Comparação da ministra Agricultura, Kátia Abreu, causou saia justa com Beto Richa, cujo governo no Paraná tem integrantes investigados pedofilia e corrupção; segundo a “Menina Veneno”, como é conhecida a ministra, o tucano é parecido com o Alex, personagem do ator global Rodrigo Lombardi, na novela “Vidas Secretas”.

Comparação da ministra Agricultura, Kátia Abreu, causou saia justa com Beto Richa, cujo governo no Paraná tem integrantes investigados pedofilia e corrupção; segundo a “Menina Veneno”, como é conhecida a ministra, o tucano é parecido com o Alex, personagem do ator global Rodrigo Lombardi, na novela “Vidas Secretas”.

A coluna Painel, do jornal Folha de S. Paulo, edição desta sexta-feira (31), registra que a ministra da Agricultura, Kátia Abreu (PMDB-TO), conhecida como “Menina Veneno”, constrangeu o governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), durante evento de produtores de animais em São Paulo, ao compará-lo a Alex, personagem do ator Rodrigo Lombardi na novela global “Vidas Secretas”.

O governador paranaense teve recentemente funcionários de confiança no Palácio Iguaçu, e na Receita Estadual de Londrina, envolvidos em escândalos de pedofilia. A comparação trouxe à cabeça de muitos a lembrança do fotógrafo Marcelo “Tchello” Caramori, ex-assessor do tucano, organizador de book rosa, que agora foi convertido em delator do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado).

Na novela da TV Globo, o empresário Alex tem predileção pelas prostitutas.

Leia também:

Juiz exclusivo para processos contra corrupção no governo Beto Richa desagrada advogados de defesa

A seguir a informação da Folha de S. Paulo: (mais…)

Compartilhe!

    O objetivo do judiciário paranaense é dar celeridade aos julgamentos de crimes de corrupção no governo tucano Beto Richa, a exemplo do que já ocorre na Lava Jato, comandada pelo juiz federal Sérgio Moro.

    O objetivo do judiciário paranaense é dar celeridade aos julgamentos de crimes de corrupção no governo tucano Beto Richa, a exemplo do que já ocorre na Lava Jato, comandada pelo juiz federal Sérgio Moro.

    O Presidente do Tribunal de Justiça do Paraná (TJPR), desembargador Paulo Roberto Vasconcelos, determinou nesta quinta-feira (30) que as ações que tratam dos casos de corrupção no governo do estado, investigados nas operações Publicano e Voldemort do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), sejam conduzidas por um único Juiz, Juliano Nanuncio, titular da 3ª Vara Criminal de Londrina.

    A determinação desagradou os advogados de defesa que prometem recorrer ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) e ao Supremo Tribunal Federal (STF) contra a designação de do juiz exclusivo. O objetivo da medida é acelerar os processos contra servidores e empresários ligados ao governador de Beto Richa (PSDB), entre eles, seu primo Luiz Abi Antoun. A partir de agora, o Juiz Juliano Nanuncio vai se ocupar somente dessas ações. Os outros processos que estavam sob sua responsabilidade serão repassados a outros juízes.

    A designação do juiz exclusivo é considerada uma vitória da mobilização de entidades e do grupo “Vai Gaeco!”, que se organiza nas redes sociais e tem mais de 15 mil integrantes no Facebook. Trata-se também do primeiro esboço de uma resposta do Judiciário à sociedade e de uma mudança de ambiente dentro do próprio Tribunal de Justiça.

    Mas vale lembrar que em abril, um mês depois de Nanuncio decretar prisões preventivas, ainda na Operação Voldemort, o ambiente era outro. Na decisão em que concedeu Habeas Corpus aos réus, o juiz substituto de segundo grau, Márcio José Tokars, pediu que o magistrado fosse investigado pela Corregedoria do TJPR.

    A decisão foi elogiada pelo presidente da OAB de Londrina, Artur Piancastelli, que considerou “acertada” a decisão devido ao elevado e “incomum” número de réus, testemunhas e de advogados o que não pode ser sinônimo de prescrição no andamento de um processo.

    Com informações do Blog Baixo Clero e do Jornal Folha de Londrina

    Compartilhe!

      Com informações da Ajufe

      Luiz Fernando Delazari, o Lula, recebeu esta semana homenagens públicas do ‘amigo de longa data’ Sérgio Moro durante congresso do Instituto dos Advogados do Paraná (IAP).

      Luiz Fernando Delazari, o Lula, recebeu esta semana homenagens públicas do ‘amigo de longa data’ Sérgio Moro durante congresso do Instituto dos Advogados do Paraná (IAP).

