amenizou as perdas, caindo 0,28% às 16h29.

O Ibovespa vive um dia de montanha-russa. O índice chegou a subir 1,31% na abertura do pregão em meio a especulações eleitorais, passou a cair forte em meio a especulações sobre a Ata do Fomc (Federal Open Market Committee) e passou a despencar mais de 2% em meio a rumores de que uma denúncia afetaria Aécio Neves (PSDB), mas que não foi comprovada. Porém, após a Ata do Fomc, o índice amenizou um pouco as perdas, mas não suficiente para fazer o índice virar para cima.

Petrobras chegou a cair 5,5%, mas amenizou para baixa de cerca de 3%, enquanto o Banco do Brasil zerou as perdas. A ata do Fomc mostrou que o Fed vai manter a expressão “tempo considerável” ao se referir a juros baixos, o dólar diminuiu a sua alta registrada hoje.

Mas os rumores eleitorais pesam mais sobre o índice. “Todos os ativos brasileiros viraram repentinamente após rumores de que a imprensa fará denúncia que pode afetar candidatura de Aécio”, diz Davison Santana, estrategista da Bloomberg. No entanto, até o momento ainda não foi divulgado nem confirmado qualquer teor sobre as informações que estariam para ser divulgadas, assim como a credibilidade das informações. (mais…)

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

Apoio a Aécio racha a União Geral dos Trabalhadores (UGT) no Paraná, que enfrenta resistência de sindicato ligado ao PCdoB; Paulo Rossi, capa preta da central no estado, já havia “tucanado” na reeleição de Beto Richa; nacionalmente, a UGT de Ricardo Patah marchará com a reeleição da presidenta petista Dilma Rousseff.

Apoio a Aécio racha a União Geral dos Trabalhadores (UGT) no Paraná, que enfrenta resistência de sindicato ligado ao PCdoB; Paulo Rossi, capa preta da central no estado, já havia “tucanado” na reeleição de Beto Richa; nacionalmente, a UGT de Ricardo Patah marchará com a reeleição da presidenta petista Dilma Rousseff.

Se nacionalmente o presidente da União Geral dos Trabalhadores (UGT), Ricardo Patah, marchará pela reeleição da presidenta Dilma Rousseff (PT), o mesmo não ocorrerá no Paraná, pois a seção regional da central sindical, comandada por Paulo Rossi, declarou apoio ao presidenciável mineiro Aécio Neves (PSDB).

No Paraná, há divergências sobre a “tucanagem” da UGT. O presidente do Sindicato dos Frentistas (Sinpospetro), Lairson Sena, por exemplo, defende a reeleição de Dilma. Ele é filiado no PCdoB, partido que integra a Coligação com a Força do Povo.

A UGT de Paulo Rossi foi a única central sindical a declarar apoio oficial ao governador reeleito Beto Richa (PSDB). Agora ele quer repetir o feito em relação a Aécio no estado.

“A UGT irá colaborar com o Beto e quiçá com Aécio nas políticas públicas, em especial na área da geração de empregos e na elaboração de projetos visando à construção de moradias aos trabalhadores paranaenses”, discursa Rossi, que é alistado no PSD.

Todas as demais centrais sindicais organizadas no estado — CUT, CTB, Força, NCST, CGTB — declararam apoio à reeleição de Dilma.

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

via Brasil 247

Por falta de quórum mínimo de 34 parlamentares, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara não conseguiu votar o recurso apresentado pela defesa do deputado André Vargas (sem partido-PR) para tentar reverter a decisão do Conselho de Ética que, em agosto, aprovou, por unanimidade, o pedido de cassação de Vargas; sem avanço, o parecer sobre o recurso deve ser votado na próxima quarta-feira (15); até lá, a pauta da CCJ fica trancada.

Por falta de quórum mínimo de 34 parlamentares, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara não conseguiu votar o recurso apresentado pela defesa do deputado André Vargas (sem partido-PR) para tentar reverter a decisão do Conselho de Ética que, em agosto, aprovou, por unanimidade, o pedido de cassação de Vargas; sem avanço, o parecer sobre o recurso deve ser votado na próxima quarta-feira (15); até lá, a pauta da CCJ fica trancada.

