Senador Roberto Requião, na luta pelo tetra mandato ao Palácio Iguaçu, nesta terça (22), em Curitiba, reuniu seus comandados nas regiões para passar uma orientação estratégica: preservar a petista Gleisi Hoffmann no primeiro turno; peemedebista e a petista já trabalham com um cenário sem o governador Beto Richa (PSDB) na segunda etapa eleitoral; os dois candidatos esperam a repetição no estado, em outubro, do quadro eleitoral de 2012 na capital, quando o prefeito Luciano Ducci (PSB), que foi à reeleição com apoio de Richa.

Senador Roberto Requião, na luta pelo tetra mandato ao Palácio Iguaçu, nesta terça (22), em Curitiba, reuniu seus comandados nas regiões para passar uma orientação estratégica: preservar a petista Gleisi Hoffmann no primeiro turno; peemedebista e a petista já trabalham com um cenário sem o governador Beto Richa (PSDB) na segunda etapa eleitoral; os dois candidatos esperam a repetição no estado, em outubro, do quadro eleitoral de 2012 na capital, quando o prefeito Luciano Ducci (PSB), que foi à reeleição com apoio de Richa.

O senador Roberto Requião (PMDB), candidato ao governo do Paraná, em Curitiba, reuniu sua tropa nesta terça-feira (22) para passar uma orientação estratégica: preservar a senadora Gleisi Hoffmann (PT) durante a corrida pelo Palácio Iguaçu.

Aos seus comandados regionais presentes no encontro de hoje, Requião foi enfático: Gleisi será nossa adversária somente no segundo turno.

O peemedebista e a petista já trabalham com um cenário sem o governador Beto Richa (PSDB) no segundo turno. Os dois candidatos oposicionistas vislumbram repetição no estado do quadro eleitoral de 2012 na capital, quando o prefeito Luciano Ducci (PSB), que foi à reeleição com apoio de Richa, não avançou para a segunda etapa eleitoral.

Em 2012, todas as pesquisas eleitorais apontavam vitória de Ducci no primeiro turno. Entretanto, o atual prefeito curitibano chama-se Gustavo Fruet (PDT).

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

Governo Richa, controlador da Copel, recuou de aumento de 35% de uma vez só e agora, diante da repercussão negativa, aplicou tarifaço de 25%; diferença de 10,1% na tungada será aplicada em junho de 2015; aumentão na conta de luz vai afetar 4,2 milhões de clientes no Paraná; Aneel homologou nesta terça-feira (22) pedido de reajuste que, com certeza, fará a alegria dos sócios privados da empresa energética.

Governo Richa, controlador da Copel, recuou de aumento de 35% de uma vez só e agora, diante da repercussão negativa, aplicou tarifaço de 25%; diferença de 10,1% na tungada será aplicada em junho de 2015; aumentão na conta de luz vai afetar 4,2 milhões de clientes no Paraná; Aneel homologou nesta terça-feira (22) pedido de reajuste que, com certeza, fará a alegria dos sócios privados da empresa energética.

O governo Beto Richa (PSDB), controlador da Copel, teve pedido aprovado nesta terça-feira (22) de tarifaço médio de 24,86% na conta de luz dos 4,2 milhões consumidores residenciais e industriais paranaenses. O reajuste foi solicitado pela estatal junto à Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

A Aneel havia autorizado alta de 35%, mas governo estadual decidiu aplicar apenas parte do aumento. O órgão federal e a Copel travaram uma verdadeira guerra midiática, onde cada qual contou uma versão sobre o tarifaço em propagandas no rádio, TV e internet. Tudo pago pelos contribuintes.

Na prática, o governo Richa recuou do aumentão de 35% agora diante da repercussão negativa, mas aplicou tarifaço de 25%. A diferença de 10,1% na tungada será aplicada em junho de 2015.

A energia é o principal insumo para a produção industrial e item indispensável de conforto às famílias.

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS
A cota de compras na fronteira de Foz do Iguaçu vai continuar sendo de US$ 300. O anúncio da suspensão da Portaria nº 307, do Ministério da Fazenda, que iria reduzir a cota de compras na tríplice fronteira para US$ 150, foi feito pela senadora Gleisi Hoffmann, candidata ao governo estadual, direto de Assunção, onde cumpre agenda com governantes paraguaios.

A cota de compras na fronteira de Foz do Iguaçu vai continuar sendo de US$ 300. O anúncio da suspensão da Portaria nº 307, do Ministério da Fazenda, que iria reduzir a cota de compras na tríplice fronteira para US$ 150, foi feito pela senadora Gleisi Hoffmann (PT), candidata ao governo estadual, direto de Assunção, onde cumpre agenda com governantes paraguaios.