      O ex-secretário da Segurança Pública do Paraná, Luiz Fernando Delazari, conhecido como Lula, foi homenageado esta semana pelo juiz federal Sérgio Moro, comandante-em-chefe da operação Lava Jato, durante congresso do Instituto dos Advogados do Paraná (IAP).

      Lula, assessor jurídico do senador Roberto Requião (PMDB-PR), elaborou texto do Projeto de Lei 402/2015, que tramita no Senado, que permite a prisão, como uma regra para crimes graves, já após a condenação em 2ª instância ou pelo Júri. Ou seja, o apenado não terá direito à liberdade até o processo transitar em julgado.

      O texto em tramitação no Senado prevê que, nos casos de crimes hediondos, de tráfico de drogas, tortura, terrorismo, corrupção ativa ou passiva, peculato e lavagem de dinheiro, o condenado seja conservado preso quando não tiverem cessado as causas que motivaram a decretação ou a manutenção da prisão cautelar.

      O Projeto de Lei também é subscrito pelos senadores Gleisi Hoffmann (PT-PR), Alvaro Dias (PSDB-PR), Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP) e Ricardo Ferraço (PMDB-ES).

      Leia a íntegra do PL 402/2015: (mais…)

      Compartilhe!

        aliel_alvaro_assis_toninhoA “janela” de 30 dias para a troca de partido sem perder o mandato, prevista para ser aberta no mês de agosto, deverá mexer muito na composição das bancadas no Congresso Nacional. O texto da reforma política, aprovada na Câmara, tem ainda que passar pelo crivo do Senado.

        O PT deverá ser a agremiação que mais sangrará, ou seja, perderá entre 20 e 30% dos deputados, dizem os otimistas, mas há quem calcule em 50% o número de defecções. A legenda elegeu 69 parlamentares nas eleições de 2014.

        No Paraná, os deputados petistas Toninho Wandscheer e Assis do Couto estão de malas prontas. Eles deverão embarcar nas canoas do PROS e PDT, respectivamente. Os dois representam 50% da bancada, haja vista que o PT elegeu 4.

        Já o deputado Aliel Machado, único do PCdoB no estado, tende ingressar no PDT ou no PMDB. O jovem parlamentar avalia ser impossível continuar na legenda vermelha por questões políticas e ideológicas. Na Câmara, ele tem votado sistematicamente contra o governo Dilma e a orientação partidária.

        Outro paranaense proeminente que deverá trocar de partido é o senador Álvaro Dias, do PSDB. O pai do cachorrinho Bichon Frisé Hugo Henrique tende agasalhar-se no PSB, onde sonha concorrer à Presidência da República em 2018. O ainda tucano já começou treinar a palavra “companheiro” que utilizará com bastante frequência nas fileiras socialistas.

        Compartilhe!
          paixao

          Charge de Paixão para a Gazeta do Povo

          Compartilhe!

            img_edg_8483Jornais do Paraná

            Gazeta do Povo: Crise freia investimentos e provoca onda de demissões nas indústrias do Paraná

            Bem Paraná: Falta conscientização na canaleta de ônibus

            Jornal Metro: Dilma pede ajuda contra pautas bomba

            Jornal de Londrina: Com passivo de 10 mil árvores, concessionárias ignoram lei

            Folha de Londrina: Advogados estudam medidas contra juiz exclusivo na Publicano

            O Diário (Maringá): Presos suspeito de ser o Maníaco da Torre

            Diário dos Campos: Suspeitos de assaltos morrem em confronto com a polícia

            Jornal da Manhã: PG recebe proposta de 25 empresas para construir usina de lixo

            O Paraná: Fiscal é assassinada por catadores em lixão

            Gazeta do Paraná: “Não podemos nos dar ao luxo de ignorar a realidade”

            Jornal Hoje: Se ritmo se mantiver, apenas 57% dos eleitores vão se candidatar

            Tribuna de Cianorte: Tarifa do transporte coletivo sobe para R$ 2,20 a ppartir de amanhã

            Umuarama Ilustrado: Justiça afasta auditor da Receita Estadual em Umuarama sob suspeita de corrução

            Tribuna do Norte: Força-tarefa é criada para investigar roubos na PR-444

            Jornais de outros estados

            Globo: Governadores apoiam Dilma contra aumento de gastos

            Folha: Governo tem deficit inédito no 1° semestre, de R$ 1,6 bi

            Estadão: Governadores vão combater pauta que ameaça ajuste

            Correio Braziliense: Advogada de delatores se diz ameaçada por CPI

            Valor: Recessão e chuvas afastam risco de falta de energia

            Estado de Minas: Não pagou IPVA? Vai para o SPC

            Zero Hora: Piratini deve pagar hoje salário de R$ 2,5 mil

            Compartilhe!

              do Brasil 247
              dilma_govEm um discurso de cerca de meia hora na abertura da reunião com os 27 governadores e ministros do governo, no Palácio da Alvorada, a presidente Dilma Rousseff disse na tarde desta quinta-feira 30 que “o bom caminho é aquele da cooperação” e defendeu um “projeto de cooperação federativa”.

