Blog do Esmael Artigo de Luiz Manfredini: "Foi como se tirassem os sapatos" | Blog do Esmael Artigo de Luiz Manfredini: "Foi como se tirassem os sapatos" | Blog do Esmael

Artigo de Luiz Manfredini: “Foi como se tirassem os sapatos”

por Luiz Manfredini *

Em sua edição desta terça-feira, 22, a Folha de S. Paulo traz matéria a respeito da revista a que ministros brasileiros foram submetidos por agentes secretos norte-americanos no evento com o Presidente Barack Obama, organizado pela Confederação Nacional da Indústria.

Revista de americanos foi agressiva, diz Mercadante, é o título da nota.

Relata a FSP:

A revista consistiu em uso de bastão e portal detector de metais. Os ministros ainda teriam sido proibidos de usar os carros oficiais. Eles foram escoltados por agentes americanos em um ônibus até o local e revistados na entrada!.

Ministros reclamaram, entre eles Guido Mantega (Fazenda), Fernando Pimentel (Desenvolvimento, Indústria e Comércio), Aloizio Mercadante (Ciência e Tecnologia), Alexandre Tombini (Banco Central) e Edison Lobão (Minas e Energia).

Prossegue a FSP:

“Acho que foi um erro transferir naquele evento da CNI a parte de segurança para a equipe americana”, disse Mercadante. “Foi uma intervenção muito agressiva, autoritária, assisti ali a episódios inaceitáveis”, declarou.

Ele disse ter presenciado um segurança americano destruir com um soco uma maçã que estava na bolsa de uma mulher.

Um dos ministros contou que o esquema fez com que se sentissem como “colegiais” ou suspeitos tentando entrar nos EUA. Após a revista, eles resolveram ir embora.

O Ministério da Fazenda afirmou, por meio de sua assessoria de imprensa, que Mantega se sentiu incomodado não apenas pela revista em si, mas porque ele e os colegas já haviam passado por segurança antes, no almoço com Obama no Itamaraty.

Bem, então foram duas revistas: no Itamaraty e no evento da CNI. Segundo a Embaixada dos Estados Unidos no Brasil, o procedimento foi padrão, comum em todas as visitas em evento organizado pela Casa Branca!.

Certo. Então quando a Presidente Dilma visitar os Estados Unidos e a Embaixada brasileira organizar um evento, a segurança (inclusive sobre autoridades norte-americanas) será feita pelo Gabinete de Segurança Institucional (GSI) e pela Polícia Federal. Vamos ver.

A verdade, a meu ver, é que essas revistas violaram a soberania brasileira. Agentes estrangeiros revistando ministros brasileiros é algo inconcebível em qualquer lugar do mundo, muito mais em território nacional.

No ano passado, o então Presidente Lula lembrou o episódio ocorrido nos Estados Unidos, em janeiro de 2002, quando o então chanceler Celso Lafer foi obrigado a tirar o sapato três vezes por seguranças de aeroportos ao longo da viagem que fez ao país. Lula garantiu: “Ministro meu que tirar o sapato deixará de ser ministro. Se tiver que tirar o sapato, volte para o Brasil, porque não exigimos que ninguém tire o sapato aqui”, disse.

Deixar-se revistar por seguranças norte-americanos, apesar de, em seguida terem se retirado, foi da parte dos ministros quase como tirar os sapatos nos aeroportos, como se Celso Lafer reclamasse e voltasse pra o Brasil, mas depois de tirar os sapatos. Um gesto, digamos, de meia dignidade. Deviam, os nossos ministros de hoje, protestar à  altura e não permitir a revista. Nenhum brasileiro decente os condenaria por isso.

* Luiz Manfredini é jornalista e escritor em Curitiba.

Comentários encerrados.

Inscreva-se na nossa Newsletter

Perdeu alguma notícia?

O Blog do Esmael publica dezenas de matérias. Receba diariamente em seu e-mail um resumo das informações mais quentes e relevantes, além de artigos exclusivos.

You have Successfully Subscribed!

Powered byRapidology