A redução da cota de importação, sem incidência de impostos, por via terrestre, de US$ 300 para US$ 150 por pessoa, nem entrou em vigor e será suspensa pelo governo. A informação foi divulgada hoje pela senadora Gleisi Hoffmann, candidata a governadora do Paraná, justamente do Paraguai, onde cumpre agenda com os governantes daquele país. Um novo texto deve ser publicado amanhã (23) no Diário Oficial da União e, por enquanto, tudo permanece como está.

“Esta medida não vai entrar em vigência. Era, na realidade, uma regulamentação sobre free shops e não deveria tratar da cota. A redução será suspensa e vamos voltar à cota de US$ 300”, disse. Na manhã de hoje, a candidata se encontrou com o presidente Horácio Cartes, no Palácio de los Lopes, e visitou o Senado paraguaio. (mais…)

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

do Brasil 247

Ex-presidente evitou fazer comentários sobre a denúncia de que o tucano Aécio Neves, quando governador de Minas Gerais, construiu um aeroporto com recursos públicos em propriedade que pertenceu ao seu tio, na cidade de Cláudio (MG), mas defendeu apuração do episódio, publicado pela Folha de S. Paulo: "Eu não comento denúncia porque denúncia tem que ter um processo de investigação para saber se tem procedência ou não", disse; "A denúncia foi feita e deve ser investigada para saber se tem procedência", completou Lula, após participar de congresso de químicos na Praia Grande, litoral paulista.

Ex-presidente evitou fazer comentários sobre a denúncia de que o tucano Aécio Neves, quando governador de Minas Gerais, construiu um aeroporto com recursos públicos em propriedade que pertenceu ao seu tio, na cidade de Cláudio (MG), mas defendeu apuração do episódio, publicado pela Folha de S. Paulo: “Eu não comento denúncia porque denúncia tem que ter um processo de investigação para saber se tem procedência ou não”, disse; “A denúncia foi feita e deve ser investigada para saber se tem procedência”, completou Lula, após participar de congresso de químicos na Praia Grande, litoral paulista.

O ex-presidente Lula defendeu, nesta terça-feira 22, que seja investigada a denúncia de que o candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves, construiu um aeroporto em propriedade que pertenceu ao seu tio, na cidade mineira de Cláudio. A estrutura foi construída durante seu segundo mandato como governador de Minas Gerais e teve investimento de quase R$ 14 milhões do estado.

“Eu não comento denúncia porque denúncia tem que ter um processo de investigação para saber se tem procedência ou não”, declarou Lula na Praia Grande, litoral paulista, onde participou hoje do 8º Congresso da FEQUIMFAR (Federação dos Trabalhadores da Indústrias Químicas e Farmacêuticas do estado de São Paulo). “A denúncia foi feita e deve ser investigada para saber se tem procedência”, acrescentou. (mais…)

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS
A senadora Gleisi Hoffmann (PT), candidata ao Governo do Estado em coligação com o PDT e PCdoB, imprime o tom feminino em sua arrancada inicial de campanha. A agenda de Gleisi, está repleta de agendas voltadas às mulheres dos mais diversos setores da sociedade. Nesses encontros, Gleisi tem enfatizado a importância de políticas publicas para as mulheres. Sua candidatura que também é palanque para a reeleição de Dilma Roussef (PT), surge com o diferencial feminino, escasso no cenário político local.

A senadora Gleisi Hoffmann (PT), candidata ao Governo do Estado imprime o tom feminino em sua arrancada inicial de campanha. A agenda de Gleisi, está repleta de agendas voltadas às mulheres dos mais diversos setores da sociedade. Nesses encontros, Gleisi tem enfatizado a importância de políticas publicas para as mulheres. Sua candidatura que também é palanque para a reeleição de Dilma Roussef (PT), surge com o diferencial feminino, escasso no cenário político local.

“O Paraná precisa ter políticas públicas específicas para as mulheres”, afirmou Gleisi Hoffmann, candidata ao governo do Paraná, durante reunião realizada no último sábado (19), em Curitiba, com mais de 100 lideranças femininas de 35 cidades de todas as regiões do Paraná. Ela lembrou que as mulheres tiveram papel fundamental na sua eleição ao Senado em 2010. “Eu não chegaria ao Senado e à Casa Civil, e não vou chegar ao governo do Paraná, sem a força das mulheres.”

Com esse raciocínio, a candidata do Partido dos Trabalhadores dá o tom rosa-liláz à sua campanha. O que é um grande diferencial no cenário predominantemente masculino, muitas vezes machista, da política local. O palanque da coligação de Gleisi que além do PT tem o PDT, com Haroldo Ferreira na vice, e o PCdoB com o candidato ao senado, Ricardo Gomyde, será de sustentação à reeleição da primeira mulher Presidenta da República, o que fortalece ainda mais o tom feminino.   (mais…)

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

Maioria dos dirigentes das centrais sindicais apoia retornam a volta de Requião ao governo do Paraná; “Na época do Requião, as greves nunca foram tratadas como caso de polícia e houve a valorização dos trabalhadores com a criação do maior salário mínimo regional do país”, justificam os sindicalistas ligados à Força Sindical, CTB e partes importantes da CUT e da Nova Central Sindical; única exceção é a UGT, presidida por Paulo Rossi, que no Paraná tende a apoiar a reeleição de Beto Richa, mas nacionalmente está com a petista Dilma.

