partidos.jpgPor Enio Verri*

Se o fortalecimento dos partidos está no cerne de um sistema político representativo, a aprovação na Câmara dos Deputados do texto base do projeto que dificulta a fusão de partidos e novas siglas aumentam as esperanças de uma reforma política que atenda aos anseios da população.

É fato que o Projeto de Lei, que vai ao Senado, está longe de ser uma conquista de um debate amplo e popular como defendemos. Porém, mesmo sob os olhos de uma elite conservadora, confere empecilhos para a velha prática de partidos de aluguel e personalismo político.

Em complemento a resolução do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que pune a infidelidade partidária, o texto base reduz ainda mais as brechas que permitem que deputados troquem de legendas sem correr o risco de perderem seus mandatos. Trata-se aqui de inibir a criação de novos e fusão de partidos existentes. (mais…)

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

Péssima avaliação na educação puxa popularidade de Beto Richa para o chão, segundo a Paraná Pesquisas. Governo tucano perdeu a batalha da comunicação para a APP-Sindicato, apesar de R$ 15 milhões "investidos" em propaganda este mês. Palácio Iguaçu ainda tenta criminalizar e judicializar calote que aplicou nos educadores em greve há 23 dias. Nesta quarta, em Curitiba, haverá assembleia da categoria, que deverá optar pela continuidade do movimento paredista.

Péssima avaliação na educação puxa popularidade de Beto Richa para o chão, segundo a Paraná Pesquisas. Governo tucano perdeu a batalha da comunicação para a APP-Sindicato, apesar de R$ 15 milhões “investidos” em propaganda este mês. Palácio Iguaçu ainda tenta criminalizar e judicializar calote que aplicou nos educadores em greve há 23 dias. Nesta quarta, em Curitiba, haverá assembleia da categoria, que deverá optar pela continuidade do movimento paredista.

Na esteira do desabamento da popularidade de Beto Richa (PSDB), o eleitorado paranaense também reprova a política educacional do tucano. De acordo com sondagem da Paraná Pesquisas, 73% consideram ruim ou péssimo o desempenho do governador na educação. É a pior área avaliada, seguida da saúde (59%), segurança (54%) e social (46%).

A pesquisa serve como combustível para a mobilização da assembleia geral da categoria nesta quarta, dia 4, em Curitiba. Cerca de 20 mil pessoas deverão comparecer no Estádio Durval de Britto, campo do Paraná Clube, na Vila Capanema (clique aqui).

Levantamento da Paraná Pesquisas, publicado hoje no jornal Gazeta do Povo, revela que a popularidade de Beto Richa despencou para 19,9%. O índice de reprovação do tucano atingiu a incrível marca de 76,1%, o que desnorteou até a cúpula nacional do PSDB.

O senador Roberto Requião (PMDB) atribuiu à “corrupção no governo” a queda na popularidade de Beto Richa. Segundo o peemedebista, que luta por informações sobre a adesão da Copel aos leilões de energia, “falta transparência” na gestão do tucano.

Greve na educação completa 23 dias (mais…)

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

Requião discorda de Murilo Hidalgo, da Paraná Pesquisas, sobre a queda da popularidade de Richa; “Foi a corrupção no governo”.

Requião discorda de Murilo Hidalgo, da Paraná Pesquisas, sobre a queda da popularidade de Richa; “Foi a corrupção no governo”.

O senador Roberto Requião (PMDB), nesta terça (3), ao Blog do Esmael, discordou do presidente da Paraná Pesquisas, Murilo Hidalgo, sobre os motivos do desabamento da aprovação do governo Beto Richa (PSDB).

“A corrupção no governo derrubou a popularidade de Richa”, analisou o peemedebista.

Requião cita o caso da obscura adesão da Copel (Companhia Paranaense de Energia) aos leilões compra do insumo. Segundo ele, Beto Richa nega informações sobre a transação milionária. “Vou à Justiça”, informa o senador.

Para Murilo Hidalgo, a queda na popularidade do governador tem a ver com a interrupção dos serviços públicos pelas greves e os crescentes protestos que pedem o impeachment do tucano.

De acordo com a sondagem da Paraná Pesquisas, 76% desaprovam a gestão de Beto Richa. penas 20% dos paranaenses dizem aprovar a administração do tucano, diz levantamento da Paraná Pesquisas encomendado pelo jornal Gazeta do Povo.

