capa_gazetadopovoJornais do Paraná

- Gazeta do Povo: Acabou o mito?

- Jornal de Londrina: Consumo de suco natural dispara e aquece mercado

- Folha de Londrina: Empresas públicas de Londrina trabalham no vermelho

Jornais de outros estados

- Globo: Planalto evita confronto com Gabrielli para conter CPI

- Folha: Paramilitar americano treina policial da Copa

- Estadão: Para oposição, discurso de Gabrielli reforça CPI

- Correio: Uma cidade feita de céu

- Estado de Minas: Vereadores em ritmo de campanha

- Zero Hora: Capital terá reforço de 2 mil PMs do interior

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

do Brasil 247

Posição de José Roberto Guzzo, que já dirigiu Veja e Exame e é um dos poucos integrantes do conselho editoral da Abril de fora da família Civita, se espraia pelas revistas da casa; em artigo publicado neste fim de semana, ele, com seu mau humor, aparenta viver em outro planeta; "Todo brasileiro de olhos abertos para o que está acontecendo no país em geral, e na sua própria vida em particular, sabe muito bem que a coisa está preta", diz ele, sem levar em conta o pleno emprego e a expansão da renda; diz que ele que o Brasil, com US$ 375 bilhões em reservas, está "em petição de miséria" e "é um caso perdido"; o governo Dilma, na sua visão, é o "mais incompetente" de todos; quem vai mal na verdade é a Abril.

Posição de José Roberto Guzzo, que já dirigiu Veja e Exame e é um dos poucos integrantes do conselho editoral da Abril de fora da família Civita, se espraia pelas revistas da casa; em artigo publicado neste fim de semana, ele, com seu mau humor, aparenta viver em outro planeta; “Todo brasileiro de olhos abertos para o que está acontecendo no país em geral, e na sua própria vida em particular, sabe muito bem que a coisa está preta”, diz ele, sem levar em conta o pleno emprego e a expansão da renda; diz que ele que o Brasil, com US$ 375 bilhões em reservas, está “em petição de miséria” e “é um caso perdido”; o governo Dilma, na sua visão, é o “mais incompetente” de todos; quem vai mal na verdade é a Abril.

O Brasil acabou. Está em petição de miséria, é um caso perdido e não terá solução, caso a presidente Dilma Rousseff seja reeleita. Esta é a visão do jornalista José Roberto Guzzo, que já dirigiu Veja e Exame, integra o conselho editorial da Abril sem ser da família Civita e cujas opiniões amargas se espraiam pelas revistas da casa editorial hoje comandada por Fábio Barbosa.

O governo Dilma, diz Guzzo, é o pior de todos da história do País. Pior do que o dos militares, que mataram e torturam, pior do que o de Fernando Collor, que terminou em impeachment, pior do que o de José Sarney, que teve hiperinflação, ou do que o de FHC, que levou o Brasil três vezes ao FMI. Muito pior também do que o de Campos Salles, que levou o Brasil à crise do encilhamento. (mais…)

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS
Charge de Elvis - Correio Amazonense.

Charge de Elvis – Correio Amazonense.

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

capa_ogloboJornais do Paraná

- Gazeta do Povo: O Brasil continua caro, mesmo com o real mais fraco

- Jornal de Londrina: Londrinense prefere comércio perto de casa

- Folha de Londrina: Youssef tem relação de ‘longa data’ com políticos do Estado

- O Diário (Maringá): Maringá gera 42 mil vagas em fora da cidade

- Diário dos Campos: Ponta Grossa gasta R$ 15 mi por ano com a coleta do lixo

- Jornal da Manhã: PG sonda R$ 2 bilhões de oito novas multinacionais

- O Paraná: Desoneração tira R$ 18,6 bi dos municípios paranaenses

- Gazeta do Paraná: Em Cascavel, comunidade ajuda melhorar escola

- Diário do Noroeste: Passageiros pedem mais conforto e segurança durante as viagens

- Umuarama Ilustrado: Xetá já é considerada uma tribo extinta no Paraná

- Tribuna do Norte: Uma nova chance

Jornais de outros estados

- Globo: Brasil planeja financiar superporto no Uruguai

- Folha: Dívida com a União cresce mais em cidades da Copa

- Estadão: Gabrielli: ‘Dilma não pode fugir à responsabilidade.’