Maioria dos dirigentes das centrais sindicais apoia retornam a volta de Requião ao governo do Paraná; “Na época do Requião, as greves nunca foram tratadas como caso de polícia e houve a valorização dos trabalhadores com a criação do maior salário mínimo regional do país”, justificam os sindicalistas ligados à Força Sindical, CTB e partes importantes da CUT e da Nova Central Sindical; única exceção é a UGT, presidida por Paulo Rossi, que no Paraná tende a apoiar a reeleição de Beto Richa, mas nacionalmente está com a petista Dilma.

O senador Roberto Requião (PMDB) tentará o tetra mandato de governador, em outubro, como apoio da maioria das centrais sindicais. Ele é o preferido dos sindicatos de diversas categorias de trabalhadores nos serviços públicos e privados. O levantamento é do Blog do Esmael com base nas agendas dos candidatos e da movimentação das lideranças sindicais nos bastidores.

De acordo com prospecção realizada junto às entidades filiadas, a maioria dos dirigentes da Força Sindical, da CTB (Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil), parte da CUT (Central Única dos Trabalhadores) e da NCST (Nova Central Sindical de Trabalhadores) estão engajadas na campanha do ex-governador peemedebista.

A única exceção é a UGT (União Geral dos Trabalhadores), que no Paraná tende a apoiar a reeleição de Beto Richa (PSDB). Mas há movimento de alguns sindicatos ligado à central em favor de Requião. Nacionalmente, a UGT apoia a reeleição da presidenta Dilma Rousseff (PT).

O mais interessante é a inserção de Requião na CUT, historicamente ligada ao PT. Também chama a atenção a influência do senador sobre a CTB, braço sindical do PCdoB, e a Nova Central, que apesar de ter o seu presidente licenciado, Denilson Pestana, concorrendo ao cargo de deputado federal pelo PT, os principais quadros da central preferem a volta do ex-governador em detrimento da candidata Gleisi Hoffmann.

Já a Força Sindical, liderada pelos metalúrgicos Sérgio Butka e Nelsão de Souza, mantém há décadas relação estreita com Requião.

O atual governador que fez uma ampla coligação com 17 partidos, não conseguiu o mesmo feito com as centrais sindicais e só poderá contar com o apoio da UGT, ligada ao PSD do coordenador-geral da campanha tucana, Eduardo Sciarra.

Por que os sindicalistas preferem Requião? Os próprios dirigentes têm a resposta na ponta da língua: “Na época do Requião, as greves nunca foram tratadas como caso de polícia e houve a valorização dos trabalhadores com a criação do maior salário mínimo regional do país”.

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

do Brasil 247

Primeiro disparo contra a candidatura do senador Aécio Neves (PSDB-MG), a denúncia da Folha sobre a construção de um aeroporto na na cidade de Cláudio (MG), onde o ex-governador mineiro tem uma fazenda, teve repercussão tímida em publicações como Globo, Estado e a própria Folha; isso explica a iniciativa do PT, que decidiu entrar com representação contra o presidenciável tucano por improbidade administrativa, para manter o tema "aceso" durante a campanha eleitoral; desdobramentos da investigação da Agência Nacional de Aviação Civil também podem gerar novas manchetes; ontem, em Minas, Aécio defendeu que o caso seja investigado "com transparência" e tucanos anunciaram ação contra Dilma por "uso da máquina" para "perseguir adversários".

Primeiro disparo contra a candidatura do senador Aécio Neves (PSDB-MG), a denúncia da Folha sobre a construção de um aeroporto na na cidade de Cláudio (MG), onde o ex-governador mineiro tem uma fazenda, teve repercussão tímida em publicações como Globo, Estado e a própria Folha; isso explica a iniciativa do PT, que decidiu entrar com representação contra o presidenciável tucano por improbidade administrativa, para manter o tema “aceso” durante a campanha eleitoral; desdobramentos da investigação da Agência Nacional de Aviação Civil também podem gerar novas manchetes; ontem, em Minas, Aécio defendeu que o caso seja investigado “com transparência” e tucanos anunciaram ação contra Dilma por “uso da máquina” para “perseguir adversários”.

O primeiro disparo contra a candidatura do senador Aécio Neves (PSDB-MG), que foi a denúncia da Folha de S. Paulo sobre a construção de uma pista de pouso na cidade de Cláudio (MG), onde o presidenciável tucano possui uma fazenda (leia aqui), teve repercussão relativamente discreta na mídia impressa.