              “Conto com vocês. Quero dizer, do fundo do coração, que vocês podem contar comigo. Há muito que nós sabemos que o Brasil se passa nos estados e nos municípios. Se nós não tivermos um projeto de cooperação federativa, em que nos articulemos e façamos com que ela dê frutos e resultados, não estaremos trilhando o bom caminho. O bom caminho é aquele da cooperação”, afirmou Dilma.

              A presidente defendeu seu mandato e, citando o processo democrático em que foram eleitos, ela e os governadores, ressaltou que o cumprirá até o fim, em 2018, em um recado para as tentativas de tirá-la do poder antes disso.

              “Temos um patrimônio em comum, expresso no fato de todos nós termos sidos eleitos num processo democrático bastante amplo no nosso país e todos nós temos esse dever em relação à democracia e ao voto democrático e popular. Nas últimas eleições, assumimos compromissos perante os eleitores, expressos nos nossos planos de governo de quatro anos, portanto, até 2018″, declarou. (mais…)

              Compartilhe!

                Sondagem do Ibope dá gás para manifestantes de extrema-direita, que vão às ruas no próximo dia 16, pelo impeachment de Dilma Rousseff; segundo o levantamento realizado entre 16 e 22 de julho, as Forças Armadas gozam de mais confiança da sociedade que a presidenta e os partidos políticos, que ficam em último lugar na escala do Índice de Confiança Social (ICS).

                Sondagem do Ibope dá gás para manifestantes de extrema-direita, que vão às ruas no próximo dia 16, pelo impeachment de Dilma Rousseff; segundo o levantamento realizado entre 16 e 22 de julho, as Forças Armadas gozam de mais confiança da sociedade que a presidenta e os partidos políticos, que ficam em último lugar na escala do Índice de Confiança Social (ICS).

                O Corpo de Bombeiros, a Igreja e as forças Armadas são as instituições mais confiáveis aos brasileiros. O levantamento do Índice de Confiança Social (ICS) é do Ibope, realizado sempre no mês de julho desde 2009.

                Em comparação a 2014, a presidenta Dilma Rousseff (PT) e os meios de comunicação caíram na escala que vai de zero a 100.

                O Corpo de Bombeiros, que ocupa a primeira posição desde 2009, segue no topo do ranking e registra a maior evolução na confiança da população, passando de 73 em 2014 para 81 pontos neste ano.

                Na terceira posição estão as Forças Armadas (de 62 para 63), seguidas pelos Meios de Comunicação (de 54 para 59), que interrompem um movimento contínuo de queda que vinha ocorrendo desde o início da medição.

                ics

                A presidenta Dilma tinha 44 pontos no ano passado. Agora ela tem 22.

                Os partidos políticos são os piores avaliados desde o início da série há seis anos. Eles têm apenas 17 pontos no ICS. O melhor momento das legendas foi em 2010 quando atingiram 33 pontos.

                O Índice de Confiança Social ouviu 2.002 pessoas com mais de 16 anos em 142 municípios. A pesquisa foi realizada entre 16 e 22 de julho.

                Compartilhe!

                  A competentíssima jornalista Laís Laíny, parceira do Blog do Esmael em Cascavel, região Oeste, traz em seu blog mais uma grave denúncia contra o governo de Beto Richa. Segundo a blogueira, o tucano instituiu a "mensalância" -- uma espécie de mensalão pago com ambulâncias compradas com o dinheiro dos servidores públicos confiscado da Paranáprevidência. Ainda de acordo com a reportagem de Laís, existe até uma lista com os 33 deputados da bancada do camburão, que devem ser chamados para entregar as viaturas, e, para participarem de eventos do governo do Paraná. Os 18 parlamentares “independentes”, que votam contra o Palácio Iguaçu, são boicotados. Recentemente, o líder do governo, Luiz Claudio Romanelli (PMDB), disse que não tem espaço para “cinza” ou é “branco” ou é “preto”. Ou seja, ou o deputado é situação ou oposição. O tema promete esquentar a volta do recesso da Assembleia na semana que vem. Abaixo, leia a reportagem completa.