- Correio: Automutilação de jovens assusta pais em Brasília

- Zero Hora: Família de papel

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

O esquema de pagamento de propina que tinha o doleiro Alberto Youssef como operador também atendia em domicílio; uma das entregas foi agendada para o apartamento funcional do deputado federal Luiz Argôlo (BA), em Brasília; A denúncia é da "insuspeita" revista Veja -- aquela que não dá trégua ao petismo e réus do mensalão; será que Francischini, o Batman, agirá com rigor neste caso e pedirá a cassação de seu companheiro de partido ou afrouxará o sutiã? Façam suas apostas.

O esquema de pagamento de propina que tinha o doleiro Alberto Youssef como operador também atendia em domicílio; uma das entregas foi agendada para o apartamento funcional do deputado federal Luiz Argôlo (BA), em Brasília; A denúncia é da “insuspeita” revista Veja — aquela que não dá trégua ao petismo e réus do mensalão; será que Francischini, o Batman, agirá com rigor neste caso e pedirá a cassação de seu companheiro de partido ou afrouxará o sutiã? Façam suas apostas.

O deputado federal Fernando Francischini (Solidariedade) é conhecido no Paraná como Batman, o homem intolerante com o crime e a bandidagem. Em 2012, ele esteve na linha de frente da campanha de Ratinho Júnior (PSC), na disputa pela Prefeitura de Curitiba. Naquela peleja, Gustavo Fruet (PDT), que foi eleito, disse que Curitiba não precisava de um “Batman” para resolver os problemas na segurança pública. Pronto. Desde aquele evento político, é assim como o delegado licenciado da Polícia Federal (PF) se apresenta na capital paranaense, onde está sua principal base eleitoral.

Batman agora tem um abacaxi dos grandes para descascar. Um correligionário seu, o deputado baiano Luiz Argôlo, que recentemente trocou o PP pelo Solidariedade, é acusado de utilizar ‘delivery’ de dinheiro do doleiro Alberto Youssef, preso desde março pela Operação Lava-Jato, da Polícia Federal, sob a acusação de lavar R$ 10 bilhões.

A denúncia é da “insuspeita” revista Veja — aquela que não dá trégua ao petismo e réus do mensalão (clique aqui). Mas a questão central é: será que Francischini, o Batman, agirá com rigor neste caso e pedirá a cassação de seu companheiro de partido ou afrouxará o sutiã? Façam suas apostas.

Segundo escutas da PF, o doleiro se identificava como “Primo” e o deputado do partido de Francischini como “L.A”. O endereço de entrega do dinheiro era do apartamento funcional onde mora o deputado baiano em Brasília.

O deputado nega ser “L.A.” e diz à revista que tudo não passa de uma ilação. Segundo “Veja”, no entanto, há outros fatos que ligam o deputado a Youssef. O doleiro teria transferido R$ 120 mil a Vanilton Bezerra, chefe de gabinete de Argôlo. Mas Bezerra nega essas transações.

Será que o pau que bate em Chico também bate em Francisco, ou essa denúncia contra o deputado do Solidariedade seria apenas para legitimar os constantes ataques de Veja ao PT? Haverá uma gincana na mídia contra Argôlo ou ficará por isso mesmo? A conferir.

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

Ex-prefeito de Cianorte e ex-deputado Edno Guimarães, convertido ao tucanato no ano passado, foi flagrado esta semana costeando o alambrado da senadora petista Gleisi Hoffmann, adversária de Beto Richa nas eleições de outubro; Edno é irmão de Jonas Guimarães (PMDB), que outrora estivera “apaixonado” pelo governador do PSDB assim como a bancada estadual peemedebista; assista ao vídeo.