O principal exemplo disso foi a cobertura do jornal O Globo, que dedicou uma nota pequena ao tema, sobre a investigação que será conduzida pelo Ministério Público e pela Agência Nacional de Aviação Civil sobre o caso. No Estado de S. Paulo, houve maior espaço para a cobertura, com três matérias: uma sobre o pedido de explicações da Anac, a declaração de Aécio defendendo a investigação e uma nota com a informação de que a construtora responsável pelas obras, a Vilasa, fez uma doação de R$ 67 mil à sua campanha para o governo mineiro. (mais…)

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

"O Brasil deixou de ser puxadinho dos Estados Unidos e do FMI", saúda Enio Verri, em sua coluna desta terça, a criação do Novo Banco de Desenvolvimento (NBD) pelos países que formam o Brics; colunista afirma que ação de Brasil, Rússia, China, Índia e África do Sul significa uma resposta concreta à crise econômica e do neoliberalismo; "Com Lula e Dilma mostramos que o modo petista de governar dá certo", exalta o parlamentar do PT, que ainda acrescenta: "o protagonismo brasileiro e enfrentamento ao FMI parece superficial aos olhos dos mais jovens que pouco conviveram com os governos neoliberais de FHC"; leia o texto e compartilhe.

“O Brasil deixou de ser puxadinho dos Estados Unidos e do FMI”, saúda Enio Verri, em sua coluna desta terça, a criação do Novo Banco de Desenvolvimento (NBD) pelos países que formam o Brics; colunista afirma que ação de Brasil, Rússia, China, Índia e África do Sul significa uma resposta concreta à crise econômica e do neoliberalismo; “Com Lula e Dilma mostramos que o modo petista de governar dá certo”, exalta o parlamentar do PT, que ainda acrescenta: “o protagonismo brasileiro e enfrentamento ao FMI parece superficial aos olhos dos mais jovens que pouco conviveram com os governos neoliberais de FHC”; leia o texto e compartilhe.

Enio Verri*

Uma nova ordem econômica mundial que está nascendo. É assim que economistas e especialistas internacionais classificam o acordo firmado entre os presidentes do Brasil, Rússia, China, Índia e África do Sul, países que formam o Brics, pela criação do Novo Banco de Desenvolvimento (NBD).

Anunciado durante a I Sessão de Trabalho da Cúpula dos Brics em Fortaleza, este banco irá disponibilizar inicialmente R$ 50 bilhões em crédito, de um total R$ 100 bilhões, para financiar projetos de infraestrutura em países emergentes a juros menores aplicados pelo Banco Mundial.

O Novo Banco de Desenvolvimento, formado pelos países que melhor responderam à crise econômica e do neoliberalismo implodida em 2008, coloca em cheque a hegemonia do Fundo Monetário Internacional (FMI) e ascende uma nova ordem econômica.

Além dos aspectos econômicos de proteção a moeda brasileira e crescimento da economia em meio à estagnação europeia, o banco marca o protagonismo das políticas de desenvolvimento econômica e social do nosso País.

O Brasil deixou de ser puxadinho dos Estados Unidos da América (EUA) e do Fundo Monetário Internacional (FMI). Abandonamos o estigma de país subdesenvolvido que corre com o rabo balançando para os nortes americanos, concebido pelo governo tucano de Fernando Henrique Cardoso (FHC).

Com Lula e Dilma mostramos que o modo petista de governar dá certo. Quitamos a divida de mais de R$ 70 bilhões com o FMI e passamos à condição de credores do fundo. Ganhamos a confiança internacional e exportamos nossas políticas econômicas e sociais.

Talvez, o protagonismo brasileiro e enfrentamento ao FMI parece superficial aos olhos dos mais jovens que pouco conviveram com os governos neoliberais de Fernando Henrique Cardosos (FHC). Mas é um alivio àqueles que sentiram na pele o desemprego e desvalorização do salário mínimo.

*Enio Verri é deputado estadual, presidente do PT do Paraná e professor licenciado do departamento de Economia da Universidade Estadual do Paraná. Escreve nas terças sobre poder e socialismo.

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS
Charge de Aroeira - Brasil Econômico.

Charge de Aroeira – Brasil Econômico.

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

capa_gazetaJornais do Paraná

- Gazeta do Povo: Internet banda larga no Brasil é 33% mais lenta que a mundial

- Bem Paraná: Governo Federal corta metade da cota de compras no Paraguai

- Jornal Metro: Calma nesta via

- Jornal de Londrina: Saldo da balança recua 8,42% no semestre

- Folha de Londrina: Candidatos se alfinetam em programas de governo

- O Diário (Maringá): Roubos a farmácias disparam em Maringá

- Diário dos Campos: Arrecadação de ICMS desacelera na região

- Jornal da Manhã: Assembleia decide hoje volta da greve de ônibus

- Tribuna do Interior: Ciclo interrompido

- O Paraná: Oeste contraria desempenho nacional e amplia exportações

- Gazeta do Paraná: Cota para compras no Paraguai caiu 50%

- Jornal Hoje: Procura pelo Seguro Desemprego cresce 46%

- Gazeta do Iguaçu: Cota de compras cai para US$ 150

- Diário do Noroeste: Acordo entre patrões e empregados pode ser fechado ainda nesta semana

