João Arruda propõe acordo eleitoral entre PMDB, PT, PDT e PSC

João Arruda quer frente política no PR.

O deputado federal João Arruda, secretário-geral do PMDB do Paraná, vai defender na reunião da executiva nesta noite que o partido celebre um acordo eleitoral com PT, PDT e PSC visando à s eleições municipais do ano que vem.

Segundo Arruda, o entendimento teria validade para todos os municípios paranaenses.

Em Curitiba, na opinião do peemedebista, o ideal que esses partidos lancem candidaturas próprias no primeiro turno e se somem no segundo turno.

“A minha proposta é que os partidos da base de sustentação da presidenta Dilma Rousseff tenham uma linha comum de atuação no Paraná”, disse Arruda.

2 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. é isso aí andré. o pmdb como sempre fará seu papel de partido da barganha. requião foi bastante eficiente em acabar com qualquer possibilidade de nascimento de lideranças de peso no pmdb paranaense. talvez o romanelli e o curi possam explicar ao deputado joão arruda como é que se serve a dois senhores ao mesmo tempo. e também o deputado arruda precisa conversar mais com o titio para saber se osmar dias ainda é ladrão ou se é companheiro, conforme palavras do próprio requião no processo histórico-político da nossa província, para então começar essa “articulação de forças pelo estado” (leia-se barganha fisiológica). por fim cabe desvelar a verdadeira intenção de deputados como arruda, com esse tipo de declaração: garantir feudos que em 2014 garantam as campanhas para a câmara federal e para a assembléia legislativa, dos compadres e camaradas do “politburo” da “república bolivariana revolucionária do paraná”.

  2. Oi amigos do blog,
    Muito interessante essa tese do Deputado Federal João Arruda, pois vêm de encontro com a realidade aqui de Maringá, ou seja, na atualidade o PMDB não possui um nome a nível de disputar a prefeitura. Há intenção em apoiar o Ênio Verri, pois bem, ficou bem explicado, intenção. Esse pensamento do PMDB de Maringá possui amparo ao que já foi feito a nível nacional, caso o PMDB quisesse ter aventurado em candidatura própria para Presidente hoje não teria a Vice Presidência da República. Mas ainda há peemedebistas que defendem que o PMDB deve ter candidatos próprios em todos os municipios, algo que consideramos não próprio para o momento, lançar candidato por lançar, para quê?
    Mas a decisão de Maringá dependerá do que a executiva estadual decidir. Nós de Maringá defendemos a seguinte situação: Nos municipios onde o PMDB tiver candidato com maiores chances do que o PT, o PT vêm de vice, onde o PT tiver candidato com maiores chances o PMDB sai de vice. O PT só precisa cumprir os compromissos assumidos, isso é inegável.
    Abraço a todos