Ex-prefeito de Cianorte e ex-deputado Edno Guimarães, convertido ao tucanato no ano passado, foi flagrado esta semana costeando o alambrado da senadora petista Gleisi Hoffmann, adversária de Beto Richa nas eleições de outubro; Edno é irmão de Jonas Guimarães (PMDB), que outrora estivera “apaixonado” pelo governador do PSDB assim como a bancada estadual peemedebista; assista ao vídeo.

Não é somente o senador Roberto Requião (PMDB) que “belisca” o eleitorado do governador Beto Richa (PSDB), conforme mostrou o Blog do Esmael reiteradas vezes. Até tucanos começaram costear o alambrado da senadora Gleisi Hoffmann (PT). (mais…)

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

do Brasil 247

Revista Época, de João Roberto Marinho, consegue dedicar quase vinte páginas ao que, em tempos normais, não passaria de uma nota de rodapé; autor da proeza é o repórter Diego Escosteguy, de fértil imaginação, que produziu uma capa com muito lero-lero sobre Pasadena, cujo único objetivo é tentar conseguir convencer a ministra Rosa Weber, do STF, a abrir a CPI exclusiva sobre a Petrobras; notícia se resume a uma discussão se teria sido melhor para a estatal fazer um acordo com os belgas da Astra ou continuar litigando; é mole?

Revista Época, de João Roberto Marinho, consegue dedicar quase vinte páginas ao que, em tempos normais, não passaria de uma nota de rodapé; autor da proeza é o repórter Diego Escosteguy, de fértil imaginação, que produziu uma capa com muito lero-lero sobre Pasadena, cujo único objetivo é tentar conseguir convencer a ministra Rosa Weber, do STF, a abrir a CPI exclusiva sobre a Petrobras; notícia se resume a uma discussão se teria sido melhor para a estatal fazer um acordo com os belgas da Astra ou continuar litigando; é mole?

Ao jornalista Diego Escosteguy, chefe da sucursal de Época em Brasília, não se pode negar uma qualidade: sua imaginação é fértil. Recentemente, o presidente do Supremo Tribunal Federal, o Joaquim Barbosa, o acusou de inventar não apenas uma entrevista, mas também seu perfil psicológico (relembre aqui). Outra reportagem famosa – quando ainda estava em Veja – foi a das supostas malas de dinheiro na Casa Civil, às vésperas da eleição presidencial de 2010. (mais…)

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

do Brasil 247

Senador paranaense Alvaro Dias (PSDB-PR), um dos principais líderes da oposição, abriu o jogo numa rápida entrevista ao blog do jornalista Ricardo Noblat; "precisamos desconstruir a imagem do governo, alimentando o noticiário negativo com ação afirmativa", afirmou; "a instalação da CPI da Petrobras vai ajudar nessa desconstrução"; pelo que se lê nos jornais e revistas, tática de guerra tem funcionado.

Senador paranaense Alvaro Dias (PSDB-PR), um dos principais líderes da oposição, abriu o jogo numa rápida entrevista ao blog do jornalista Ricardo Noblat; “precisamos desconstruir a imagem do governo, alimentando o noticiário negativo com ação afirmativa”, afirmou; “a instalação da CPI da Petrobras vai ajudar nessa desconstrução”; pelo que se lê nos jornais e revistas, tática de guerra tem funcionado.

Qual é a principal missão da oposição nos dias atuais? O senador Alvaro Dias (PSDB-PR), um de seus principais líderes, responde. “Precisamos desconstruir a imagem do governo, alimentando o noticiário negativo com ação afirmativa”, disse ele, numa rápida entrevista ao Blog do Noblat. “A instalação da CPI da Petrobras vai ajudar nessa desconstrução.”

Ou seja: Dias, praticamente, abriu o jogo. A ordem é alimentar notícias negativas – o que tem dado certo, a julgar pelo que se lê em jornais e revistas – e usar a CPI da Petrobras, cuja instalação será decidida pela ministra Rosa Weber, na próxima terça-feira, para “desconstruir” a imagem do governo.