                  A competentíssima jornalista Laís Laíny, parceira do Blog do Esmael em Cascavel, região Oeste, traz em seu blog mais uma grave denúncia contra o governo de Beto Richa. Segundo a blogueira, o tucano instituiu a “mensalância” — uma espécie de mensalão pago com ambulâncias compradas com o dinheiro dos servidores públicos confiscado da Paranáprevidência. Ainda de acordo com a reportagem de Laís, existe até uma lista com os 33 deputados da bancada do camburão, que devem ser chamados para entregar as viaturas, e, para participarem de eventos do governo do Paraná. Os 18 parlamentares “independentes”, que votam contra o Palácio Iguaçu, são boicotados. Recentemente, o líder do governo, Luiz Claudio Romanelli (PMDB), disse que não tem espaço para “cinza” ou é “branco” ou é “preto”. Ou seja, ou o deputado é situação ou oposição. O tema promete esquentar a volta do recesso da Assembleia na semana que vem. Abaixo, leia a reportagem completa.

                  via blog da Laís Laíny, de Cascavel

                  Está aberta a temporada de caça às bruxas em relação aos deputados estaduais da base aliada que não fizeram às vontades do governador Beto Richa (PSDB) no primeiro semestre.

                  Os aliados que não aceitaram entrar no camburão e não compactuaram com o massacre de 29 de abril, estão sendo tratados como “vira-casacas” e excluídos de qualquer ajuda do governo às bases eleitorais. Já os que votaram à favor, estão recebendo todos os louros de emendas e investimentos, como ambulâncias entregues recentemente. Nos bastidores, a prática tem sido chamadas de “mensalância” – o mensalão das ambulâncias.

                  Fala-se até na existência de uma lista distribuída entre as secretarias estaduais com nomes de deputados que não devem ser convidados para inaugurações e demais eventos do governo. (mais…)

                  Compartilhe!

                    Lula e Romário, no ataque, prometem infernizar na Justiça a revista Veja.

                    Lula e Romário, no ataque, prometem infernizar na Justiça a revista Veja.

                    O senador Romário (PSB-RJ) e o ex-presidente Lula (PT), tacitamente, formaram uma dupla de ataque contra as mentiras da revista Veja. O “Baixinho” e o petista anunciaram nas últimas horas que vão à Justiça por denúncias falsas veiculadas pelo semanário.

                    Além disso, o Instituto Lula divulgou nota oficial afirmando que os ataques recebidos da revista têm a ver com a liderança que o ex-presidente exerce no Brasil e no mundo. O órgão só não disse que Lula também lidera as pesquisas de opinião em vários estados e que pode vencer 2018 já no primeiro turno.

                    No fim de semana, Veja estampou Lula na capa suposta delação de empreiteiro. O objetivo é criminalizar a atividade política do presidenciável e tirá-lo da disputa que ocorrerá daqui a dois anos.

                    Segundo a revista, o ex-presidente seria lobista da Odebrecht no exterior. No entanto, atividade semelhante tem o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, que “vende” empresas e produtos de seu país nas viagens internacionais.

                    Romário, por sua vez, orientou os repórteres de Veja — Thiago Prado e Leslie Leitão –, que assinaram matéria apontando que o Peixe teria R$ 7,5 milhões escondidos na Suíça, a saírem do Facebook.

                    Compartilhe!

                      richa_rui_acmO instituto Paraná Pesquisas, de Murilo Hidalgo, percorre o país para comparar os números de aprovação de prefeitos e governadores. Nesta quinta-feira (30), dia de reunião com a presidenta Dilma Rousseff (PT), foi divulgada sondagem no estado da Bahia.

                      Segundo o levantamento, a administração do governador Rui Costa (PT) é aprovada por 57% dos baianos. A título de comparação, o governador paranaense, Beto Richa (PSDB), tem incrível reprovação de 90%. No entanto, há quem venda ao tucano que a “fase” ruim passará e que logo logo cairá nas graças do povo.

                      Sonho à parte, voltemos à realidade da Bahia.

                      Em Salvador, na capital, o prefeito ACM Neto (DEM) também é tratado como “semideus”, de acordo com o pesquisador Murilo Hidalgo. A administração de “Grampinho”, como é conhecido o moço, bate os 82%. Ele também lidera a corrida para 2016 com 67%.

                      Compartilhe!

                        Beto Richa, em baixa depois que mandou massacrar professores no Paraná, está em baixa nas pesquisas; tucano foi alvo ontem de protestos em todo o estado; segundo o instituto Paraná Pesquisas, Richa é mais rejeitado que a presidenta Dilma na terra das araucárias, terreno que sempre foi hostil ao PT; nesta quinta-feira (30), em Brasília, às 16 horas, governador paranaense vai aconselhar a presidenta da República para sair da crise política.

