Ex-deputado Irineu Colombo eleito reitor do IFPR

Irineu Colombo.

Com 77,38% dos votos válidos, o professor Irineu Mario Colombo venceu as eleições para reitor do Instituto Federal do Paraná (IFPR) para o triênio 2011-2014. A votação ocorreu nesta quinta-feira (24), em 22 cidades onde o Instituto tem cursos presenciais e em todas as cidades onde funcionam cursos à  distância. Irineu Colombo fez 8.074 votos e Boanerges C. Silva 2.245 votos.

Irineu Mario Colombo nasceu em Medianeira-PR, em 1964. à‰ Professor do IFPR, doutor em História Social (UnB), mestre em Educação (UFPR), licenciado em História (Palmas), especialista em História Econômica e em Gestão Pública. Fez o curso Normal de Nível Médio e de Iniciação em Eletrônica. Foi vereador, deputado estadual e federal pelo PT, diretor do Ministério da Educação (2007-2008) e reitor do Instituto Federal de Alagoas (2010).

Colombo assumirá o cargo que era do professor Alipio Leal, que no início do ano assumiu a Secretaria de Estado da Ciência e Tecnologia do Paraná (Seti).

O professor Luiz Gonzaga Alves de Araújo, diretor geral do Campus Curitiba e decano do Conselho Superior, é o representante legal do IFPR até a posse do novo reitor.

De acordo com o decreto 6986/2009, o reitor escolhido pela comunidade acadêmica precisa ser nomeado pela presidente da República.

2 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. Concordo João, a indigestão do Colombo no IFPR beira ao caos. Não há uma coerência, os amigos são privilegiados e podem obter vantagens, enquanto os contrários são exilados e descartados, mesmo sendo competentes. Há perseguições ideológicas e muitos assédios morais, sem contar a indiferenças com os técnicos administrativos, que só não tiveram seus salários reduzidos por conta de multas judiciais.

  2. A gestao Colombo a frente do IFPR é ridícula. Persegue servidores publicos, persegue determinados campus …. lamentavel estarmos na mao de um cara assim.
    Mas como diz o ditado: tupo passa. Quem bate hoje apanha amanha.
    Sugiro ao jornalista que investigue os meandros da gestao. Tem tanta coisa a ser revelada que afirmo com veemencia: exoneracao é pouco.