Leia, abaixo, a íntegra do depoimento de Dias a Gabriel Garcia, publicado no Blog do Noblat: (mais…)

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

Ricardo Gomyde, em sua coluna deste sábado, volta a insistir no legado que a Copa do Mundo deixará no país; colunista, que é assessor do Ministério do Esporte, conta que os investimentos na preparação dos estádios para a Copa das Confederações, em 2013, bateu a casa dos R$ 8 bi, mas a competição agregou outros R$ 9,7 bi ao PIB; o especialista em políticas de inclusão social estima que o campeonato mundial deixará no país R$ 30 bi, além da infraestrutura como arenas e intervenções na mobilidade urbana; “A falta de informação fecha os olhos ao outro lado da moeda. A Copa é boa para o Brasil, entusiasma torcedores de todo o mundo, gera negócios capilarizados na sociedade e constrói um legado de benefícios para uso cotidiano da população”; nesta terça, em Curitiba, o ministro do Esporte Aldo Rebelo e  o “big boss” da Fifa Jérôme Valcke  deverão  inspecionar as conclusões das obras na Arena da Baixada – o campo do Atlético Paranaense; leia o texto.

Ricardo Gomyde, em sua coluna deste sábado, volta a insistir no legado que a Copa do Mundo deixará no país; colunista, que é assessor do Ministério do Esporte, conta que os investimentos na preparação dos estádios para a Copa das Confederações, em 2013, bateu a casa dos R$ 8 bi, mas a competição agregou outros R$ 9,7 bi ao PIB; o especialista em políticas de inclusão social estima que o campeonato mundial deixará no país R$ 30 bi, além da infraestrutura como arenas e intervenções na mobilidade urbana; “A falta de informação fecha os olhos ao outro lado da moeda. A Copa é boa para o Brasil, entusiasma torcedores de todo o mundo, gera negócios capilarizados na sociedade e constrói um legado de benefícios para uso cotidiano da população”; nesta terça, em Curitiba, o ministro do Esporte Aldo Rebelo e o “big boss” da Fifa Jérôme Valcke deverão inspecionar as conclusões das obras na Arena da Baixada – o campo do Atlético Paranaense; leia o texto.

Ricardo Gomyde*

Os pessimistas praticantes da “fracassomania” atiram contra a Copa do Mundo e as Olimpíadas do Rio utilizando argumentos muitas vezes reproduzidos por outros que escolheram um lado, mas se esquecem de ao menos bater os olhos na ampla lista de benefícios que o Brasil terá com os grandes eventos que sediaremos.

Vejam: um estudo da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), recebeu pouca (ou nenhuma) atenção da imprensa e, por consequência, da sociedade, mostrou que só a Copa das Confederações (um torneio em formato bastante reduzido, se comparado à Copa do Mundo) gerou cerca de 300 mil empregos em todo o país e adicionou R$ 9,7 bilhões ao PIB brasileiro. Mais do que os R$ 8 bilhões investidos (e não gastos!) nas 12 arenas construídas para a Copa do Mundo.

Ora, se uma Copa das Confederações provocou a injeção de R$ 9,7 bilhões em nossa economia, imaginem o quanto uma Copa do Mundo pode trazer? Nesse mesmo estudo, a projeção é de cerca de R$ 30 bilhões! Montante que, evidentemente, gera mais empregos e arrecadação. Estes sim poderão e serão, sem nenhuma dúvida, investidos em saúde, educação, infraestrutura e outros setores, em benefício da população. (mais…)

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS
Charge de Paixão - Gazeta do Povo (PR).

Charge de Paixão – Gazeta do Povo (PR).