- Tribuna de Cianorte: Richa vence no primeiro turno diz pesquisa CBN/Datavox

- Umuarama Ilustrado: Cota para compras no Paraguai cai de 300 para 150 dólares

Jornais de outros estados

- Globo: Governo já vê economia brasileiro em recessão

- Folha: Projeção do PIB cai, e governo não prevê melhora até eleição

- Estadão: Hamas e Israel rejeitam trégua 600 já morreram

- Correio: Projeção indica que país crescerá apenas 0,97%

- Valor: Risco soberano vai exigir mais capital dos bancos

- Estado de Minas: Sonhos adiados

- Zero Hora: Pressão por trégua

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

do Brasil 247

Deputado Carlos Sampaio (PSDB-SP) defendeu o presidenciável tucano, Aécio Neves, depois que a Agência Nacional de Aviação Civil anunciou que irá investigar pousos e decolagens do aeroporto do município de Claudio (MG), obra feita quando Aécio era governador de Minas em uma propriedade que pertenceu ao seu tio; em nota, Sampaio acusou o PT de usar a máquina pública para perseguir adversários; "Estamos representando contra a ANAC e contra a presidente Dilma para que este ato seja punido de forma rigorosa", garantiu; Sampaio disse também que o processo de homologação do aeroporto junto à ANAC vem ocorrendo de forma "legal e transparente"; agência afirma que pousos e decolagens são irregulares.

Deputado Carlos Sampaio (PSDB-SP) defendeu o presidenciável tucano, Aécio Neves, depois que a Agência Nacional de Aviação Civil anunciou que irá investigar pousos e decolagens do aeroporto do município de Claudio (MG), obra feita quando Aécio era governador de Minas em uma propriedade que pertenceu ao seu tio; em nota, Sampaio acusou o PT de usar a máquina pública para perseguir adversários; “Estamos representando contra a ANAC e contra a presidente Dilma para que este ato seja punido de forma rigorosa”, garantiu; Sampaio disse também que o processo de homologação do aeroporto junto à ANAC vem ocorrendo de forma “legal e transparente”; agência afirma que pousos e decolagens são irregulares.

Em nota enviada à imprensa na noite desta segunda-feira, 21, o coordenador jurídico do PSDB Nacional, Carlos Sampaio, classificou como perseguição política contra o candidato tucano a presidente, Aécio Neves, o fato da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) investigar o aeroporto construído em uma propriedade que pertencia ao tio de Aécio, no município de Cláudio. A obra foi feita durante o segundo governo de Aécio Neves em Minas e consumiu R$ 14 milhões em recursos públicos (leia mais).

“Não é de hoje que o PSDB tem denunciado o uso da máquina pública federal em favor da candidatura da Presidente Dilma Rousseff, inclusive com decisão do TSE já reconhecendo essa prática e aplicando multa a entidade pública. Desta vez, o abuso em favor do PT é da ANAC, praticando conduta vedada pela legislação eleitoral”, diz a nota. (mais…)

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

Nesta semana, segundo o milionário mercado das pesquisas eleitorais e o site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), saem mais duas sondagens: uma restrita a Curitiba e outra de âmbito estadual – a primeira depois dos registros das candidaturas ao governo do Paraná; institutos Visão e Veritá gastarão de seus próprios bolsos as quantias de R$ 20 mil e R$ 93 mil, respectivamente, para matar a curiosidade sobre a intenção de votos ao Palácio Iguaçu; PSDB também colocará em campo o Ibope, para consumo interno, visando medir o humor do eleitorado paranaense; Requião repete bordão de 2002: “Se eu quero comprar peixe, eu vou à peixaria; se eu quero comprar pesquisa, eu vou ao Ibope”.

Nesta semana, segundo o milionário mercado das pesquisas eleitorais e o site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), saem mais duas sondagens: uma restrita a Curitiba e outra de âmbito estadual – a primeira depois dos registros das candidaturas ao governo do Paraná; institutos Visão e Veritá gastarão de seus próprios bolsos as quantias de R$ 20 mil e R$ 93 mil, respectivamente, para matar a curiosidade sobre a intenção de votos ao Palácio Iguaçu; PSDB também colocará em campo o Ibope, para consumo interno, visando medir o humor do eleitorado paranaense; Requião repete bordão de 2002: “Se eu quero comprar peixe, eu vou à peixaria; se eu quero comprar pesquisa, eu vou ao Ibope”.

Se antes havia ausência de pesquisas eleitorais, deixando a disputa pelo governo do estado no escuro, de repente elas começaram a surgir e, concomitantemente, iniciando uma guerra de números entre as campanhas. Nesta segunda-feira (21), por exemplo, a desconhecida Vox Data divulgou números sobre a disputa restrita ao município de Cascavel. A contratante foi a CBN Cascavel.