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

O governador Beto Richa é reprovado por 3 em 4 eleitores paranaenses, aponta levantamento da Paraná Pesquisas/Gazeta do Povo; queda na popularidade do tucano atrapalha planos golpistas do PSDB, que planeja marcha pelo impeachment de Dilma; Murilo Hidalgo, diretor-presidente do instituto de pesquisa, relaciona a queda a interrupção dos serviços públicos pelas greves e os crescentes protestos que pedem o impeachment do tucano.

O governador Beto Richa é reprovado por 3 em 4 eleitores paranaenses, aponta levantamento da Paraná Pesquisas/Gazeta do Povo; queda na popularidade do tucano atrapalha planos golpistas do PSDB, que planeja marcha pelo impeachment de Dilma; Murilo Hidalgo, diretor-presidente do instituto de pesquisa, relaciona a queda a interrupção dos serviços públicos pelas greves e os crescentes protestos que pedem o impeachment do tucano.

A popularidade do governador Beto Richa (PSDB) virou pó. Apenas 20% dos paranaenses dizem aprovar a administração do tucano, diz levantamento da Paraná Pesquisas encomendado pelo jornal Gazeta do Povo.

De acordo com a sondagem, 76% desaprovam a gestão de Beto Richa. O péssimo desempenho do governador desnorteia o PSDB nacional, como demonstrou o senador mineiro e ex-presidenciável Aécio Neves no fim desta semana.

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso também entrou em campo, pois, acreditam os tucanos que a reprovação de Richa mine o movimento nacional pelo impeachment da presidenta Dilma Rousseff (PT) no dia 15 de março.

Em novembro de 2011, o governador do PSDB era aprovador por 74% dos eleitores paranaenses.

Em dezembro de 2014, o governo Richa tinha 65% de aprovação.

Para Murilo Hidalgo, diretor-presidente da Paraná Pesquisas, a queda na popularidade do governador Beto Richa (PSDB) tem a ver com a interrupção dos serviços públicos pelas greves e os crescentes protestos que pedem o impeachment do tucano.

Em dezembro do ano passado, 46% os entrevistados do instituto achavam que o reeleito estava conduzindo a administração “melhor do que esperado”. Agora, segundo o levantamento, somente 3% repetiram a avaliação e 71% dos pesquisados disseram que o governo do tucano está caminhando pior do que a expectativa.

A Paraná Pesquisas afirma que, se as eleições fossem hoje, Beto Richa não seria reeleito no primeiro turno.

Confirmado em outubro no primeiro turno com 57% dos votos, agora apenas 38% dos entrevistados disseram que manteriam a escolha.

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS
Charge de Aroeira para o Jornal O Dia (RJ)

Charge de Aroeira para o Jornal O Dia (RJ)

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

tn_338_600_CAPAJLTER03MAR15Jornais do Paraná

Gazeta do Povo: Dívida de curto prazo do estado com fornecedores sobe para R$ 1,3 bilhão

Bem Paraná: Motoqueiro paranaense é vice-campeão do País na hora de se proteger

Jornal Metro: Confronto com polícia já matou 26 este ano

Jornal de Londrina: Crise derruba avaliação de Richa

Folha de Londrina: Bloqueio dos caminhoneiros faz cesta básica disparar

O Diário (Maringá): Maringá quer implantar prontuário eletrônico

Diário dos Campos: Sanepar paga R$ 400 mil de atrasados à Prefeitura de PG

Jornal da Manhã: Professores universitários decidem continuar a greve

Tribuna do Interior: Reféns da greve

O Paraná: Caminhoneiros reduzem bloqueios no Paraná e marcham para Brasília

Gazeta do Paraná: ‘Buzinaço’ em Brasília é frustrado por segurança

Diário do Noroeste: Exigência dos governistas, Lei dos Caminhoneiros é sancionada

Tribuna de Cianorte: Geração de emprego em Cianorte fica acima da média nacional

Tribuna do Norte: União deve R$ 43 mi a municípios da região

Jornais de outros estados

Globo: É preciso rastrear o dinheiro para chegar ao chefe, diz juiz

Folha: ‘Quem tiver que pagar vai pagar’, afirma procurador

Estadão: Petrobras planeja vender U$ 13,7 bilhões em ativos

Valor: Grande empresa corta investimento

Estado de Minas: Perigo em dose dupla

Zero Hora: A batalha de Camaquã

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

Esta segunda-feira (2) foi um dia de muito protesto nos municípios paranaenses. Amanhã, de acordo com a APP-Sindicato, as mobilizações contra se intensificarão em todo o estado. Na quarta, dia 4 de março, no estádio do Paraná Clube, em Curitiba, categoria realiza assembleia e, logo depois, marcha dos 20 mil educadores até o Palácio Iguaçu.

