Governo do estado propõe parcelar reajuste de 26% a professores com recursos federais

Professor ainda terá que esperar reajuste.

O vice-governador Flávio Arns (PSDB), secretário da Educação, ameaçou deixar a pasta caso não fosse possível cumprir a promessa de equiparar com os demais servidores com curso superior o salário dos professores.

Nesta segunda-feira (28), depois de uma rodada de negociações com a APP-Sindicato, eis que surgiu a proposta do governo: quatro parcelas de 6,5%, divididas ao logo da gestão tucana, o que totalizaria os 26%.

Arns disse que conversou com os secretários da Fazenda, Luiz Carlos Hauly, e da Administração, Luiz Sebastiani, visando buscar os recursos necessários junto ao governo federal para o reajuste prometido na campanha.

“Esse compromisso vai ser cumprido. Vamos buscar recursos federais para poder honrar com o que foi prometido para os educadores”, destacou o secretário da Educação.

Falta ainda combinar com os russos, no caso, o governo federal.

Resumo da ópera: o governo tucano está terceirizando uma promessa de campanha para o governo federal. Portanto, não há segurança de que o reajuste de 26% será concedido.

Comentários encerrados.