Nesta semana, segundo o milionário mercado das pesquisas eleitorais e o site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), saem mais duas sondagens: uma restrita a Curitiba e outra de âmbito estadual – a primeira depois dos registros das candidaturas.

O levantamento da intenção de votos na capital está sendo realizado pelo Instituto Visão, de hoje até dia quinta, quando o resultado dos 1.067 questionários deverá ser apresentado ao público. O curioso é que o contratante da pesquisa é próprio Instituto Visão ao custo de R$ 20 mil.

Outro instituto que está gastando os próprios recursos para entrevistar eleitores, agora em todo o Paraná, é o Veritá, de Uberlândia (MG). Pela bagatela de R$ 93 mil coletará 2.302 opiniões de eleitores acerca da corrida ao Palácio Iguaçu.

Por falar em Palácio Iguaçu, quem também deverá sair a campo nos próximos dias é o Ibope — ou iBeto, como ficou conhecida empresa no Paraná — que sondará para consumo interno o humor do eleitorado paranaense a soldo do PSDB. O polêmico instituto é o mesmo que foi contratado pelo governo do estado, via Celepar, ao custo de R$ 2,3 milhões em março de 2013 (clique aqui).

No meio dessa verdadeiro tiroteio de números, o senador Roberto Requião (PMDB) foi o primeiro a disparar contra “fraude” na pesquisa de Cascavel. Aliás, é dele a célebre frase produzida em 2002, quando sondagens o deixavam fora do segundo turno: “Se eu quero comprar peixe, eu vou à peixaria; se eu quero comprar pesquisa, eu vou ao Ibope”, sentenciou na época.

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

O senador Roberto Requião (PMDB), candidato ao governo do Paraná, pelo Twitter, denunciou nesta segunda-feira (21) o que seria “fraude” nas pesquisas eleitorais. Ele se referia aos números elásticos da Vox Data, divulgada pela CBN Cascavel, sobre intenção de votos naquele município do Oeste.

Agora uma perguntinha ao nobre leitor: será mesmo que existe fraude em pesquisa eleitoral ou o candidato peemedebista está vendo chifre em cabeça de cavalo? Dê a sua opinião.

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

do Brasil 247

Levantamento feito no estado mostra que a presidente Dilma Rousseff seria reeleita no primeiro turno; 53% dos entrevistados aprovam o atual governo e 36% dizem que ele é ótimo ou bom; entre outros candidatos, a soma atinge 36%, sendo que a candidata do PSOL, Luciana Genro, tem 4% das intenções.

Levantamento feito no estado mostra que a presidente Dilma Rousseff seria reeleita no primeiro turno; 53% dos entrevistados aprovam o atual governo e 36% dizem que ele é ótimo ou bom; entre outros candidatos, a soma atinge 36%, sendo que a candidata do PSOL, Luciana Genro, tem 4% das intenções.

Pesquisa Ibope divulgada na manhã desta segunda-feira (21) mostrou o cenário para as eleições presidenciais no Rio Grande do Sul. No estado, Dilma Rousseff (PT) apresenta uma boa vantagem sobre seus adversários, com 41% das intenções de voto, contra 23% de Aécio Neves (PSDB) e 6% de Eduardo Campos (PSB). Neste cenário, Dilma seria reeleita no primeiro turno.

Entre outros candidatos, a soma atinge 36%, sendo que a candidata do PSOL, Luciana Genro, tem 4% das intenções. Enquanto isso, 9% dos eleitores disseram que vão votar nulo ou em branco e 13% declararam não saber em quem votar. Na pesquisa, a margem de erro é de 3 pontos percentuais, para mais ou para menos. (mais…)

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS
A judicialização já é uma das marcas da disputa pelo governo do Paraná, mas não há saída quando candidatos desconhecem limites. Beto Richa que concorre a mais um mandato de governador, e sua vice Cida Borghetti, foram condenado novamente, desta vez por usar o Twitter do Governo do Estado para autopromoção. A multa é de 15 mil UFIRs. A página já foi retirada do ar.

A judicialização já é uma das marcas da disputa pelo governo do Paraná, mas não há saída quando candidatos desconhecem limites. Beto Richa que concorre a mais um mandato de governador, e sua vice Cida Borghetti, foram condenado novamente, desta vez por usar o Twitter do Governo do Estado para autopromoção. A multa é de 15 mil UFIRs. A página já foi retirada do ar.

O candidato à reeleição, governador Beto Richa (PSDB) e sua vice, Cida Borghetti (Pros), foram condenados ao pagamento de multa no valor de 15 mil UFIRs (pouco mais de R$ 15 mil) por terem utilizado o Twitter oficial do governo do Paraná para autopromoção. Semana passada, Richa já havia sofrido duas condenações, uma por publicação de fotos suas nos site da Copel e Sanepar, e outra por campanha antecipada.