Por falta de quórum mínimo de 34 parlamentares, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara não conseguiu votar hoje (8) o recurso apresentado pela defesa do deputado André Vargas (sem partido-PR) para tentar reverter a decisão do Conselho de Ética que, em agosto, aprovou, por unanimidade, o pedido de cassação de Vargas. Sem avanço, o parecer sobre o recurso deve ser votado na próxima quarta-feira (15). Até lá, a pauta da CCJ fica trancada, impedindo que qualquer outra matéria seja votada até que os deputados decidam sobre a situação do parlamentar acusado. (mais…)

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

Lideranças políticas da órbita do PT participaram hoje, em Curitiba, de uma reunião convocada ex-candidata Gleisi Hoffmann; objetivo era tirar agenda de segundo turno para Dilma no Paraná; parte dos petistas e o senador Roberto Requião, do PMDB, travam queda de braço nos bastidores pelo comando da campanha da presidenta no estado; peemedebista chegou a afirmar que, se deixar nas mãos da senadora petista, Aécio Neves faz 80% dos votos dos paranaenses. (Foto: Pri Bailarina).

Lideranças políticas da órbita do PT participaram hoje, em Curitiba, de uma reunião convocada ex-candidata Gleisi Hoffmann; objetivo era tirar agenda de segundo turno para Dilma no Paraná; parte dos petistas e o senador Roberto Requião, do PMDB, travam queda de braço nos bastidores pelo comando da campanha da presidenta no estado; peemedebista chegou a afirmar que, se deixar nas mãos da senadora petista, Aécio Neves faz 80% dos votos dos paranaenses. (Foto: Pri Bailarina).

A senadora Gleisi Hoffman conduziu na manhã desta quarta-feira (8), em Curitiba, uma reunião com os partidos que compunham sua coligação na disputa pelo governo do Paraná. O objetivo foi discutir a campanha de Dilma Rousseff neste segundo turno.

A ex-candidata conquistou 14,87% dos votos dos paranaenses ante os 32,54% obtidos pela presidenta nestas plagas.

Dentre lideranças sindicais e parlamentares eleitos e não eleitos que compuseram a mesa no Hotel Del Rey, centro da capital, estavam o ex-candidato ao Senado, Ricardo Gomyde (PCdoB); deputado federal eleito Enio Verri, presidente estadual do PT; deputado estadual eleito Requião Filho (PMDB).

Uma das principais palavras de ordem que saiu do encontro político de hoje foi de que a campanha deste segundo turno será na rua.

Com exceção da UGT, praticamente todas as demais centrais sindicais organizadas no estado — CUT, CTB, Força, NCST, CGTB — declararam apoio à reeleição de Dilma.

Em relação à coordenação da campanha de Dilma no Paraná, ainda há luta pelo comando. Parte dos petistas trava queda de braço com o senador Roberto Requião (PMDB), que na eleição do domingo obteve 27,56% dos votos.

“Só vamos entrar na campanha se assumirmos a coordenação, afinal temos mais votos no Paraná”, disse Requião Filho, que se retirou da reunião logo no início.

O deputado federal reeleito João Arruda, sobrinho de Requião, confirmou a posição do primo: “Assumimos a coordenação-geral, mas podemos abrir alguns setores para o PT e partidos aliados”, adiantou. “Caso contrário, vamos votar na Dilma, mas não faremos campanha”.

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

via Luiz Nassif/GGN

Emissários do candidato a presidente Aécio Neves (PSDB) teriam levado à Marina Silva (PSB) um convite para que esta assumisse o Ministério das Relações Exteriores, no caso de vitória do tucano. O objetivo seria obter o apoio de Marina que ficou em 3º lugar na disputa presidencial e possui um bom capital político. De quebra, Aécio daria um matiz verde na sua diplomacia.

Emissários do candidato a presidente Aécio Neves (PSDB) teriam levado à Marina Silva (PSB) um convite para que esta assumisse o Ministério das Relações Exteriores, no caso de vitória do tucano. O objetivo seria obter o apoio de Marina que ficou em 3º lugar na disputa presidencial e possui um bom capital político. De quebra, Aécio daria um matiz verde na sua diplomacia.

O jornalista Kennedy Alencar (SBT) cravou em seu blog que assessores de Aécio Neves (PSDB) foram enviados até a ex-ministra Marina Silva (PSB) para convidá-la a ser a futura titular do Ministério das Relações Exteriores. A oferta faz parte da negociação de Aécio pelo apoio de Marina no segundo turno da eleição presidencial contra Dilma Rousseff (PT).