                        Beto Richa, em baixa depois que mandou massacrar professores no Paraná, está em baixa nas pesquisas; tucano foi alvo ontem de protestos em todo o estado; segundo o instituto Paraná Pesquisas, Richa é mais rejeitado que a presidenta Dilma na terra das araucárias, terreno que sempre foi hostil ao PT; nesta quinta-feira (30), em Brasília, às 16 horas, governador paranaense vai aconselhar a presidenta da República para sair da crise política.

                        O governador Beto Richa (PSDB) promete aconselhar a presidenta Dilma Rousseff (PT), nesta quinta-feira (30), em Brasília, durante reunião com governadores no Palácio do Planalto. O encontro começará a partir das 16 horas.

                        O tucano se acha muito parecido com a petista, inclusive no quesito popularidade. No Paraná, por exemplo, ambos têm reprovação igual, segundo a Paraná Pesquisas. Em algumas áreas, Richa até é mais rejeitado que Dilma. O PT não considera o estado como sua praia, pois sempre sofreu nas mãos do eleitorado conservador.

                        Diferente de Dilma, o governador do Paraná é alvo de investigação da operação Lava Jato. Na semana passada, o doleiro do PSDB Alberto Youssef, em nova delação premiada, incriminou integrantes do governo Richa e o primo dele, Luiz Abi Antoun, apontado como operador de caixa dois do tucano.

                        O Blog do Esmael ouviu um parlamentar do PT, em Brasília, que aconselhará Dilma a não ouvir os conselhos de Richa: “Se conselho fosse bom não se dava, vendia-se”, filosofa o petista.

                        Compartilhe!

                          Requião Filho, em sua coluna desta quinta-feira, detona a máfia do transporte coletivo em Curitiba e região metropolitana; colunista denuncia que Prefeitura de Curitiba e governo do Paraná delegarão aos empresários do setor a "autogestão" da qualidade do serviço e do preço da tarifa; ele informa que entrou com uma Ação Popular, na Justiça, para suspender a manobra a favor os donos dos ônibus e contra os usuários; colunista também comenta foto dele, quando era modelo profissional, distribuída pelos adversários; "É fetiche, posso enviar uma mais atualizada", ironizou; leia o texto e compartilhe.

                          Requião Filho, em sua coluna desta quinta-feira, detona a máfia do transporte coletivo em Curitiba e região metropolitana; colunista denuncia que Prefeitura de Curitiba e governo do Paraná delegarão aos empresários do setor a “autogestão” da qualidade do serviço e do preço da tarifa; ele informa que entrou com uma Ação Popular, na Justiça, para suspender a manobra a favor os donos dos ônibus e contra os usuários; colunista também comenta foto dele, quando era modelo profissional, distribuída pelos adversários; “É fetiche, posso enviar uma mais atualizada”, ironizou; leia o texto e compartilhe.

                          Requião Filho*

                          Leitor querido, você viu minha foto sem camisa editada neste mesmo blog? Não? Procure umas matérias abaixo e você há de encontrar.

                          Um governo podre só pode ser feito de pessoas podres. Pessoas com deturpação de caráter. Já diz o adagio “diga-me com quem andas e te direi quem és”. No caso do Paraná está mais para “durma com vira-latas e acordarás com pulgas”. Nem o Governo Federal conseguiu tantos escândalos evolvendo pessoas ligadas aos mais altos escalões do executivo.

                          Querem agredir a minha pessoa, tentam denegrir minha imagem. Desfilei, sem camisa… e? Melhor que roubar, ter copiloto preso, ter primo quadrilheiro ou receber dinheiro sujo e de caixa dois. Não desfilei de camburão e ando de cabeça erguida aonde vou. Vasculharam o que puderam, só acharam isso! Aqui o papo é reto. Não tenho envolvimento com bandido, e não sou quadrilheiro. Que venha a baixaria, não tenho rabo preso. Sei para quem trabalha o autor do “material” e tenho pena destes lacaios. Ah, se quiserem uma foto mais atual é só pedir, vai que é fetiche…

                          Pronto ! Agora vamos ao que interessa! (mais…)

                          Compartilhe!
                            Charge de Aroeira, no jornal O Dia.

                            Charge de Aroeira, no jornal O Dia.

                            Compartilhe!