Além da condenação, a Justiça Eleitoral determinou a imediata suspensão da prática, sob pena de aplicação de multa diária de R$ 100 mil. A decisão do Juiz Lourival Pedro Chemim atende a pedido da coligação Paraná Olhando Pra Frente, que tem Gleisi Hoffmann (PT) como candidata à governadora. A página do Twitter em questão já saiu do ar.  (mais…)

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

Margem de erro gigante em pesquisa da Vox Data, de 4,38%, mostra quadro eleitoral embolado em Cascavel; segundo o “elástico” instituto, Richa estaria no intervalo 46,38%, 42,5% e 38,12%; Requião estaria entre 29,38%, 25,2% e 20,82%; Gleisi teria entre 20,88%, 16,5% e 12,12%.

Margem de erro gigante em pesquisa da Vox Data, de 4,38%, mostra quadro eleitoral embolado em Cascavel; segundo o “elástico” instituto, Richa estaria no intervalo 46,38%, 42,5% e 38,12%; Requião estaria entre 29,38%, 25,2% e 20,82%; Gleisi teria entre 20,88%, 16,5% e 12,12%.

“Para um intervalo de confiança de 95% e um tamanho de amostra de 500 entrevistas, a margem de erro máxima estimada foi de 4,38 pontos percentuais, para mais ou para menos”. É o que explica o registro da desconhecida Vox Data, cuja sondagem foi divulgada nesta segunda-feira (21) pela Rádio CBN Cascavel. O levantamento foi realizado somente no município da região Oeste entre os dias 15 e 19 de julho.

Segundo o instituto, o governador Beto Richa (PSDB) teria 42,5%, mas, pela margem de erro poderia ter entre 38,12% e 46,38%; o senador Roberto Requião (PMDB) estaria com 25,2%, mas também poderia ter entre 29%,38% e 20,82%.

Ainda de acordo com Vox Data, a senadora Gleisi Hoffmann (PT) teria 16,5% de intenções de voto ou, dentro da margem de erro, entre 20,88% e 12,12%.

Como se vê, a elasticidade é uma característica desta pesquisa Vox Data.

Veja como se sairiam os candidatos do “segundo pelotão” em Cascavel, caso as eleições fossem hoje: Bernardo Pilotto (PSOL) teria 2%, Geonísio Marinho (PRTB) 0,4%, Ogier Buchi (PRP) faria 0,7%, Rodrigo Tomazini (PSTU) atingiria 0,4%, Túlio Bandeira (PTC) alcançaria 0,2% e 12,1% não votariam em ninguém ou não saberiam em quem votar.

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS
Lançamento das candidaturas do PSTU no Paraná, terá a presença de Zé Maria, candidato a presidente, de Rodrigo Tomazini, governador, e demais candidatos. Evento será nesta terça-feira (22) no salão nobre da APP Sindicato, no edifício Asa, Centro de Curitiba.

Lançamento das candidaturas do PSTU no Paraná, terá a presença de Zé Maria, candidato a presidente, de Rodrigo Tomazini, governador, e demais candidatos. Evento será nesta terça-feira (22) no salão nobre da APP Sindicato, no edifício Asa, Centro de Curitiba.

Na próxima terça-feira, dia 22/07, o Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado (PSTU) fará o lançamento de seus candidatos às Eleições 2014, na cidade de Curitiba. Estarão presentes na atividade o candidato a presidente pelo partido, Zé Maria, o candidato ao governo do estado, Rodrigo Tomazini, além dos candidatos ao Senado, à Câmara Federal e Estadual. Os candidatos do PSTU apresentarão um programa para os trabalhadores, mostrando a necessidade de se governar sem patrões, empresários e banqueiros.

“Nossa candidatura é feita por trabalhadores e para os trabalhadores. A melhor forma de encontrar melhorias dos setores públicos como Saúde, Educação, Transporte e Moradia é ouvindo quem os utiliza e quem mais sofre com sua precarização, que são os trabalhadores e a juventude”, afirma Tomazini. (mais…)

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

Tribunal Regional Eleitoral diz que jurídico do Beto Richa chegou atrasado e nega liminar contra Blog do Esmael; tucano pediu censura porque houve transmissão ao vivo de evento do PMDB, autorizado pela Justiça; Blog do Esmael também divulgou ao vivo encontros do PSDB, PV e PSOL.

Tribunal Regional Eleitoral diz que jurídico do Beto Richa chegou atrasado e nega liminar contra Blog do Esmael; tucano pediu censura porque houve transmissão ao vivo de evento do PMDB, autorizado pela Justiça; Blog do Esmael também divulgou ao vivo encontros do PSDB, PV e PSOL.

O Juiz Lourival Chemim, do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), indeferiu pedido de liminar ao governador Beto Richa (PSDB), candidato à reeleição, pedindo multa e censura ao Blog do Esmael.