Esta segunda-feira (2) foi um dia de muito protesto nos municípios paranaenses. Amanhã, de acordo com a APP-Sindicato, as mobilizações contra se intensificarão em todo o estado. Na quarta, dia 4 de março, no estádio do Paraná Clube, em Curitiba, categoria realiza assembleia e, logo depois, marcha dos 20 mil educadores até o Palácio Iguaçu.

O governador Beto Richa (PSDB) deverá ser o alvo principal de 20 mil professores e funcionários de escolas, nesta quarta-feira, dia 4 de março, durante assembleia da categoria convocada pela APP-Sindicato.

O Comando de Greve teme que o Estádio Durival Britto e Silva, a Vila Capanema, como é conhecido o campo do Paraná Clube, seja pequeno devido ao engajamento dos educadores no movimento que hoje completou 21 dias.

Possivelmente, a exemplo do que ocorreu em Guarapuava, no dia 7 de fevereiro, quando foi deflagrada a greve, após a assembleia desta quarta, os educadores deverão realizar uma nova marcha rumo ao Palácio Iguaçu, no Centro Cívico, onde há um acampamento da APP.

O governo do estado tem apostado na judicialização e criminalização da greve, mas, segundo o presidente da APP, Hermes Leão, “Richa jogou gasolina para tentar apagar o incêndio e só aumentou o grau de indignação da categoria, ao tentar tornar ilegal nossa luta legítima”.

A APP-Sindicato tem usado as redes sociais para fazer a contrapropaganda, haja vista que o Palácio Iguaçu destinou R$ 15 milhões para esse combate contra os professores e os funcionários públicos em greve. “Isso não é legal! Beto Richa aumentou o IPVA em 40%. A greve é legal”, diz uma dessas inserções no Facebook.

O Blog do Esmael recebeu informação hoje pela manhã, do município de Fazenda Rio Grande, na região metropolitana de Curitiba, de que educadores foram aplaudidos enquanto panfletavam em um terminal de ônibus sobre os motivos da paralisação nas escolas. “O apoio da sociedade é total e 100% das escolas estão em greve”, contabiliza Leão, o novo “Rei do Centro Cívico”.

Os motivos da greve (mais…)

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

aduel.jpgO Sindicato dos Servidores Técnicos Administrativos (Assuel Sindicato) e o Sindicato dos Professores (Sindiprol/Aduel), da Universidade Estadual de Londrina, irão protocolar nesta terça-feira (3), às 14 horas, em Curitiba, um pedido de investigação contra o governador Beto Richa (PSDB) no Ministério Público Estadual do Paraná (MP).

A petição dos servidores londrinenses poderá pavimentar juridicamente um um futuro processo de impeachment contra o tucano.

A denúncia de improbidade administrativa foi motivada pelo não pagamento do adicional de 1/3 de férias dos servidores que deveria ter sido pago em janeiro e fevereiro deste ano. Segundo os advogados dos sindicatos, o não pagamento de salário configura improbidade por parte do governante.

Os professores e servidores técnicos administrativos da UEL estão em greve desde o começo de fevereiro, assim como os professores e servidores das demais universidades estaduais. O ano letivo de 2015 ainda não começou, e não existe previsão para o fim da paralisação.

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

Greve na educação que completou hoje 21 dias estaria transformando a popularidade de Beto Richa em "pó", segundo analistas; como reflexo disso, o PSDB tem dificuldades para encontrar candidatos competitivos às prefeituras municipais; amanhã, dia de pesquisa na praça, será o "beijo da morte"?

Greve na educação que completou hoje 21 dias estaria transformando a popularidade de Beto Richa em “pó”, segundo analistas; como reflexo disso, o PSDB tem dificuldades para encontrar candidatos competitivos às prefeituras municipais; amanhã, dia de pesquisa na praça, será o “beijo da morte”?