                              capaJornais do Paraná

                              Gazeta do Povo: Justiça aceita denúncia contra “ala curitibana” da corrupção na Receita

                              Bem Paraná: “Creches” viram opção para idosos em Curitiba

                              Jornal Metro: Dilma decide vetar aumento real para os aposentados

                              Jornal de Londrina: Holofotes contra pombas

                              Folha de Londrina: Selic tem sétimo aumento consecutivo

                              O Diário (Maringá): Cadeia é interditada e Estado promete demolir

                              Diário dos Campos: PG tem pavimentação como grande desafio

                              Jornal da Manhã: Polo cervejeiro aumenta área de cevada na região

                              Gazeta do Paraná: Dilma vai vetar correção do salário dos aposentados

                              Jornal Hoje: Donos de bancas têm um mês para fechar as portas

                              Diário do Noroeste: Hoje não serão feitas perícias médicas no INSS de Paranavaí

                              Tribuna de Cianorte: Conta da água fica 8% mais cara no Paraná

                              Tribuna do Norte: Prefeitura de Apucarana fará mutirão de cirurgias

                              Jornais de outros estados

                              Globo: Lava-Jato tem mais seis delatores e 13 novos réus

                              Folha: BC eleva juros a 14,25% e diz ter encerrado ciclo de altas

                              Estadão: BC eleva juros em 0,5 pontos e indica fim do ciclo de alta

                              Correio Braziliense: Justiça barra grilagem bilionária no Lago Norte

                              Estado de Minas: Por que as universidades federais estão a beira do colapso?

                              Zero Hora: Juro vai a 14,25% para frear crédito e segurar inflação

                              Compartilhe!

                                Governador Beto Richa enfrenta dilema familiar na reforma do secretariado: demitir ou não demitir o mano Pepe da Infraestrutura.

                                Governador Beto Richa enfrenta dilema familiar na reforma do secretariado: demitir ou não demitir o mano Pepe da Infraestrutura.

                                O governador Beto Richa (PSDB), que amanhã se reúne com a presidenta Dilma, em Brasília, pretende realizar reforma no secretariado na semana que vem, quando retorna ao Paraná.

                                O tucano enfrenta dificuldades para cortar da própria carne, Isto é, demitir o próprio mano José Richa Filho, o Pepe, secretário da Infraestrutura.

                                Segundo Garganta Profunda de Londrina, informante do Blog do Esmael no Palácio Iguaçu, devida a situação modorrenta, governador e auxiliares próximos classificam a pasta de Pepe como “água de poço”.

                                Mas há outro motivo que poderá fazer Richa demitir o próprio irmão. Fontes próximas ao governador indicam que a Infraestrutura é bola da vez, ou seja, onde deverá explodir novo escândalo do governo.

                                Compartilhe!

                                  Segundo Garganta Profunda de Londrina, informante do Blog do Esmael no Palácio Iguaçu, o juiz federal Sérgio Moro, do Paraná, é cotado na lista vazada para compor um virtual ministério de Aécio Neves, caso ocorra o impeachment da presidenta Dilma.

                                  Segundo Garganta Profunda de Londrina, informante do Blog do Esmael no Palácio Iguaçu, o juiz federal Sérgio Moro, do Paraná, é cotado na lista vazada para compor um virtual ministério de Aécio Neves, caso ocorra o impeachment da presidenta Dilma.

                                  Os esforços golpistas do senador Aécio Neves (PSDB-MG), que tenta derrubar no tapetão a presidenta Dilma Rousseff (PT), começam mexer com os mais “primitivos instintos” de lideranças de partidos, setores da mídia e conspiradores de extrema-direita que apoiaram o tucano na campanha derrotada de 2014.

                                  Pois bem, Garganta Profunda de Londrina, informante do Blog do Esmael no Palácio Iguaçu, teve acesso com exclusividade à minuta como nomes para um possível ministério de Aécio. Isto é, caso o senador mineiro consiga derrubar a presidenta da PT.

                                  Especulação à parte, o X-9 palaciano, com acesso fácil ao 3º andar, na antessala do governador Beto Richa (PSDB), nunca deu informação furada. Pelo contrário. Seus acertos e dicas são mais precisos que o de Julian Assange, do Wikileaks.

                                  Mas o que chama a atenção no vazamento é da quantidade de paranaenses no primeiro time do “Presidente Aécio”. Nada mais nada menos que cinco políticos das terras das araucárias são contados para o ministério do tucano: Fernando Francischini (SD), Reinold Stephanes (PSD), Rubens Bueno (PPS), Sérgio Moro e Pepe Richa (PSDB).

                                  Nos melhores momentos da política, o Paraná já teve 3 ministros ao mesmo tempo no governo do PT: Gleisi Hoffmann, Paulo Bernardo e Gilberto Carvalho.

                                  Esta semana, o PSDB começou convocar pelas inserções no horário eleitoral as manifestações contra Dilma no dia 16 de agosto. O Paraná, com apoio do governador Beto Richa, sempre teve peso nessas manifestações contra o PT.