No dia 05 de julho, o Blog do Esmael divulgou ao vivo evento do PMDB, da mesma forma que também divulgou do PSDB, PV, PSC e PSOL. Tratava-se de evento fechado, para filiados e simpatizantes peemedebistas.

Autorizado pela legislação eleitoral para acontecer antes da campanha, o Blog apenas divulgou ambos os eventos partidários.

Mais de duas semanas depois, Beto Richa (PSDB) entra com representação para sustentar que teria havido propaganda antecipada. O Juiz Lourival Chemim reconheceu que a esta altura não havia mais perigo e indeferiu a liminar.

O Blog do Esmael vai apresentar defesa, mas refuta desde já qualquer tentativa de censura e de judicialização da opinião.

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

Simbolizando o desejo de paz e solidariedade à Gaza-Palestina, o ex-prefeito de Piraquara, Gabão, beija em praça pública um judeu durante protesto em Curitiba; conflito entre israelenses e palestinos, detonado há duas semanas, já matou quase 500 pessoas no Oriente Médio; Gabão é um dos coordenadores da campanha do senador Roberto Requião (PMDB), ao governo do Paraná, na região metropolitana de Curitiba.

Simbolizando o desejo de paz e solidariedade à Gaza-Palestina, o ex-prefeito de Piraquara, Gabão, beija em praça pública um judeu durante protesto em Curitiba; conflito entre israelenses e palestinos, detonado há duas semanas, já matou quase 500 pessoas no Oriente Médio; Gabão é um dos coordenadores da campanha do senador Roberto Requião (PMDB), ao governo do Paraná, na região metropolitana de Curitiba.

O ex-prefeito de Piraquara, Gabriel Samaha, o Gabão, ex-presidente da Associação dos Municípios do Paraná (AMP), foi flagrado no fim de semana dando um beijo em um israelense em protesto que pedia paz no Oriente Médio.

Conflito entre israelenses e palestinos, detonado há duas semanas, já matou quase 500 pessoas na Faixa de Gaza.

Gabão é um dos coordenadores da campanha do senador Roberto Requião (PMDB), ao governo do Paraná, na região metropolitana de Curitiba.

O protesto foi realizado neste domingo (20) no Largo da Ordem, parte histórica da capital paranaense.

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

PT e PMDB vão jogar em linha, como se diz no futebol. Farão jogadas ensaiadas em nome do palanque suprapartidário para a presidenta Dilma Rousseff no Paraná. Os dois partidos vislumbram levar Gleisi e Requião para o segundo turno, sem Richa.

PT e PMDB vão jogar em linha, como se diz no futebol. Farão jogadas ensaiadas em nome do palanque suprapartidário para a presidenta Dilma Rousseff no Paraná. Os dois partidos vislumbram levar Gleisi e Requião para o segundo turno, sem Richa.

A sucessão de erros estratégicos na campanha reeleitoral do governador Beto Richa (PSDB) pode deixá-lo pela estrada da vida, sem condições de avançar para o segundo turno. O tucano segue as mesmas pegadas de seu pupilo, o ex-prefeito de Curitiba, Luciano Ducci (PSB), que em 2012 não logrou êxito no projeto continuísta dele.

Tal qual Ducci, Richa meteu-se no imbróglio do PMDB e se deu mal. Chamou para si a condição de alvo peemedebista. Tende a apanhar pela manhã, tarde e à noite do candidato Roberto Requião durante o programa eleitoral. A senadora Gleisi Hoffmann (PT) também não deverá dar refresco ao adversário tucano.

Foi mais ou menos isso que discuti ontem à noite, junto com o jornalista Edson Fonseca, do Jornale, em entrevista no programa Jogo do Poder PR, comandado pelo advogado Luiz Carlos da Rocha, na Rede CNT.

Lembrei aos telespectadores que os personagens da lambança na campanha de Ducci são praticamente os mesmos que agora operam para o governador do PSDB, com a repetição dos mesmos erros estratégicos. O roteiro também é o mesmo.

PT e PMDB vão jogar em linha, como se diz no futebol. Farão jogadas ensaiadas em nome do palanque suprapartidário para a presidenta Dilma Rousseff no Paraná. Os dois partidos vislumbram levar Gleisi e Requião para o segundo turno, sem Richa.

O Palácio Iguaçu aposta em uma carnificina pelo segundo lugar entre a petista e o peemedebista. Além disso, orienta para “segurar” pesquisas de intenção de votos em momento que ainda a fotografia lhe favorece — ou não, como diria Caetano Veloso.

Se me pedisse uma dica eu recomendaria ao governador: troque sua coordenação inteira, pois é muito incompetente. Lembra muito a fragilizada seleção brasileira que não teve forças psicológicas para impor-se diante da arrasadora Alemanha. No campo, o esquete canarinho foi goleado em 7 x 1. E nas urnas, o tucano vai repetir o fiasco do time de Felipão, levando goleada?

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS
Copyright © 2009 Blog do Esmael. Todos os direitos reservados.