A crise política que castiga o governador Beto Richa já bateu no PSDB do Paraná, que não consegue arregimentar candidatos nos municípios para as eleições de 2016.

Uma fonte próxima ao Palácio Iguaçu confidenciou ao Blog do Esmael que a situação é desesperadora no grupo tucano. Podem faltar candidatos competitivos às prefeituras no ano que vem.

Em 2012, o PSDB elegeu 76 prefeitos e 441 vereadores. O estado possui 399 municípios.

Algumas medidas foram tomadas para tentar reverter a situação no ninho tucano paranaense. Uma delas é troca do comando na sigla.

O partido é presidido por Richa, mas o vice-presidente, deputado federal Valdir Rossoni, é quem de fato vinha dirigindo a agremiação. A partir de agora, segundo a mesma fonte palaciana, Rossoni será substituído na vice — e na presidência de fato — pelo presidente da Assembleia Legislativa, Ademar Traiano.

Entre amanhã e quarta-feira, a Paraná Pesquisas divulgará os primeiros números deste ano acerca da popularidade de Richa. Analistas de plantão apostam no “inferno” para o governador do PSDB. Seria mesmo o “beijo da morte” no tucano?

Nos últimos dias, se intensificaram em praticamente todos os 399 municípios paranaenses manifestações pelo impeachment de Richa.

A crise paranaense pode minar o tucanato nacional, que articula protestos, dia 15 de março, contra a presidenta Dilma Rousseff (PT).

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

murilo_alep_richa.jpgA Paraná Pesquisas, de Murilo Hidalgo, deverá divulgar entre amanhã (3) e quarta (4) uma sondagem sobre a aprovação do governo Beto Richa (PSDB). O levantamento foi encomendado pelo jornal Gazeta do Povo.

Será a primeira rodada de pesquisas sobre a popularidade do tucano depois do ‘pacote de maldades’ na Assembleia Legislativa, dos aumentos em impostos e tarifas, da greve na educação que hoje completou 21 dias, enfim, da pitoresca cena dos deputados dentro do camburão e do confronto entre policiais e educadores.

Paralelamente à batalha que o governo do estado trava contra o funcionalismo público, com o objetivo de confiscar R$ 8 bilhões do fundo previdenciário, Richa também é alvo de protesto pelo impeachment nos 399 municípios paranaenses.

Você, caro leitor, arriscaria um palpite sobre a popularidade de Beto Richa?

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

No último 21 de fevereiro, em Curitiba, cerca de cinco mil pessoas foram às ruas pelo impeachment do governador tucano Beto Richa; outras cidades do interior do estado também realizam protestos pelo "Fora Richa", a exemplo de Apucarana, no Norte, que este fim de semana arrastou vários pelas praças e avenidas; pensando no próprio couro, jurado pelos paranaenses, o tucano disse ser contra o movimento do próximo dia 15 pelo impeachment de Dilma; “Respeitamos o resultado das urnas. Ela [a presidente Dilma Rousseff] foi eleita, tem a legitimidade do cargo”, disse ao jornal Valor Econômico.

No último 21 de fevereiro, em Curitiba, cerca de cinco mil pessoas foram às ruas pelo impeachment do governador tucano Beto Richa; outras cidades do interior do estado também realizam protestos pelo “Fora Richa”, a exemplo de Apucarana, no Norte, que este fim de semana arrastou vários pelas praças e avenidas; pensando no próprio couro, jurado pelos paranaenses, o tucano disse ser contra o movimento do próximo dia 15 pelo impeachment de Dilma; “Respeitamos o resultado das urnas. Ela [a presidente Dilma Rousseff] foi eleita, tem a legitimidade do cargo”, disse ao jornal Valor Econômico.

O governador Beto Richa (PSDB), em entrevista ao jornal Valor Econômico, edição desta segunda-feira (2), afirmou que é contra o movimento pelo impeachment da presidenta Dilma Rousseff (PT).

“Respeitamos o resultado das urnas. Ela [a presidente Dilma Roussef] foi eleita, tem a legitimidade do cargo”, disse o tucano.