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

capa_cartacapitalJornais do Paraná

- Gazeta do Povo: Mercado de trabalho perdeu 1,1 milhão de jovens em 2 anos

- Folha de Londrina: Apenas 67% dos municípios têm conselhos de educação

- O Diário (Maringá): Dnit divulga licitação do Contorno Sul em maio

- Jornal da Manhã: Estado anuncia início das obras do novo presídio

- Gazeta do Iguaçu: Foz tem o maior número de médicos de programas federais no Paraná

- Tribuna de Cianorte: Campanha por cupom fiscal dá prêmios de até R$ 100 mil

- Umuarama Ilustrado: Taxa de desmprego cai a 5% com abertura de novas vagas

Jornais de outros estados

- Globo: Energia mais barata – Sem manutenção, Rio-Petrópolis vira rodovia da morte

- Folha: China toma mercados do Brasil na Argentina

- Correio: Nunca tantas crianças do país pediram socorro

- Estado de Minas: Violência sem tamanho

- Zero Hora: Mais de 3,4 mil perícias estão atrasadas no RS

Capas de revistas:

- CartaCapital: A doce vida do corruptor

- Veja: As faces do mal

- IstoÉ: O avanço da acunpuntura

- Época: Novas provas de corrupção na Petrobras

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

do Brasil 247

No frigir dos ovos das últimas pesquisas, sobressai dificuldade da oposição em galvanizar para um de seus candidatos os desgastes do governo da presidente Dilma Rousseff; permanência de cenário de vitória em primeiro turno contraria prognósticos da oposição, que apostava, para esta altura do campeonato, ao menos em aproximação maior com a líder; Dilma, e também o ex-presidente Lula, perderam pontos, mas a questão para os adversários Aécio Neves e Eduardo Campos é que eles não cresceram; percentual de intenções de votos brancos e nulos e cresceu, aumentando o desafio da oposição de atrair para si – e não deixar cair no vazio – o voto do contra; como fazer?

No frigir dos ovos das últimas pesquisas, sobressai dificuldade da oposição em galvanizar para um de seus candidatos os desgastes do governo da presidente Dilma Rousseff; permanência de cenário de vitória em primeiro turno contraria prognósticos da oposição, que apostava, para esta altura do campeonato, ao menos em aproximação maior com a líder; Dilma, e também o ex-presidente Lula, perderam pontos, mas a questão para os adversários Aécio Neves e Eduardo Campos é que eles não cresceram; percentual de intenções de votos brancos e nulos e cresceu, aumentando o desafio da oposição de atrair para si – e não deixar cair no vazio – o voto do contra; como fazer?

Os números das pesquisas eleitorais não estão especialmente bons para nenhum dos presidenciáveis e não presidenciáveis estampados no noticiário político. Mas entre os pré-candidatos Dilma Rousseff, Aécio Neves e Eduardo Campos, e o “me sinto realizado” ex-presidente Lula, alguém vai ter de ganhar as eleições de outubro. Por mais ou menos que se torça para uma ou outro, é forçoso revelar o que não transparece em análises à disposição na mídia tradicional: a resistência do governo e de sua política econômica ao cerco de números e críticas é maior do que se pensava. (mais…)

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

Senador Roberto Requião (PMDB-PR), ao saber de ataques de cibertucanos teleguiados pelo Palácio Iguaçu, avisou pelo Twitter: "Podem atacar à vontade, aqui tem café no bule".

Senador Roberto Requião (PMDB-PR), ao saber de ataques de cibertucanos teleguiados pelo Palácio Iguaçu, avisou pelo Twitter: “Podem atacar à vontade, aqui tem café no bule”.


Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

247, com Reuters

Jornalista ligada à família do escritor colombiano premiado com o Nobel de Literatura informou morte do escritor, na Cidade do México, na tarde desta quinta-feira 17, onde vivia; autor de Cem Anos de Solidão, O Amor nos Tempos do Cólera e Crônica de uma Morte Anunciada, Gabo, criador e mestre do realismo mágico, tinha 87 anos e guarda milhões de leitores apaixonados em todo o mundo por sua obra marcadamente latino-americana; "ele foi um grande escritor latino-americano, mas era universal, porque lido e entendido em qualquer lugar", disse o escritor Luís Fernando Veríssimo; engajado politicamente, foi amigo de Fidel Castro e se considerava um militante de esquerda.