                                  Leia a íntegra do ministério de Aécio Neves:

                                  Advocacia-Geral da União
                                  Carlos Sampaio (PSDB-SP)

                                  Banco Central do Brasil
                                  Neca Setúbal

                                  Casa Civil
                                  Aloysio Nunes (PSDB-SP)

                                  Controladoria-Geral da União
                                  Geraldo Brindeiro

                                  Gabinete de Segurança Institucional
                                  Fernando Francischini (SD-PR) ou Jair Bolsonaro (PP-RJ)

                                  Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento
                                  Reinold Stephanes (PSD-PR)

                                  Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação
                                  Paulo Bauer (PSDB-SC)

                                  Ministério da Cultura
                                  Luciano Huck

                                  Ministério da Defesa
                                  Fernando Henrique Cardoso

                                  Ministério da Educação
                                  Maria Helena Guimarães

                                  Ministério da Fazenda
                                  Armínio Fraga

                                  Ministério da Integração Nacional
                                  Danilo Forte (PMDB-CE)

                                  Ministério da Justiça
                                  Sérgio Moro

                                  Ministério da Previdência Social
                                  Roberto Freire (PPS-SP) ou Rubens Bueno (PPS-PR)

                                  Ministério da Pesca
                                  André Moura (PSC-SE)

                                  Ministério da Saúde
                                  Geraldo Ferreira

                                  Ministério das Cidades
                                  Geddel Vieira Lima (PMDB-BA)

                                  Ministério das Comunicações
                                  Merval Pereira

                                  Ministério das Relações Exteriores
                                  Marina Silva

                                  Ministério de Minas e Energia
                                  José Jorge

                                  Ministério do Desenvolvimento Agrário
                                  Ronaldo Caiado (DEM-GO)

                                  Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome
                                  Pimenta da Veiga (PSDB-MG)

                                  Ministério do Desenvolvimento, indústria e Comércio Exterior
                                  Ana Amélia (PP-RS)

                                  Ministério do Esporte
                                  Ronaldo Luís Nazário de Lima

                                  Ministério do Meio Ambiente
                                  Eduardo Jorge (PV-SP)

                                  Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão
                                  Antonio Anastasia (PSDB-MG)

                                  Ministério do Trabalho e Emprego
                                  Paulinho da Força (SD-SP)

                                  Ministério do Turismo
                                  Pastor Everaldo (PSC-RJ)

                                  Ministério da Infraestrutura
                                  Pepe Richa (PSDB-PR)

                                  Secretaria da Micro e Pequena Empresa
                                  Alberto Goldman (PSDB-SP)

                                  Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República
                                  Beto Albuquerque (PSB-RS)

                                  Secretaria de Aviação Civil da Presidência da República
                                  Zezé Perrella (PDT-MG)

                                  Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República
                                  Eduardo Guedes

                                  Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República
                                  Silas Lima Malafaia

                                  Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial
                                  Levy Fidélix (PRTB)

                                  Secretaria de Políticas para as Mulheres
                                  Ana Maria Braga

                                  Ministério dos Transportes
                                  Clésio Andrade (PMDB-MG)

                                  Secretaria de Relações Institucionais
                                  Eduardo Azeredo (PSDB-MG)

                                  Secretaria-Geral da Presidência da República
                                  Flávio José Barbosa de Alencastro

                                  Compartilhe!

                                    Adversários buscam fotos de 17 anos atrás com o objetivo de "desconstruir" imagem de Requião Filho; "Me orgulho de ter começado trabalhar bem cedo, aos 18 anos, como modelo", diz o pré-candidato a prefeito de Curitiba pelo PMDB.

                                    Adversários buscam fotos de 17 anos atrás com o objetivo de “desconstruir” imagem de Requião Filho; “Me orgulho de ter começado trabalhar bem cedo, aos 18 anos, como modelo”, diz o pré-candidato a prefeito de Curitiba pelo PMDB.

                                    Bastou circular o zunzunzum de que o deputado Requião Filho, do PMDB, estaria na frente da corrida pela Prefeitura de Curitiba que já começou a baixaria. Adversários do parlamentar distribuíram fotos nas redes sociais, aos 18 anos, desfilando como modelo numa passarela de Brasília.

                                    Na sondagem realizada no começo deste mês pela Paraná Pesquisa, Requião Filho apareceu empatado com o prefeito Gustavo Fruet (PDT) com 20% das intenções de voto.

                                    O público feminino gostou do que viu. A imagem foi “curtida” milhares de vezes no Facebook. O pré-candidato peemedebista ironizou os adversários dizendo que “eles contrataram o marqueteiro de D. Pedro” para desqualificá-lo.

