Você está aqui: Home // Notícias // Artigo de Dilma Rousseff: “Um País justo e desenvolvido”

Artigo de Dilma Rousseff: “Um País justo e desenvolvido”

por Dilma Rousseff, via CartaCapital

A presidenta enxerga o Brasil como ele merece ser

Presidenta Dilma Rousseff.

O Brasil de 2030 estará entre os países mais desenvolvidos e mais democráticos do mundo. Será mais justo e menos desigual, como nunca antes em sua história.

Na última década, adotamos um modelo de desenvolvimento baseado no crescimento, na estabilidade e na inclusão social. Hoje somos a sexta economia mundial e estamos nos tornando um país de classe média, oferecendo oportunidades para todos os brasileiros. O Brasil de 2030 será a tradução de todo esse esforço que temos feito.

Não haverá pessoas vivendo em extrema pobreza no Brasil de 2030. Desde 2003 perseguimos radicalmente esse objetivo. Por meio do crescimento consistente da economia, da geração de empregos e de instrumentos efetivos de distribuição de renda, estamos chegando lá. Começamos com o Bolsa Família, no governo Lula, que abriu caminho para o Brasil sem Miséria. Elevamos 40 milhões de pessoas à classe média e continuamos, a cada dia, superando metas e desafios para garantir a inclusão dos que ainda vivem na extrema pobreza.

O Brasil de 2030 será um país que cuida de todas as suas crianças. Para isso, demos um grande passo com a criação do Brasil Carinhoso, que complementa a renda das famílias que tenham crianças até 6 anos de idade e uma renda menor que 70 reais per capita.

O Brasil de 2030 será também o país que garante acesso à creche, à educação em tempo integral, à formação técnica e superior a todos os brasileiros. Certamente, farão parte desse futuro os estudantes brasileiros que, por meio do programa Ciência sem Fronteiras, terão ampliado seus conhecimentos nas melhores universidades do mundo.

No Brasil de 2030, qualquer cidadão terá acesso a bons serviços e a um atendimento ágil na rede pública de saúde. Com mais recursos e investimentos numa gestão eficiente, estamos aprimorando e fortalecendo o SUS, um dos maiores sistemas públicos de atendimento universalizado do mundo.

Daqui a 18 anos, o Brasil será um país inovador e tecnologicamente desenvolvido, e também o país do pleno emprego e do empreendedorismo.

Manterá o ritmo de sua evolução nesta primeira década do século, quando foram criados mais de 19 milhões de empregos e formalizados mais de 2 milhões de microempreendedores.

Conseguimos antever também um Brasil mais moderno e competitivo na área de infraestrutura, na qual estamos investindo fortemente. O Plano de Investimento em Logística nas áreas de ferrovias, rodovias, portos e aeroportos dará ao Brasil uma infraestrutura compatível com o seu tamanho e com as necessidades de sua população. Sem abrir mão de seu papel de planejamento e fiscalização, o Estado continuará, em parceria com a iniciativa privada, executando as medidas necessárias para sustentar o crescimento da economia, do emprego e da renda de todos os brasileiros.

O Brasil de 2030 estará colhendo os frutos da opção pela sustentabilidade. Crescer, incluir, proteger e preservar continuará sendo a base de nosso modelo de desenvolvimento. Ainda seremos um país com grandes reservas naturais, que explora racionalmente a sua biodiversidade e tem a matriz energética mais limpa e eficiente do mundo. Ao mesmo tempo, nas próximas décadas, o Brasil alimentará o mundo como maior produtor agropecuário do planeta.

Mantido o ritmo do nosso crescimento, a pujança da nossa democracia e a constante evolução social e econômica do nosso povo – e não vejo motivo para que essa trajetória venha a ser interrompida -, tenho certeza de que no Brasil de 2030 viverão os filhos da igualdade, da inclusão e da justiça social. Uma geração preparada para assumir as rédeas do seu país e viver os benefícios de uma era de prosperidade.

E assim que vejo o país do meu neto. Olho para o Gabriel com um misto natural de curiosidade e preocupação, como acontece com todos os avós. E toda vez que tento imaginá-lo com 20 anos, iniciando a sua vida adulta, começando a lutar para construir sua história pessoal, sou otimista. Eu o vejo, como a milhões de jovens de sua geração, vivendo bem em um Brasil feliz, generoso e justo com todos os seus cidadãos e cidadãs. Um Brasil orgulhoso de ser o que é: um grande país.

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

2 Comentários para " Artigo de Dilma Rousseff: “Um País justo e desenvolvido” "

  1. gustavo disse:

    Olha presindenta ja que voce esta falando em 2030 nos vamos ser um pais inovador etc porque voce nao fas isso no seu mandado prova que voce tem competencia nao deicha para 2030 voce tem poder ranca esses bando de ladrao que esta no senado agora voce que pra que prolonga e tem mais eu moro no interior do parana aqui ainda noa conseguimos ainda lida com a educação e tudo que nos vemos hoje na emissora quero deichar uma pergunta, em ves de voce faze bonito e fala que vai ajuda os pais em volto do brasil pq voce nao coloca esse dinheiro na saude, na educaçao, na segurança, em casa proprias, aumento de salarios pelos nossos defensores,policia militar, policia civil e demais. deicho claro trabalho no ramo de alimentos, mas estou muito desonrado com esses politico do nossos do ´pais Brasilllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllll.
    e mail gustavo.sella@hotmail.com

  2. Aline disse:

    Acredito sim que nosso país tem plenas chances de ser um Brasil menos desigual. Vendo a economia brasileira estabilizada, e mais importante, não dependendo de empréstimos externos, como antes viamos, o que se vislumbra é um cenário extrmamente favorável ao nosso querido Brasil.
    Atualmente somos respeitados, valorizados e vistos como um país do futuro, que tende a crescer cada dia mais, e principalmente porque está pensando nos menos favorecidos. Muitos são contrários às bolsas oferecidas para a população em diversas áreas, como educação e alimentação, porém esse é o primeiro passo, dar o minimo de dignidade para as pessoas que não tem o dar de comer aos seus filhos, tirá-los da linha da extrema pobreza.
    Concordo que um país rico deve obrigatóriamente ser um país justo e cada vez menos desigual.
    Quanto ao fato de termos políticos mal intencionados nos representando, o fato é que somos nós que os escolhemos e muitas vezes colocamos eles novamente lá. O sistema eleitoral no Brasil é modelo para o mundo todo, é extremamente democrático, por isso se temos a oportunidade de escolher e sempre temos muitas opções, temos que fazer isso da melhor maneira possível. A política é importantíssima e move tudo, o que temos que impedir é a politicagem praticada por seres corruptos.

Deixe um comentário

Copyright © 2009 Blog do Esmael. Todos os direitos reservados.