Paulo Bernardo não vê problemas no PT apoiar Fruet

Ministro Paulo Bernardo.

O ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, disse nesta terça-feira (19) que não vê problemas num eventual apoio do PT a Gustavo Fruet na disputa pela prefeitura de Curitiba em 2012.

O ex-deputado federal deixou o ninho tucano porque não obteve resposta positiva sobre a possibilidade de candidatura própria do partido. Ele deverá ingressar no PDT, partido da base política da presidenta Dilma.

O PSDB deverá indicar o vice na chapa do atual prefeito Luciano Ducci (PSB).

Bernardo afirmou que é preciso ver o plano de governo de Fruet para a capital, antes de o partido bater o martelo sobre o apoio.

Cauteloso, o ministro disse ainda que respeita as pré-candidaturas dos deputados pestista Tadeu Veneri e Dr. Rosinha.

Entretanto, Bernardo lembra que o PT só aumentou as bancadas estadual e federal e elegeu a senadora Gleisi Hoffmann graças à  aliança liderada pelo senador Osmar Dias (PDT), que disputou o governo no ano passado.

1 Comentário

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. Na realidade, PT e Fruet têm em comum, o desejo de mudança na forma de administar Curitiba. Duvido que os programas de governo não tenham muita coisa em consonância. Na bem da verdade, os eleitores escolhem o candidato mais pelo nome e pela sua condição (eleitor) de vida atual, do que pelo projeto que cada candidato apresenta. Fico me perguntando, qual petista não teria agido da mesma forma que Fruet quando do momento daquela CPI. Podem ter ficado brabos por se tratar do seu partido, mas onde fica a probidade administrativa ? Só com os outros ? Por outro lado, os candidatos que se apresentam pelo PT, parece que não têm noção ou são totalmente irresponsáveis com os desdobramentos que a votação pífia que farão diante dos candidatos mais fortes que se apresentam. O que será do PT após 2012 com os candidatos que tem hoje ? Terá dizimada sua bancada de vereadores e só poderá continuar um discurso de mudança em instâncias internas ou para os poucos que dão ouvidos e importância para a política. Óbvio, que se o vencedor não for alguém que promova mudanças, pq se for, cada vez mais ficará encolhido em um canto do cenário político curitibano e dando mais importância a suas ações internas do que para o conjunto da sociedade, que deveria ser sua razão ( e dos demais partidos tb) de ser e existir. Nunca vi nada dar certo de uma hora para outra, o PT que tenha humildade e faça o que melhor garanta a chance de poder realizar as mudanças que Curitiba precisa e garanta a melhoria das chances de eleger um prefeito seu em 2016 ou 2020. Pense racionalmente.