Ao declarar-se contra o movimento golpista do próximo dia 15 de março, Beto Richa busca um salvo-conduto que lhe permita atravessar a grave crise política e econômica que assola o início de seu mandato.

Nas ruas de praticamente todos os 399 municípios paranaenses, há apoios crescentes pelo impeachment do governador do PSDB. Protestos, marchas, passeatas e atos políticos nos últimos dias pediram a saída de Richa do cargo.

Richa não defende a integridade do mandato de Dilma ao declarar-se contra o impeachment. Pelo contrário. Defende o próprio “couro” que foi jurado pelos paranaenses após aumentos de impostos (IPVA e ICMS) e reajustes nas contas de água e luz.

O governador também entrou na linha de tiro de educadores que estão em greve há 21 dias. Some-se a isso a tentativa do governador confiscar R$ 8 bilhões da poupança previdenciária que pertence aos funcionários públicos.

O crescente movimento pelo impeachment de Beto Richa tem servido como moeda de troca tácita com o tucanato. Se forçarem o protesto contra Dilma, concomitantemente, apertar-se-á aqui o “garrão” do governador tucano – uma espécie de “promessa” e “vitrine” do PSDB.

O Blog do Esmael tem registrado com certa insistência que as manifestações pelo impeachment de Beto Richa, no Paraná, terminariam por arrefecer o ímpeto do golpismo tucano contra Dilma. Neste fim de semana, por exemplo, o senador Aécio Neves, presidente nacional do PSDB, disse que a nacionalização da crise paranaense seria ruim para os planos do partido no dia 15.

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

Diretor da Escola Estadual Nossa Senhora da Salete, no bairro Bacacheri, em Curitiba, furou a greve hoje pela manhã com o objetivo de fornecer imagens para jornais e TVs alinhados ao governador Beto Richa; tucano comanda pessoalmente guerra ideológica e midiática contra professores e funcionários de escola em greve. "As escolas estão 100% em greve no Paraná", assegura Hermes Leão, presidente da APP-Sindicato; na quarta-feira, dia 4, categoria espera reunir 20 mil na assembleia que acontecerá no estádio do Paraná Clube, na capital.

Diretor da Escola Estadual Nossa Senhora da Salete, no bairro Bacacheri, em Curitiba, furou a greve hoje pela manhã com o objetivo de fornecer imagens para jornais e TVs alinhados ao governador Beto Richa; tucano comanda pessoalmente guerra ideológica e midiática contra professores e funcionários de escola em greve. “As escolas estão 100% em greve no Paraná”, assegura Hermes Leão, presidente da APP-Sindicato; na quarta-feira, dia 4, categoria espera reunir 20 mil na assembleia que acontecerá no estádio do Paraná Clube, na capital.

O presidente da APP-Sindicato, Hermes Leão, especial para o Blog do Esmael, na manhã desta segunda-feira (2), fez um balanço sobre o 21º dia de greve dos professores e funcionários de escolas no Paraná. Segundo o dirigente, “100% das escolas amanheceram fechadas” atendendo ao pedido do sindicato.

Hermes disse que o governo Beto Richa (PSDB) tenta enfraquecer o movimento utilizando como estratégia a judicialização e a farra da propaganda.

No fim de semana, um juiz de plantão concedeu liminar parcial pedindo retorno de 30% dos professores e funcionários do ensino médio, mas, de acordo com o presidente da APP, a ‘decisão precária’ deverá cair nas próximas horas.

Depois de R$ 15 milhões distribuídos pelo governo do estado às empresas de comunicação, a velha mídia “mudou de lado” (clique aqui). Há 48 horas, setores da velha imprensa voltaram a criticar o movimento grevista em ásperos editoriais, ou seja, também entrou no esforço concentrado para desmoralizar a justa luta da educação pública do Paraná.

O Blog do Esmael apurou que o Palácio Iguaçu está jogando pesado para que apenas uma ou duas escolas “furem a greve” para gerar imagens para a televisão e jornais alinhados. É o caso da Escola Estadual Nossa Senhora da Salete, no bairro Bacacheri, em Curitiba.

Tirando esses casos de “figuração”, onde o cenário foi montado para a guerra ideológica e midiática, “as escolas estão 100% em greve no Paraná”, assegura Hermes Leão.

