“Nem todos do PMDB querem sentar no colo de Beto Richa”, diz Arruda

João Arruda: 'não quero cafuné do PSDB'.

A notícia sobre a carência afetiva dos peemedebistas paranaenses chegou ontem em Brasília. Claro que o assunto entrou nas rodinhas suprapartidárias, que costumam se formar no cafezinho do Câmara, em forma de galhofa.

O deputado federal João Arruda, sobrinho do senador Roberto Requião, esquivou-se das gozações dos colegas. Afirmou que nem todos do PMDB do Paraná querem cafuné ou sentar no colo do tucano Beto Richa.

“Nós temos uma relação política e ideológica com o PT. Somos aliados por conta do projeto de Nação”, respondeu Arruda aos gozadores de plantão.

Arruda disse ainda que a relação do PMDB com o governo federal é e tem que ser somente institucional.

“Não tem espaço para cafunés e carinhos numa relação institucional de um partido com governos. O que se discute são projetos de Nação”, finalizou o deputado.

Essa polêmica começou na segunda-feira (8) quando deputados estaduais peemedebistas reclamaram que foram “abandonados” pelos petistas Paulo Bernardo e Gleisi Hoffmann, mas, em compensação, o governador Beto Richa (PSDB) estaria sendo “atencioso” com a bancada.

2 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. É isso aí meu guri.
    Minha mãe votou em você e eu na legenda do PMDB para te ajudar.
    Enfrenta esta máfia.

  2. Alguns preferem outros colos, como o do titio Bob. O PMDB tá morto Joãozinho, só você não sabe!