Jornalista que denunciou escutas ilegais é encontrado morto

do Portal Terra

A última edição do tabloide News of the World traz na capa: 'Obrigado e Adeus'. Foto: Ulisses Neto/Terra.

Sean Hoare, o primeiro repórter do News of the World a afirmar que Andy Coulson, ex-chefe de comunicação do gabinete do primeiro-ministro britânico, David Cameron, estava ciente de que sua equipe estava fazendo escutas ilegais, foi encontrado morto nesta segunda-feira. A informação é do jornal The Guardian.

Hoare, que trabalhou com Coulson quando este era editor do News of the World e também no The Sun, foi achado morto em sua casa, em Watford. Ele havia sido demitido por problemas com álcool e drogas. A polícia ainda não divulgou a possível causa da morte, mas, a princípio, não suspeita de crime.

O repórter ganhou notoriedade depois de declarar que Coulson não só sabia dos grampos telefônicos feitos por jornalistas, como incentivava a prática em busca de notícias exclusivas.

Fechamento do jornal

O tabloide dominical britânico News of the World, o mais vendido do país, foi fechado no dia 10 de julho por seu controlador, o grupo News International, devido ao envolvimento do jornal no escândalo de escutas telefônicas ilegais.

Publicado pela primeira vez há 168 anos, o jornal, cuja tiragem chegava a 2,8 milhões de exemplares a cada domingo, foi acusado de interceptar ligações pela primeira vez em 2006. Mas só em abril deste ano, o tabloide admitiu publicamente pela primeira vez ter interceptado mensagens deixadas na caixa postal de celulares de pessoas envolvidas em casos acompanhados pelo jornal.

O caso ganhou contornos de escândalo no início de julho, com a denúncia de que um detetive que trabalhava para o jornal teria grampeado o telefone celular – inclusive apagando mensagens – de Milly Dowler, uma menina de 13 anos que desapareceu em 2002.

Comentários encerrados.