Presidente do TSE critica decisões da Justiça no PR e defende mandato à  coligação

via O Estado do Paraná

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Ricardo Lewandowski, classificou como esdrúxulas! as recentes decisões da Justiça comum do Paraná que têm determinado que a vaga de um suplente pertence ao partido, e não á coligação, diferente do entendimento da Justiça Eleitoral.

Em Curitiba, onde participou na manhã desta segunda-feira (28) do lançamento do cadastramento biométrico dos curitibanos, Lewandowski reafirmou sua posição de que o mandato deve continuar com a coligação.

A fidelidade partidária não pode prevalecer neste caso. As regras do jogo não podem mudar durante o jogo e muito menos depois que o jogo acabou. Mas, em duas semanas, o Supremo Tribunal Federal (STF) deve bater o martelo sobre o assunto!, disse.

Além da polêmica sobre os suplentes, Lewandowski mais uma vez comentou a decisão do STF em aplicar a Lei da Ficha Limpa apenas em 2012, contrariando decisão anterior do TSE, que previa a aplicação já para as eleições do ano passado. Mesmo com a decisão, o presidente do TSE avalia que a lei já surtiu efeitos importantes.

Os próprios partidos começaram a se preocupar e fazer essa triagem dos candidatos fichas sujas. Em outros casos os próprios candidatos já condenados desistiram de disputar a eleição!, exemplificou.

Comentários encerrados.