Jornalista ligada à família do escritor colombiano premiado com o Nobel de Literatura informou morte do escritor, na Cidade do México, na tarde desta quinta-feira 17, onde vivia; autor de Cem Anos de Solidão, O Amor nos Tempos do Cólera e Crônica de uma Morte Anunciada, Gabo, criador e mestre do realismo mágico, tinha 87 anos e guarda milhões de leitores apaixonados em todo o mundo por sua obra marcadamente latino-americana; “ele foi um grande escritor latino-americano, mas era universal, porque lido e entendido em qualquer lugar”, disse o escritor Luís Fernando Veríssimo; engajado politicamente, foi amigo de Fidel Castro e se considerava um militante de esquerda.

O escritor colombiano Gabriel García Márquez, criador do realismo mágico latino-americano com seu emblemático livro “Cem Anos de Solidão”, com 30 milhões de exemplares vendidos em todo o mundo, morreu nesta quinta-feira na Cidade do México aos 87 anos. A informação foi prestada por uma jornalista mexicana próxima da família. Prêmio Nobel de Literatura em 1982, Gabo, seu apelido universal, havia recebido alta recentemente de um hospital na Cidade do México, no qual permaneceu internado por uma semana devido a uma infecção pulmonar. (mais…)

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

Levantamento realizado pelos cadernos regionais do Blog do Esmael, cerca de 90% dos educadores já decidiram entrar em greve no próximo dia 23 de abril por tempo indeterminado; pais e alunos, na última semana, realizaram atos em apoio às pautas de professores e funcionários das 2,1 mil escolas do Paraná; com a paralisação, 100 mil profissionais do magistério cruzarão os braços após o feriadão de Páscoa e 2,3 milhões de alunos ficarão sem aulas no estado; dentre os 13 pontos apresentados ao governo Richa pela APP-Sindicato a implantação de 33% de hora-atividade e reajuste de 10,6% neste ano, conforme a Lei Nacional do Piso; abaixo, leia a pauta de reivindicação completa dos grevistas.

Levantamento realizado pelos cadernos regionais do Blog do Esmael, cerca de 90% dos educadores já decidiram entrar em greve no próximo dia 23 de abril por tempo indeterminado; pais e alunos, na última semana, realizaram atos em apoio às pautas de professores e funcionários das 2,1 mil escolas do Paraná; com a paralisação, 100 mil profissionais do magistério cruzarão os braços após o feriadão de Páscoa e 2,3 milhões de alunos ficarão sem aulas no estado; dentre os 13 pontos apresentados ao governo Richa pela APP-Sindicato a implantação de 33% de hora-atividade e reajuste de 10,6% neste ano, conforme a Lei Nacional do Piso; abaixo, leia a pauta de reivindicação completa dos grevistas.

Na próxima quarta-feira, dia 23 de abril, os educadores entrarão em greve por tempo indeterminado no Paraná. Cerca de 100 mil profissionais da educação — professores e funcionários — de 2,1 mil escolas da rede pública estadual vão paralisar as aulas de 2,3 milhões de alunos para reivindicar 13 itens de uma pauta descumprida pelo governador Beto Richa (PSDB).

Segundo informações obtidas pelo Blog do Esmael, cerca de 90% da categoria já decidiu cruzar os braços semana que vem no estado. A última greve ocorrida na educação paranaense foi em 2000, ainda na gestão do então governador Jaime Lerner.

Os educadores exigem que o governo Richa cumpra a Lei Nacional do Piso que, além de reajuste de 10,6% neste ano, prevê 33% de hora-atividade para que os professores possam preparar suas aulas e se dedicar às demais atividades fora da sala. O magistério também cobra R$ 100 milhões relativos a avanços e progressões não pagos.

A seguir leia, os 13 pontos de pauta reivindicados pela APP-Sindicato: (mais…)

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

Ricardo Mac Donald, em sua coluna desta Sexta-Feira Santa, continua sua saga “A difícil arte de governar”, que entrou no capítulo V; hoje o capitão do time de Gustavo Fruet, na Prefeitura de Curitiba, afirma que os funcionários têm medo de agir e decidir devido a “observantes”; ele destaca que o golpe militar de 1964 retardou a burocracia e o surgimento de líderes comprometidos com o desenvolvimento nacional; sem citar nome, o colunista observa que, fruto dessa falta de cérebro na administração pública, surge aquele parlamentar que está seguindo para o 7º mandato na Assembleia Legislativa do Paraná, ainda de acordo com Mac Donald, mesmo possuindo “pouco tempo alisando os bancos escolares, mas ágil na troca de favores, nomeação de amigos e parentes, especialista em títulos de utilidade pública e em prestar homenagens, conferindo nome de pessoas a estradas e obras públicas”; leia o texto.

