Prefeito de Pontal entra com ação para revogar cassação

Gazeta do Povo

O Prefeito de Pontal do Paraná, no Litoral do Estado, Rudisney Gimenes, entrou nesta sexta-feira (29) com um pedido de embargo da decisão do cartório da Justiça Eleitoral de Matinhos, que determinou, na última quarta-feira (27) a cassação de seu mandato e do vice, Rubens Marcelino da Veiga, o Rubinho.

Segundo a assessoria de imprensa da prefeitura municipal, o pedido foi acatado pela justiça e enviado para análise. Até a próxima segunda-feira (1), de acordo com a assessoria, deverá sair um parecer do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) sobre o caso.

Caso a decisão da liminar não seja favorável a Gimenes, o presidente da Câmara Municipal de Pontal, Valdevino Simões, deverá convocar eleições indiretas. Por enquanto, segundo a assessoria da prefeitura, o prefeito permanece no cargo. Gimenes e o vice teveram os mandatos cassados por compra de votos e abuso de poder econômico nas eleições municipais de 2008.

2 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. tem que ser cassado não só o prefeito, mas tem vereador que tem que ser cassado por compra de votos tambem, ele distribuia no dia da eleição 50,00 reais, e dava 50,00 reais para as pessoas por semana, em troca tinham de dar o numero de titulo para ele, e colocar uma placa com a propaganda dele,ou isso na é compra de voto. Por isso que ele é o mais votado na eleição. desse jeito, aqui em pontal o povo se contenta com um cesta básica e com cinquenta reais, e depois vai cobrar o que desses políticos..e os quatro anos pela frente, vão comer o que…é povo de pontal ta na hora de voces mudarem a mentalidade…

  2. A decisão já foi suspensa, é o primeiro passo para que a JUSTIÇA seja feita:
    Pelo presente, ficam as partes intimadas do teor da decisão exarada pelo MM Juiz da 194ª Zona Eleitoral, que em sua parte dispositiva, determina: “Assim, intime-se a embargada para que no prazo de quarenta e oito horas, manifeste-se sobre os embargos opostos, permanecendo, até julgamento dos embargos, suspensos os efeitos da sentença.
    Intime-se.
    Matinhos, 29 de julho de 2011.
    RODRIGO BRUM LOPES
    JUIZ ELEITORAL”