Na quarta-feira, dia 4, às 9 horas, a APP-Sindicato realiza assembleia geral da categoria no estádio do Paraná Clube, no Capanema, quando deverá reunir 20 mil professores e funcionários de escola em greve.

O Blog do Esmael prospectou ontem que os 29 núcleos regionais do sindicato, por unanimidade, vão encaminhar a proposta pela continuidade da greve na educação por tempo indeterminado.

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

marcelo_charge_monica.jpgMarcelo Araújo*

Diante de tantos escândalos que envolvem o reajuste de verbas parlamentares, auxílio-moradia entre outras benesses, a que me pareceu mais pitoresca é da cota de passagens aéreas para as esposas dos deputados federais. Pitoresca porque a reivindicação não partiu dos parlamentares, mas sim das esposas, que se reuniram com Eduardo Cunha (PMDB-RJ) quando de sua posse na presidência da Câmara dos Deputados.

O benefício está recebendo duras críticas, mas vamos entender o que poderia ter motivado essa reivindicação além da saudade arrebatadora dos maridos, deixando bem claro que são ilações hipotéticas.

O parlamentar costuma ter sua semana dividida quase de forma equânime entre Brasília e sua base, o que poderia lhe permitir ter duas vidas paralelas. O poder e o dinheiro, individualmente, tornam o indivíduo mais atraente e até bonito, e, unidos, o deixa irresistível. Brasília é um lugar onde poder e dinheiro afloram a beleza, atração e sedução.
]
Vamos pegar carona no exemplo do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), e Mônica Veloso, cuja relação se eternizaria se não fosse a inesperada paternidade e repercussão do caso, especialmente pela necessidade de verbas para cobrir os rombos decorrentes da paixão, do amor e de seu fruto.

Como diziam as revistas da época, ela abalou a República. E o problema é quando a amante se sente traída pela esposa e resolve vingar-se chantageando e expondo segredos dos bastidores do poder que são falados em meio a frases de paixão.

Quando a amante de Alberto Yussef saiu na capa da Playboy muito se falou que teria sido um momento de descontração, mas eu entendi que foi um momento de tensão porque, se ela apareceu, outras também podem aparecer.

Já não se sabe se a preocupação com escutas telefônicas é com a corrupção ou a exposição da vida paralela, pois a perda é do dinheiro, do poder e da família.

Também acho injustas as caricaturas que representam a figura da esposa de forma negativa em seus atributos físicos e daquilo que se entende por beleza (não aplicável no caso do senador Aécio Neves), pois a beleza dos maridos também não advém de seus atributos físicos.

Estando acompanhados de suas esposas não haveria tanta necessidade de idas e vindas às suas bases, salvo quando da real necessidade, e o parlamentar sofreria menos desgaste com viagens, concentrando-se no trabalho, na família e nos bons costumes.

Não significa que as esposas não gostem nem mereçam desfrutar de mordomias advindas do poder e do dinheiro, mas me parece que elas são menos tolerantes com a corrupção que as amantes.

Quem sabe se aquilo que aparenta ser um desperdício, uma regalia, possa ser um passo para por ordem na casa?

De multa eu entendo!

*Marcelo Araújo é advogado, presidente da Comissão de Trânsito, Transporte e Mobilidade da OAB/PR. Escreve nas segundas-feiras para o Blog do Esmael.

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS
Charge de Samuca para o Diário de Pernambuco

Charge de Samuca para o Diário de Pernambuco

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

20150302_MetroCuritiba_capaJornais do Paraná

Gazeta do Povo: Auditores suspeitam de manobra para ocultar lucros das empresas de ônibus

Bem Paraná: Grande Curitiba está cheia de sabores “escondidos”

Jornal Metro: Greve é mantida mesmo com decisão por retorno

Jornal de Londrina: Mestre dos bastidores, Janene pautou o submundo da política

Folha de Londrina: Classe C desacelera consumo nos supermercados

Jornais de outros estados

Globo: Petistas no Congresso rejeitam ajuste fiscal

Folha: CPI da Petrobras deverá investigar só era petista

Estadão: Empresas da Lava Jato pedem R$ 31 bi ao BNDES

Valor: Ajuste já atinge R$ 111 bi e não poupa área social

Estado de Minas: Bebedeira mortal

Zero Hora: Sim, é possível

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS
Copyright © 2009 Blog do Esmael. Todos os direitos reservados.
(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});