Ricardo Mac Donald, em sua coluna desta Sexta-Feira Santa, continua sua saga “A difícil arte de governar”, que entrou no capítulo V; hoje o capitão do time de Gustavo Fruet, na Prefeitura de Curitiba, afirma que os funcionários têm medo de agir e decidir devido a “observantes”; ele destaca que o golpe militar de 1964 retardou a burocracia e o surgimento de líderes comprometidos com o desenvolvimento nacional; sem citar nome, o colunista observa que, fruto dessa falta de cérebro na administração pública, surge aquele parlamentar que está seguindo para o 7º mandato na Assembleia Legislativa do Paraná, ainda de acordo com Mac Donald, mesmo possuindo “pouco tempo alisando os bancos escolares, mas ágil na troca de favores, nomeação de amigos e parentes, especialista em títulos de utilidade pública e em prestar homenagens, conferindo nome de pessoas a estradas e obras públicas”; leia o texto.

Ricardo Mac Donald*

Temos sofrido com a demora, a duplicação de custos, a perda de oportunidades de inovação, o desvio de finalidade e, por fim, o receio de funcionários públicos em decidir e agir, não por culpa sua, mas porque uma superestrutura de “observantes” retarda o processo e causa insegurança jurídica por múltiplas orientações divergentes.

Soma-se a isso o fato, nem sempre lembrado, de que o golpe de 1964 ceifou toda uma geração de líderes, administradores e gente que pensava o Brasil.

Com a redemocratização, muitos tiveram a oportunidade de ainda atuar: Mário Covas, Franco Montoro, Ulisses, Miguel Arraes, Brizola, Trancredo Neves, Lula e vários outros representaram os conhecimentos de uma geração disposta a trabalhar, cada qual a seu modo, pelo bem do País.

Mas, depois deles, quem? Forma-se um doloroso hiato, aliás, antevisto por Ulisses Guimarães quando dizia: “se vocês acham este Congresso ruim, esperem para ver o próximo”. O Lula, no auge da sua forma, falava dos “trezentos picaretas da Câmara Federal”. Menos mal que sobravam 213 bons deputados. (mais…)

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS
Charge de Aroeira - Brasil Econômico.

Charge de Aroeira – Brasil Econômico.

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

capa_oparanaJornais do Paraná

- Gazeta do Povo: Cientistas encontram “nova Terra” no Universo

- Bem Paraná: PT inicia processo para ejetar André Vargas do partido

- Jornal Metro: Senado barra doações de empresas a campanhas

- Jornal de Londrina: Sercomtel estanca sangria e fecha ano com caixa positivo

- Folha de Londrina: Câmara decide investigar irregularidades em alvarás

- O Diário (Maringá): Dnit divulga licitação do Contorno Sul em maio

- Diário dos Campos: PG quadriplica criação de empregos no trimestre

- Jornal da Manhã: Estado anuncia início das obras do novo presídio

- Correio do Cidadão: #pascoaacimadainflação

- Tribuna do Interior: Perda milionária

- O Paraná: Novo subtipo de dengue coloca região em alerta

- Gazeta do Paraná: Bebber quer voltar ao seu mandato, mas Pacheco disse ‘não’

- Jornal Hoje: Risco de extinção e falhas em UPS preocupam empresários

- Tribuna de Cianorte: Previsão é de 18 mil veículos por dia na PR-323 no feriadão