Kennedy destacou que Marina é conhecida internacionalmente, o que lhe daria legitimidade para comandar o Itamaraty. Além disso, ambos compartilham de algumas ideais sobre a política exterma. “Com Aécio e Marina, o Itamaraty daria menos foco ao Mercosul, e tentaria negociar mais com os Estados Unidos e a União Europeia”, analisa o jornalista. (mais…)

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

Com a reeleição de Richa, mundo político agora coloca a Prefeitura de Curitiba na alça da mira; “Ou Fruet muda o secretariado ou fará apenas um mandato”, aconselha um gustavista, que adianta duas pastas que serão mexidas urgentemente: “Meio Ambiente e Comunicação”; segundo a fonte do Palácio 29 de Março, “haverá uma moratória para o presidente do IPPUC porque o órgão foi sucateado nas gestões anteriores”; Palácio Iguaçu até faz circular a informação de que poderá fazer um acordo eleitoral, em 2016, com Fruet, mas falta combinar isso com os russos...

Com a reeleição de Richa, mundo político agora coloca a Prefeitura de Curitiba na alça da mira; “Ou Fruet muda o secretariado ou fará apenas um mandato”, aconselha um gustavista, que adianta duas pastas que serão mexidas urgentemente: “Meio Ambiente e Comunicação”; segundo a fonte do Palácio 29 de Março, “haverá uma moratória para o presidente do IPPUC porque o órgão foi sucateado nas gestões anteriores”; Palácio Iguaçu até faz circular a informação de que poderá fazer um acordo eleitoral, em 2016, com Fruet, mas falta combinar isso com os russos…

“A água bateu na bunda”, admitiu ao Blog do Esmael um dos mais importantes correligionários do prefeito de Curitiba, Gustavo Fruet (PDT), ao analisar o resultado das urnas que reelegeu o governador Beto Richa (PSDB) no primeiro turno no último domingo (5).

“Ou Fruet muda o secretariado ou fará apenas um mandato”, aconselha o gustavista, que aponta de cara duas áreas a ser mexidas de cara: “Meio Ambiente e Comunicação”. Segundo a fonte do Palácio 29 de Março, haverá uma moratória para o presidente do IPPUC, Sérgio Póvoa Pires, porque o órgão foi sucateado nas gestões anteriores. Mas adverte: “Ninguém da equipe é imexível”.

Concomitantemente, o Palácio do Iguaçu relata que um emissário de Fruet mandou recado para Richa faltando dois dias para a eleição: “Que o prefeito iria tirar o pé do acelerador, da campanha da senadora Gleisi Hoffmann, para ajudá-lo a vencer no primeiro turno”. Na véspera da votação, o boi da petista já tinha ido para o brejo com corda e tudo.

O Palácio Iguaçu até faz circular a informação de que poderá fazer um acordo eleitoral, em 2016, com Fruet. No entanto, a falta de política na gestão municipal poderá confirmar a previsão do assiste do prefeito: “apenas um mandato”.

Richa conseguirá segurar aliados que têm fome de poder, ou seja, anseiam marchar sobre Fruet daqui a dois anos? Requião deixará de lançar candidato na capital paranaense, haja vista que possui plantel próprio a exemplo de Requião Filho e do sobrinho João Arruda? Ratinho Júnior (PSC) irá esperar pacientemente sua vez, em 2018, que nunca poderá chegar?

Em 2018, também quererão concorrer ao governo do Paraná pelo grupo Álvaro Dias (PSDB) e a própria vice Cida Borghetti (PROS).

Eis a enrascada em que todos se meteram cuja resolução ainda está bem distante…

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

do Brasil 247

Segundo a jornalista Tereza Cruvinel, colunista do 247, Marina Silva demonstrou até aqui possuir pouca capacidade de influenciar o voto de seus eleitores; “Quando o TSE barrou a Rede, em outubro de 2013, Marina tinha cerca de 20% de preferência nas pesquisas. Eduardo Campos tinha 5%. Os dois se uniram, ela se tornou sua vice mas ele cresceu muito pouco”, lembra; no entanto, ela ressalta que a repercussão do arco de apoios que o presidenciável tucano Aécio Neves vem conquistando é positiva e aponta para a união de todas as forças que desejam tirar o PT do poder.

Segundo a jornalista Tereza Cruvinel, colunista do 247, Marina Silva demonstrou até aqui possuir pouca capacidade de influenciar o voto de seus eleitores; “Quando o TSE barrou a Rede, em outubro de 2013, Marina tinha cerca de 20% de preferência nas pesquisas. Eduardo Campos tinha 5%. Os dois se uniram, ela se tornou sua vice mas ele cresceu muito pouco”, lembra; no entanto, ela ressalta que a repercussão do arco de apoios que o presidenciável tucano Aécio Neves vem conquistando é positiva e aponta para a união de todas as forças que desejam tirar o PT do poder.