                                    “A única coisa que encontraram [contra mim] é que comecei trabalhar desde muito cedo, como modelo. Não encontraram nenhuma relação com o pedágio, com a máfia dos ônibus ou indústria da multa. Pelo contrário. Se os curitibanos quiserem, poderei ajudá-los a se livrar desses negociantes”, discursa Requião Filho.

                                    O pré-candidato disse que já identificou a origem da tentativa de desconstruí-lo há mais de um ano de distância das urnas. “Estou preparado para o jogo bruto. Bateu, levou”, disse ao Blog do Esmael o filho do senador Roberto Requião.

                                    Compartilhe!

                                      Professora Alessandra Bettega, do Colégio Estadual Professor Cleto, de Curitiba, representou o "brimo distante" Luiz Abi Antoun; também compareceram ao protesto contra Richa a "sogra fantasma" e o “auditor amigo” na Receita Estadual.

                                      Professora Alessandra Bettega, do Colégio Estadual Professor Cleto, de Curitiba, representou o “brimo distante” Luiz Abi Antoun; também compareceram ao protesto contra Richa a “sogra fantasma” e o “auditor amigo” na Receita Estadual.

                                      Os educadores abusaram do humor, na manhã desta quarta-feira (29), entre 6h30 e 9h, em frente à casa do governador Beto Richa (PSDB), no luxuoso bairro Ecoville, em Curitiba, em protesto pela passagem do terceiro mês do massacre no Centro Cívico.

                                      Os manifestantes portavam faixas que também “comemoravam” o “(des)aniversário” do tucano, que hoje completa 50 anos de existência. Providencialmente, ele agendou compromissos em São Paulo e por isso não estava em casa no momento da “homenagem”.

                                      Professores representaram as figuras ligadas a Richa que ocuparam espaço nos escândalos recentes. A professora Alessandra Gutierrez Bettega, por exemplo, interpretou o “brimo distante” (Luiz Abi Antoun).

                                      “Tinha muitos policiais no local, mas até os moradores do prédio do governador saíram nas janelas com camisetas com dizeres ‘Fora Beto Richa'”, comemorou Alessandra. Ela foi cedeu o dia de folga, hoje, para à causa da educação.

                                      Além do “brimo distante”, também teve encenação com a “sogra fantasma” (a sogra do secretário Ezequias Moreira) e do auditor fiscal amigo (Márcio Albuquerque Lima, da Receita Estadual).

                                      O presidente da APP-Sindicato, Hermes Leão, fez um discurso no local para lembrar o confisco da previdência e o massacre dos servidores públicos. O dirigente diz esperar a condenação do governador na Justiça pelos crimes que praticou.

                                      Ainda nesta quarta, vários municípios do estado deverão realizar manifestações semelhantes pelo “Fora Beto Richa”.

                                      Compartilhe!

                                        fora_betoNesta quarta-feira, 29 de julho, é um dia duplamente triste para os paranaenses. Primeiro, o governador Beto Richa (PSDB) completa hoje 50 anos de existência. Segundo, porque essa data é lembrada pelos educadores e servidores públicos os três meses de massacre no Centro Cívico, em Curitiba, onde quase 300 pessoas ficaram feridas, depois que o tucano mandou covardemente a PM bater nos manifestantes que lutavam contra o confisco da poupança previdenciária.

                                        Reveja as cenas de violência

                                        O dia de hoje não passará em branco. Haverá protestos pelo “Fora Beto Richa” em todas as regiões do estado. As manifestações serão suprapartidárias e contarão com a participação de sindicatos, professores, servidores de todos os poderes, pais, alunos, enfim, as forças vivas do Paraná vão às ruas contra a violência e a corrupção no governo Richa.

                                        Com medo das ruas, o governador Beto Richa nem está no Paraná. Permanecerá até sexta-feira no eixo São Paulo/Rio/Brasília. Aliás, ontem, na capital paulista, o tucano dissimulou mais uma vez ao “condenar” o PSDB pela convocação de manifestações pelo impeachment de Dilma. Até as capivaras do prefeito de Curitiba, Gustavo Fruet (PDT), sabem que o governador paranaense liberou a cachorrada miúda (leia-se comissionados) para organizar 16 de agosto contra PT e a presidenta da República.

                                        A gestão de Beto Richa no Paraná é apenas uma “amostra grátis” de como seria uma virtual gestão de Aécio Neves no Brasil: cacete nos trabalhadores, afago e dinheiro público para a velha mídia e supersalários para os comissionados.

                                        Compartilhe!
                                          Copyright © 2009 Esmael Morais. Todos os direitos reservados.