- Tribuna do Norte: PM é morto com sete tiros

Jornais de outros estados

- Globo: Desemprego no Rio cai a 3,5%, mas a inflação diminui renda

- Folha: Após dois dias e 52 mortes, PM da Bahia encerra greve

- Correio: O homem que viveu para contar

- Estado de Minas: Viveu para contar

- Zero Hora: RS é o segundo Estado que mais abriu vagas em março

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

do Brasil 247

Instituto mostra presidente com três pontos a menos do que na pesquisa anterior, mas ainda assim venceria eleição em primeiro turno; Dilma Rousseff apresentou 37% agora, contra 14% para Aécio Neves e 6% para Eduardo Campos; avaliação do governo obteve 34% de "ótimo" e "bom"; candidatos da oposição não subiram, à exceção de Aécio, com um ponto a mais; cenário com Marina Silva apontou 10% para a ex-ministra; antes, pesquisa Vox Populi mostrou 40% para Dilma; em ambos os levantamentos, presidente ganha eleição em primeiro turno; resistência à pressão parece ser maior do que a oposição gostaria.

Instituto mostra presidente com três pontos a menos do que na pesquisa anterior, mas ainda assim venceria eleição em primeiro turno; Dilma Rousseff apresentou 37% agora, contra 14% para Aécio Neves e 6% para Eduardo Campos; avaliação do governo obteve 34% de “ótimo” e “bom”; candidatos da oposição não subiram, à exceção de Aécio, com um ponto a mais; cenário com Marina Silva apontou 10% para a ex-ministra; antes, pesquisa Vox Populi mostrou 40% para Dilma; em ambos os levantamentos, presidente ganha eleição em primeiro turno; resistência à pressão parece ser maior do que a oposição gostaria.

Embora tenha perdido três pontos percentuais entre março e abril, a presidente Dilma Rousseff registra 37% das intenções de voto do eleitorado, revela pesquisa Ibope divulgada nesta quinta-feira 17 pela TV Globo e portal G1. Com esse índice, a pré-candidata do PT à reeleição ganharia a eleição em primeiro turno em todos os dois cenários pesquisados. Na semana passada, pesquisa Vox Populi mostrou Dilma em primeiro lugar com 40% de intenções.

Dilma venceria com 37% nos dois cenários. No primeiro, o senador do PSDB Aécio Neves teria 14% dos votos, e o ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos (PSB), 6%. No segundo, com Marina Silva, candidata a vice, no lugar de Campos, a ex-senadora teria 10% da preferência do eleitorado. (mais…)

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

do Brasil 247

Depois de atacar a política econômica do governo Dilma Rousseff e pedir a cabeça do ministro Guido Mantega, revista britânica afirma que "trabalhadores brasileiros são gloriosamente improdutivos"; reportagem intitulada "50 anos de soneca", numa alusão ao fato de que, segundo a publicação, nas últimas cinco décadas a produtividade do trabalhador no País estacionou, ou até mesmo caiu, ao contrário de outros emergentes, traz a foto de um homem descansando em uma rede na praia; passou dos limites?

Depois de atacar a política econômica do governo Dilma Rousseff e pedir a cabeça do ministro Guido Mantega, revista britânica afirma que “trabalhadores brasileiros são gloriosamente improdutivos”; reportagem intitulada “50 anos de soneca”, numa alusão ao fato de que, segundo a publicação, nas últimas cinco décadas a produtividade do trabalhador no País estacionou, ou até mesmo caiu, ao contrário de outros emergentes, traz a foto de um homem descansando em uma rede na praia; passou dos limites?

Depois de criticar a política econômica da presidente Dilma Rousseff, pedir por mais de uma vez a cabeça do ministro da Fazenda, Guido Mantega, e até desdenhar o leilão de Libra, do pré-sal, definindo o negócio como “barato”, a revista britânica The Economist passou dos limites. Em sua última edição impressa (leia aqui, em inglês), a publicação traz uma reportagem intitulada “The 50-year snooze” (50 anos de soneca, em português), uma alusão ao que interpreta como um estacionamento ou mesmo queda na produção por trabalhador brasileiro nas últimas cinco décadas. (mais…)

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS
Copyright © 2009 Blog do Esmael. Todos os direitos reservados.