Marina Silva tem reproduzido sinais de que irá mesmo apoiar a candidatura de Aécio Neves (PSDB) contra a reeleição da presidente Dilma Rousseff. No entanto, para a jornalista Tereza Cruvinel, colunista do 247, esse movimento pode não significar muita coisa para o tucano em termos de votos. Ela questiona a capacidade da ex-senadora de influenciar seus eleitores. Leia: (mais…)

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

Governador Beto Richa vai contemplar aliados de primeira hora no secretariado, tais como a futura vice Cida Borghetti e o marido Ricardo Barros, o deputado Ratinho Júnior e o atual vice Flávio Arns; partidos e personalidades que tiveram papel na reeleição do tucano também serão aproveitados; as maiores modificações para 2015 serão na administração indireta; confira com exclusividade a lista vazada pelo Palácio Iguaçu.

Governador Beto Richa vai contemplar aliados de primeira hora no secretariado, tais como a futura vice Cida Borghetti e o marido Ricardo Barros, o deputado Ratinho Júnior e o atual vice Flávio Arns; partidos e personalidades que tiveram papel na reeleição do tucano também serão aproveitados; as maiores modificações para 2015 serão na administração indireta; confira com exclusividade a lista vazada pelo Palácio Iguaçu.

O Palácio Iguaçu deixou vazar a lista com os prováveis secretariáveis do governador reeleito Beto Richa (PSDB). De acordo com a cotação que o Blog do Esmael divulga com exclusividade, são grandes as modificações no primeiro escalão que vai ajudar o tucano a partir de 2015. Entretanto, as maiores trocas deverão ocorrer mesmo nas autarquias, empresas públicas, empresas de economia mista e serviços autônomos.

Em tempo: secretarias e autarquias poderão ser ressuscitadas com o intuito de saciar a insaciável fome de aliados por cargos comissionados.

Confira em primeira mão a lista de Beto Richa:

Secretarias de Estado

Casa Civil – Eduardo Sciarra
Secretaria de Governo – Deonilson Roldo
Chefe de Gabinete – Marcelo Cattani
Educação – Laureci Schmitz Rauth
Assuntos Estratégicos – Luiz Abi
Cerimonial e Relações Internacionais – Ezequias Moreira
Infraestrutura e Logística – Pepe Richa
Cultura – Ruth Bolognese
Corregedoria e Ouvidoria – Leon Grupenmacher
Controle Interno – Flávio Arns
Casa Militar – Adilson Castilho Casitas
Relações com a Comunidade – Michele Caputo
Agricultura e Abastecimento – Orlando Pessuti
Saúde – Segisfredo Paz
Segurança Pública – José Alberto de Freitas Iegas
Trabalho, Emprego e Economia Solidária – Paulo Rossi
Fazenda – Luiz Eduardo Sebastiani
Administração e Previdência – Reinold Stephanes
Família e Desenvolvimento Social – Fernanda Richa
Desenvolvimento Urbano – Renato Adur
Comunicação Social – Fábio Campana
Indústria, do Comércio e Assuntos do Mercosul – Irineu Roveda
Meio Ambiente e Recursos Hídricos – Luiz Eduardo Cheida
Ciência, Tecnologia e Ensino Superior – Cida Borghetti
Esporte e Turismo – Ricardo Gomyde
Justiça, Cidadania e Direitos Humanos – Maria Tereza Uille Gomes
Planejamento e Coordenação Geral – Cássio Taniguchi
Representação do Paraná em Brasília – Paulo Martins
Procuradoria Geral do Estado – Túlio Bandeira

Com exceção da Sanepar (João Feio), Detran (Marcelo Araújo), DER (Acyr Mezzadri), TV Educativa (Paulino Viapiana), Cohapar (Doático Santos), APPA (Carlos Frisoli), JUCEPAR (Marcos Domakoski), Diário Oficial (Wilson Quinteiro), Celepar (Murilo Hidalgo), Paraná Esporte (Juliano Borghetti), Paraná Turismo (Ogier Buchi), Ambiental Paraná (Junior Durski) e Copel (Donato Gulin) os demais cargos ainda não tiveram seus respectivos titulares escolhidos. (mais…)

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS
Copyright © 2009 Blog do Esmael. Todos os direitos reservados.
(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});